Ma­té­ria de Ca­pa

O em­pre­en­di­men­to con­ta com 162 mo­der­nos apar­ta­men­tos, se­rá uma op­ção de hos­pe­da­gem de qua­li­da­de na Re­gião e te­ve a im­plan­ta­ção da Pa­drão Ar­gil

Hotéis - - Sumario Page -

Pa­drão Ar­gil im­plan­tou Ho­tel Pro­me­na­de Soho Cam­pos

A ci­da­de de Cam­pos dos Goy­ta­ca­zes, mu­ni­cí­pio da re­gião me­tro­po­li­ta­na do Rio de Ja­nei­ro, con­si­de­ra­da a Ca­pi­tal Na­ci­o­nal do Pe­tró­leo e do Açú­car, aca­ba de ga­nhar mais um meio de hos­pe­da­gem com al­to pa­drão de qua­li­da­de. O apart-ho­tel Pro­me­na­de Soho ofe­re­ce aos seus hós­pe­des es­tru­tu­ra com­ple­ta pa­ra aten­der não só os cli­en­tes de per­fil co­or­po­ra­ti­vo, mas tam­bém o pú­bli­co que bus­ca la­zer e en­tre­te­ni­men­to. Re­cém-inau­gu­ra­do, o em­pre­en­di­men­to, que es­tá ope­ran­do des­de de ou­tu­bro de 2018, se des­ta­ca pe­la ex­ce­lên­cia de seus ser­vi­ços e pe­la óti­ma lo­ca­li­za­ção, pois es­tá pró­xi­mo aos me­lho­res res­tau­ran­tes e ba­res da ci­da­de. A in­fra­es­tru­tu­ra é bem mo­der­na pa­ra ga­ran­tir uma hos­pe­da­gem de qua­li­da­de.

Quem exe­cu­tou es­sa obra foi a En­ge­net Cons­tru­ções, uma em­pre­sa que atua no mer­ca­do há 18 anos, com em­pre­en­di­men­tos vol­ta­dos pa­ra seg­men­to mé­dio e al­to pa­drão. “Nos­so ob­je­ti­vo com a cons­tru­ção des­se em­pre­en­di­men­to foi pa­ra aten­der a de­man­da de exe­cu­ti­vos que che­gam a Cam­pos dos Goy­ta­ca­zes pa­ra tra­ba­lhar ou mo­rar e se hos­pe­dar com con­for­to, co­mo­di­da­de e la­zer. Ali­a­mos ao Soho Re­si­den­ce, o con­cei­to de mo­rar dos gran­des cen­tros, à ideia do com­par­ti­lha­men­to e do mo­rar com es­ti­lo e usu­frui­do de uma es­tru­tu­ra com­ple­ta de ser­vi­ços. A cons­tru­ção des­se em­pre­en­di­men­to foi de­sa­fi­a­do­ra, uma tor­re com 272 uni­da­des pa­ra uso re­si­den­ci­al e ho­te­lei­ro, 21 pa­vi­men­tos, er­gui­do no cen­tro da ci­da­de, em meio ao trân­si­to e mo­vi­men­to das pes­so­as. In­ves­ti­mos em se­gu­ran­ça, tra­ba­lha­mos com uma obra se­gu­ra e sem re­gis­tro de aci­den­tes de tra­ba­lho.

Ado­ta­mos a tec­no­lo­gia de ba­nhei­ro pron­to, que tor­na a obra mais rá­pi­da e con­ta­mos com um ti­me de pro­fis­si­o­nais de al­to ní­vel que con­tri­buí­ram pa­ra o bom an­da­men­to e su­ces­so do em­pre­en­di­men­to”, as­se­gu­rou An­gé­li­ca Mon­tei­ro, Ge­ren­te ad­mi­nis­tra­ti­va da En­ge­net Con­tru­ções.

