Ra­ma­da En­co­re Ber­ri­ni en­trou em ope­ra­ção con­tan­do com robô de ser­vi­ço fo­ca­do no aten­di­men­to

Hotéis - - Mercado -

O Ra­ma­da En­co­re Ber­ri­ni, lo­ca­li­za­do em São Pau­lo (SP), en­trou em ope­ra­ção no dia 13 de novembro e, tor­nan­do-se o pri­mei­ro ho­tel do Bra­sil a pos­suir um robô fo­ca­do no aten­di­men­to a hós­pe­des. Re­be­ca Ber­ri­ni foi o no­me da­do à no­va robô do ho­tel, que oti­mi­za­rá di­ver­sas fun­ções den­tro do em­pre­en­di­men­to. Do­ta­da de in­te­li­gên­cia ar­ti­fi­ci­al, Re­be­ca Ber­ri­ni es­tá ap­ta a exer­cer fun­ções de con­ci­er­ge, po­den­do for­ne­cer in­for­ma­ções so­bre a hos­pe­da­gem, ho­rá­ri­os de fun­ci­o­na­men­to do A&B do ho­tel, dar in­di­ca­ções de res­tau­ran­tes e pas­sei­os na re­gião e dar di­cas de aces­so à re­de Wi-Fi.

De acor­do com Bru­no Gui­ma­rães, Di­re­tor de Mar­ke­ting e Ven­das da Vert Ho­téis, o soft­ware uti­li­za­do pe­lo robô per­mi­te o de­sem­pe­nho de ta­re­fas re­pe­ti­ti­vas. “A Re­be­ca Ber­ri­ni con­tri­bui­rá pa­ra a nos­sa pro­du­ti­vi­da­de, re­a­li­zan­do ser­vi­ços cor­ri­quei­ros do ho­tel, oti­mi­zan­do pro­ces­sos e per­mi­tin­do que nos­sos ou­tros co­la­bo­ra­do­res pos­sam se de­di­car e cui­dar de ta­re­fas mais fo­ca­das na ex­pe­ri­ên­cia do hós­pe­de”, afir­ma Gui­ma­rães.

Pa­ra a Ge­ren­te Ge­ral do Ra­ma­da En­co­re Ber­ri­ni, Fer­nan­da Scha­per, o uso do robô no ho­tel se­rá um fa­tor “sur­pre­sa”, o que de­ve­rá ge­rar mui­to en­tu­si­as­mo dos hós­pe­des. “Com cer­te­za, a Re­be­ca Ber­ri­ni se­rá uma no­vi­da­de pa­ra nos­sos cli­en­tes e, cer­ta­men­te, for­ta­le­ce­rá a cons­tru­ção da ima­gem de nos­sa mar­ca, en­fa­ti­zan­do a ino­va­ção da Vert Ho­téis fren­te à con­cor­rên­cia”, co­men­ta Fer­nan­da.

Re­be­ca Ber­ri­ni

A má­qui­na es­tá de­co­ra­da com um ade­si­vo com a lo­go­mar­ca do Ra­ma­da En­co­re e um

de iden­ti­fi­ca­ção com o seu no­me. Pro­gra­ma­da pa­ra cir­cu­lar pe­lo lobby do ho­tel, ela pos­sui sen­so­res de toque, pre­sen­ça e mo­vi­men­to que pos­si­bi­li­tam-na des­vi­ar de obs­tá­cu­los. O robô uti­li­za uma pla­ta­for­ma de hard­ware com ca­pa­ci­da­de de in­ter­pre­ta­ção de voz e fa­la.

Com for­ma­to hu­ma­noi­de – o mo­de­lo San­bot Elf pos­sui ros­to, bra­ços e si­lhu­e­ta fe­mi­ni­na –, a Re­be­ca Ber­ri­ni exi­be ta­ma­nho com cer­ca de 1 me­tro de al­tu­ra e sua ve­lo­ci­da­de má­xi­ma de 2,5 km/h re­pre­sen­ta a me­ta­de da ve­lo­ci­da­de que pes­so­as con­se­guem atin­gir ca­mi­nhan­do.

Pa­ra ser ser­vi­do pe­lo robô, o hós­pe­de tem que se apro­xi­mar da má­qui­na e di­zer o que pre­ci­sa. Po­de pe­dir in­for­ma­ções ge­rais so­bre o ho­tel e seus ser­vi­ços. O robô não aten­de a pe­di­dos de itens e tam­bém não efe­tua en­tre­gas. A má­qui­na re­a­li­za pes­qui­sa de opi­nião, per­gun­tan­do, tam­bém pe­la te­la, co­mo a pes­soa ava­lia sua es­ta­dia no ho­tel. Se re­ce­ber cin­co es­tre­las, a Re­be­ca comemora com uma ex­pres­são de fe­li­ci­da­de e ain­da man­da um “tchau”.

A robô Re­bec­ca em fren­te ao Ra­ma­da En­co­re Ber­ri­ni

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.