OLI­VI­ER COUSTET

Hotelnews Magazine - - EM FOCO -

O fran­cês Oli­vi­er Coustet as­su­miu, re­cen­te­men­te, a po­si­ção de CEO da B&B Ho­tels no Bra­sil. A mar­ca, que aca­ba de che­gar ao País, te­ve seu primeiro ho­tel inau­gu­ra­do em São Jo­sé dos Cam­pos (SP) em de­zem­bro de 2017, e in­ves­te no con­cei­to in­ti­tu­la­do “eco­no­chic”, que alia qua­li­da­de e ser­vi­ços a pre­ços com­pe­ti­ti­vos no mer­ca­do.

1 – A fran­ce­sa B&B Ho­tels aca­ba de che­gar ao Bra­sil com gran­des pers­pec­ti­vas pa­ra o futuro. Qual o con­cei­to dos ho­téis, e por que a re­de es­co­lheu es­te mo­men­to pa­ra in­ves­tir no País? A B&B Ho­tels é ba­si­ca­men­te uma pro­pos­ta de, co­mo se diz em in­glês, “va­lue for mo­ney”, que con­sis­te em ofe­re­cer ao cli­en­te tu­do o que ele pre­ci­sa, sem dei­xar que pa­gue adi­ci­o­nais por is­to. São ser­vi­ços, não li­mi­ta­dos, mas se­le­ci­o­na­dos, so­bre os quais de­di­ca­mos re­cur­sos pa­ra que se­jam de al­tís­si­ma qua­li­da­de. Cri­a­mos um con­cei­to que cha­ma­mos de “eco­no­chic”, ou se­ja: não é por es­tar em um ho­tel econô­mi­co, que a ex­pe­ri­ên­cia pre­ci­sa acon­te­cer sem de­sign, sem char­me e sem co­res. Ape­sar da cri­se, es­ta­mos en­xer­gan­do o po­ten­ci­al do País há lon­go pra­zo. Che­gar num mo­men­to de di­fi­cul­da­de não é um pon­to de en­tra­da ruim. Pe­lo con­trá­rio: is­so de­mons­tra a ca­pa­ci­da­de da re­de em apos­tar no lu­gar. In­ves­tir no Bra­sil foi uma de­ci­são es­tra­té­gi­ca do gru­po. Es­co­lhe­mos o País co­mo uma re­gião Em to­dos os mer­ca­dos eu­ro­peus de atu­a­ção da B&B, ou so­mos lí­de­res, ou es­ta­mos em se­gun­do lu­gar, che­gan­do, posteriormente, a uma po­si­ção mais al­ta. Te­mos mui­to res­pei­to por nos­sos com­pe­ti­do­res, mas acre­di­ta­mos que nos­so di­fe­ren­ci­al es­tá em ali­ar qua­li­da­de ao bom pre­ço. Te­mos o de­sa­fio de co­lo­car a mar­ca no mer­ca­do, de mos­trar nos­sa pro­pos­ta, mas acre­di­ta­mos que, com foco, es­for­ço e tra­ba­lho va­mos con­se­guir mos­trar que os ser­vi­ços se­le­ci­o­na­dos fa­zem a di­fe­ren­ça na per­cep­ção do cli­en­te. É in­te­res­san­te lem­brar que nu­ma pes­qui­sa de qua­li­da­de re­a­li­za­da na Eu­ro­pa, os hós­pe­des da re­de afir­ma­ram ter a im­pres­são de um pa­drão de ho­te­la­ria além da econô­mi­ca den­tro dos nos­sos ho­téis.

3 - Com a ideia de ofe­re­cer pro­du­tos mais ar­ro­ja­dos e fu­gir da pa­dro­ni­za­ção de ho­téis, co­mo se­rão os con­cei­tos adap­ta­dos pa­ra ca­da localidade? Ex­pli­que os mo­de­los de ne­gó­cio que se­rão ado­ta­dos pe­la em­pre­sa. Pa­ra nós, é mui­to im­por­tan­te che­gar a uma mas­sa crí­ti­ca pa­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.