GUILHERME CASTRO

Hotelnews Magazine - - EM FOCO -

Guilherme Castro é o CEO da Sam­ba Ho­téis, mar­ca que lan­ça atu­al­men­te no Bra­sil uma nova ban­dei­ra: a Sam­ba In The Box, que con­sis­te em em­pre­en­di­men­tos cons­truí­dos a par­tir de con­têi­ne­res. O pro­je­to se­rá apre­sen­ta­do du­ran­te a fei­ra Sirha (Sa­lon in­ter­na­ti­o­nal de la res­tau­ra­ti­on, de l’hô­tel­le­rie et de l’ali­men­ta­ti­on), que acontece em mar­ço, em São Pau­lo (SP).

1 - Qual a mis­são da Sam­ba Ho­téis, co­mo sur­giu o conceito da em­pre­sa e de ca­da uma das ban­dei­ras, in­cluin­do a “Sam­ba In The Box”? A Sam­ba Ho­téis sur­giu vi­san­do co­brir uma la­cu­na exis­ten­te nos mei­os de hos­pe­da­gem. Nas nos­sas três mar­cas é pos­sí­vel no­tar pon­tos em co­mum que nor­tei­am nos­sa vi­são de ne­gó­cio: o pri­mei­ro é referente à cri­a­ção de um am­bi­en­te que tra­ga ale­gria, sa­tis­fa­ção e bom custo-be­ne­fí­cio, ali­an­do a cultura e os rit­mos bra­si­lei­ros re­co­nhe­ci­dos mun­di­al­men­te; em se­gun­do lu­gar, queremos tra­zer lu­cra­ti­vi­da­de, pois na­da po­de ser fei­to sem in­ves­ti­do­res sa­tis­fei­tos e ho­téis lu­cra­ti­vos; por úl­ti­mo, o am­bi­en­te de tra­ba­lho tem que re­me­ter à nos­sa vi­são e ao DNA da em­pre­sa, tra­zen­do ao co­la­bo­ra­dor a mes­ma ale­gria e sa­tis­fa­ção ofe­re­ci­da ao hós­pe­de. Na ban­dei­ra Sam­ba, os ho­téis são de ca­te­go­ria up­per mids­ca­le; a ban­dei­ra Bos­sa Nova, por sua vez, en­glo­ba os ho­téis ups­ca­le. A nova, in­ti­tu­la­da Sam­ba In The Box, pos­sui ho­téis ver­sá­teis de pa­drão econô­mi­co, lo­ca­li­za­dos em pon­tos es­tra­té­gi­cos e com bai­xa ofer­ta de hos­pe­da­gem. Em geral, es­tra­das de al­to flu­xo, ou gran­des en­tre­pos­tos co­mer­ci­ais e agrí­co­las. O modelo cons­tru­ti­vo des­tes ho­téis são os con­têi­ne­res, vi­san­do a mo­bi­li­da­de e o baixo custo.

2 – O conceito da ban­dei­ra “Sam­ba in the Box” é re­la­ti­va­men­te no­vo no seg­men­to ho­te­lei­ro. Co­mo vão fun­ci­o­nar os ho­téis e co­mo vo­cês en­xer­gam es­te ni­cho de mer­ca­do? O conceito do Sam­ba In The Box faz par­te da pla­ta­for­ma de ex­pan­são da em­pre­sa pe­lo Bra­sil, que pre­vê um gran­de au­men­to de uni­da­des nos pró­xi­mos cinco anos. Sua mon­ta­gem é fei­ta em tem­po re­cor­de: um ho­tel com 120 quar­tos po­de fi­car pron­to em, apro­xi­ma­da­men­te, três me­ses. Em um ho­tel con­ven­ci­o­nal, de­pois de cons­truí­do, o in­ves­ti­dor fi­ca ‘pre­so’ à de­man­da lo­cal. Em um Sam­ba In The Box é pos­sí­vel al­te­rar a quan­ti­da­de de quar­tos e até o lo­cal do em­pre­en­di­men­to, de acordo com a de­man­da re­al afe­ri­da pós-cons­tru­ção. Quan­do ve­mos o seg­men­to ho­te­lei­ro en­ten­de­mos que há pou­co di­fe­ren­ci­al com­pe­ti­ti­vo. O que qui­se­mos foi cri­ar um sal­to ex­po­nen­ci­al e ter um gran­de “oce­a­no azul” pa­ra nos­so cres­ci­men­to, con­se­guin­do unir ver­sa­ti­li­da­de, custo cons­tru­ti­vo, re­tor­no ao in­ves­ti­dor e ge­ren­ci­a­men­to pa­ra o cons­tru­tor. De­sen­vol­ve­mos um pro­du­to que aten­de a necessidade de um mer­ca­do ain­da em cri­a­ção. Re­pen­sar o ce­ná­rio atu­al da hotelaria, pa­ra nós, sig­ni­fi­ca fo­car me­nos em lu­xo ou pa­drões pré-con­ce­bi­dos - mui­tas ve­zes de fo­ra do Bra­sil e mal adap­ta­dos à

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.