Pro­je­tos fun­ci­o­nais

Quem as­si­na o pro­je­to ar­qui­tetô­ni­co é Mu­ri­lo An­dra­de que de­fi­nin­do o em­pre­en­di­men­to com a in­fra­es­tru­tu­ra de um gran­de ho­tel, des­de a re­cep­ção ao la­zer na co­ber­tu­ra. “So­ma­do a is­so exis­te uma área de con­vi­vên­cia com vis­ta fa­bu­lo­sa, por meio de um pai­nel de vi­dro re­fle­tin­do to­da sua so­fis­ti­ca­ção e clas­se”, re­ve­la o Arqo Mu­ri­lo. E cou­be ao es­cri­tó­rio Pau­la Martins Ar­qui­te­tu­ra, In­te­ri­o­res e De­ta­lha­men­to o pro­je­to de in­te­ri­o­res com um de­sa­fio: cri­ar uma iden­ti­da­de den­tro da ca­te­go­ria do ho­tel pro­pos­to, com li­ber­da­de cri­a­ti­va, po­rém de olho nos cus­tos. Ha­via ain­da mais uma di­fi­cul­da­de: a con­fi­gu­ra­ção dos es­pa­ços era re­cor­ta­da e era pre­ci­so cri­ar flui­dez e uni­da­de en­tre os es­pa­ços de con­ví­vio. “Pa­ra ate­nu­ar o im­pac­to do pé di­rei­to du­plo e fa­zer com que o es­pa­ço da re­cep­ção se tor­nas­se mais aco­lhe­dor, op­ta­mos por usar tex­tu­ras em tons ter­ro­sos em con­tras­te com o pi­so cla­ro. Es­sas tex­tu­ras se re­pe­tem em to­dos os am­bi­en­tes de uso co­mum fa­zen­do com que es­tes apre­sen­tem a mes­ma cor e qua­li­da­de de luz. As lu­mi­ná­ri­as fo­ram cri­a­das pe­lo es­cri­tó­rio es­pe­ci­fi­ca­men­te pa­ra es­te ho­tel, con­fe­rin­do uma at­mos­fe­ra dra­má­ti­ca ou pon­tu­al con­for­me o am­bi­en­te e o uso. O mo­bi­liá­rio es­co­lhi­do é con­tem­po­râ­neo e cle­an, com­ple­men­tan­do a so­fis­ti­ca­ção do es­pa­ço. Mes­mo com o re­quin­te, as co­res só­bri­as tra­zem uma sen­sa­ção de acon­che­go

e des­can­so, tra­zen­do uma sen­sa­ção de be­mes­tar”, re­ve­la a Arqtª. Pau­la Martins. Ou­tro pon­to im­por­tan­te no pro­je­to são os ma­te­ri­ais de aca­ba­men­to re­sis­ten­tes, co­mo vas­to uso de por­ce­la­na­tos. Már­mo­re e vi­dro en­tra­ram no bal­cão e no blo­co cri­a­do na re­cep­ção pa­ra re­ce­ber a TV. “Usa­mos mui­tos ele­men­tos ver­ti­cais em mar­ce­na­ria a fim de acen­tu­ar o pé di­rei­to du­plo e ate­nu­ar a quan­ti­da­de de pa­re­des ce­gas. Nas áre­as de la­zer tam­bém fo­ram uti­li­za­das ce­râ­mi­cas e por­ce­la­na­tos a fim de fa­ci­li­tar a ma­nu­ten­ção”, con­cluiu.

Pre­o­cu­pa­ção com o mer­ca­do

Pa­ra o Di­re­tor comercial da Pro­me­na­de, Emir Penna, a en­tra­da em ope­ra­ção des­se no­vo em­pre­en­di­men­to for­ta­le­ce a pre­sen­ça da re­de no es­ta­do do Rio de Ja­nei­ro, on­de con­ta com ho­téis nas se­guin­tes ci­da­des: An­gra dos Reis, Ita­guai, Rio de Ja­nei­ro, Ita­bo­rai e Bú­zi­os, sen­do um to­tal de 13 em­pre­en­di­men­tos ho­te­lei­ros no Bra­sil sob ad­mi­nis­tra­ção da Pro­me­na­de. Penna vê com pre­o­cu­pa­ção o mer­ca­do ho­te­lei­ro de Cam­pos que foi im­pac­ta­do com a si­tu­a­ção econô­mi­ca vi­vi­da pe­lo País e tra­ça uma es­tra­té­gia. “Va­mos con­du­zir nos­sa aber­tu­ra de quar­tos em fa­ses pro­gra­ma­das pa­ra não cau­sar uma gran­de ofer­ta de quar­tos na re­gião. Tam­bém op­ta­mos em es­ti­pu­lar diá­ri­as aci­ma da mé­dia do mer­ca­do e em sin­to­nia com o ní­vel do em­pre­en­di­men­to. O pú­bli­co al­vo des­se em­pre­en­di­men­to são exe­cu­ti­vos e téc­ni­cos das áre­as de pe­tró­leo e gás, offsho­re, bem co­mo to­da a ca­deia pro­du­ti­va do se­tor. Tam­bém te­re­mos um fo­co em re­a­li­za­ção de even­tos cor­po­ra­ti­vos e so­ci­ais ten­do em vis­ta que o em­pre­en­di­men­to pos­sui uma óti­ma in­fra­es­tru­tu­ra e pa­drão su­pe­ri­or de ser­vi­ços e ins­ta­la­ções. For­ta­le­cer nos­sa área gas­tronô­mi­ca tam­bém é uma de nos­sas pri­o­ri­da­des e no pri­mei­ro tri­mes­tre de 2019

va­mos inau­gu­rar um res­tau­ran­te”, adi­an­ta Penna.

Mo­der­na in­fra­es­tru­tu­ra

Ele­gan­te, con­for­tá­vel e com de­sign con­tem­po­râ­neo, o ho­tel con­ta com 162 apar­ta­men­tos de 30m² de ca­te­go­ria lu­xo ca­sal ou sol­tei­ro. Eles con­tam com uma boa in­fra­es­tru­tu­ra de ser­vi­ços e is­so in­clui: fe­cha­du­ra ele­trô­ni­ca, cor­ti­nas em te­ci­do black-out pa­ra con­tro­le da lu­mi­no­si­da­de, in­ter­net wi-fi, ar­con­di­ci­o­na­do, co­fre in­di­vi­du­al da mar­ca Adel, se­ca­dor de ca­be­los, aces­só­ri­os e me­tais pa­ra ba­nhei­ros da mar­ca Rod­dex, te­le­vi­são Smart LCD de 32 po­le­ga­das da mar­ca LG com uma va­ri­a­da op­ção de ca­nais a ca­bo, mi­ni co­pa e en­xo­val de ca­ma e ba­nho da mar­ca Döh­ler. O col­chão im­plan­ta­do é da Well B no mo­de­lo Go­od Dre­ams. Ele pos­sui em sua com­po­si­ção ma­te­ri­ais no­bres e ex­clu­si­vas matérias primas. Es­te pro­du­to con­ta com um con­jun­to de mo­las que se fle­xi­o­nam de for­ma in­de­pen­den­te e com me­nor atri­to, tem tra­ta­men­to an­ti­mi­cro­bi­a­no, que ini­bi a ação de bac­té­ri­as e fun­gos. Cou­be a em­pre­sa Ar­ti­ma­ge for­ne­cer os qua­dros de­co­ra­ti­vos com a te­má­ti­ca pro­pos­ta im­pres­sos em pa­pel fo­to­grá­fi­co e pas­se­par­tout, sem­pre com a aten­ção que o pro­du­to pa­ra ho­te­la­ria pre­ci­sa, usan­do matérias-primas de pri­mei­ra qua­li­da­de pa­ra ga­ran­tir a lon­ge­vi­da­de do pro­du­to.

Além das con­for­tá­veis aco­mo­da­ções, os ser­vi­ços e op­ções de la­zer ofe­re­ci­das pe­lo em­pre­en­di­men­to in­clu­em res­tau­ran­te, Ro­of­top com uma vis­ta de 360º graus da ci­da­de de Cam­pos, sau­na se­ca e va­por, hi­dro­mas­sa­gem, fitness e uma com­ple­ta sa­la de jo­gos pa­ra que os hós­pe­des pos­sam re­la­xar e cur­tir a hos­pe­da­gem. O ho­tel ain­da ofe­re­ce um au­di­tó­rio de 165m² com ca­pa­ci­da­de pa­ra

150 pes­so­as, per­fei­to pa­ra re­ce­ber os mais di­ver­sos ti­pos de even­tos.

De­sa­fi­os da im­plan­ta­ção

Uti­li­zan­do am­plo know how e mão-de-obra al­ta­men­te ca­pa­ci­ta­da, a Pa­drão Ar­gil foi quem re­a­li­zou to­da a im­plan­ta­ção des­se em­pre­en­di­men­to. “A as­si­na­tu­ra do con­tra­to de im­plan­ta­ção dos apar­ta­men­tos com a En­ge­net acon­te­ceu lo­go após o tér­mi­no das Olim­pía­das de 2016 e a obra es­ta­va em rit­mo ace­le­ra­do. Is­so exi­giu uma lo­gís­ti­ca es­tu­da­da e exe­cu­ta­da, pois o em­pre­en­di­men­to fi­ca no cen­tro da ci­da­de, sem lo­cal pa­ra es­ta­ci­o­nar e ar­ma­ze­nar. As des­car­gas eram fei­tas à noi­te e nos fi­nais de se­ma­na, in­do di­re­to pa­ra as uni­da­des. Es­sa im­plan­ta­ção exi­giu mui­ta lo­gís­ti­ca, com­pro­me­ti­men­to dos co­la­bo­ra­do­res e dos for­ne­ce­do­res e o re­sul­ta­do su­pe­rou as ex­pec­ta­ti­vas. Con­se­gui­mos en­tre­gar no pra­zo, no pre­ço e na qua­li­da­de con­tra­ta­da, des­de a uni­da­de mo­de­lo ex­pos­ta no es­tan­de de ven­das da co­mer­ci­a­li­za­do­ra”, re­ve­la Luiz Ca­pu­to, Ge­ren­te de im­plan­ta­ção da Pa­drão Ar­gil.

O res­tau­ran­te é bem mon­ta­do

O ro­of top pos­sui uma vis­ta de 360º graus da ci­da­de de Cam­pos

A área de even­tos tem ca­pa­ci­da­de pa­ra re­ce­ber con­for­ta­vel­men­te 150 pes­so­as

Luiz Ca­pu­to: “Es­sa im­plan­ta­ção exi­giu mui­ta lo­gís­ti­ca e com­pro­me­ti­men­to de nos­sa equi­pe”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.