Uma ho­me­na­gem ao ta­len­to bra­si­lei­ro

Per­so­na­li­da­des que se des­ta­ca­ram em su­as áre­as de atu­a­ção em 2018 re­ce­bem da Edi­to­ra Três o tro­féu Os Bra­si­lei­ros do Ano 2018

ISTO É Dinheiro - - NEGÓCIOS - Cel­so MASSON

O19º prê­mio Os Bra­si­lei­ros do Ano, pro­mo­vi­do pe­la Edi­to­ra Três, re­co­nhe­ceu na noi­te da se­gun­da-fei­ra 3, em São Pau­lo, a con­tri­bui­ção ao País de per­so­na­li­da­des que se su­pe­ra­ram na­qui­lo que fa­zem de me­lhor e, por is­so, ser­vem de ins­pi­ra­ção para to­dos. A ce­rimô­nia tam­bém con­tem­plou a pre­mi­a­ção Os Em­pre­en­de­do­res do Ano 2018, que va­lo­ri­za os es­for­ços e o de­sem­pe­nho de quem acre­di­ta e tra­ba­lha pelo País. “Te­mos gran­de con­vic­ção de que a pró­pria so­ci­e­da­de, mais do que o novo go­ver­no, re­er­gue­rá o País”, afir­mou Ca­co Al­zu­ga­ray, pre­si­den­te-exe­cu­ti­vo da Edi­to­ra Três. Não por aca­so, o prê­mio de Bra­si­lei­ros do Ano 2018 foi des­ti­na­do a três elei­to­res. Eles re­pre­sen­tam o de­se­jo de mu­dan­ça e o po­der trans­for­ma­dor do vo­to – a mai­or ga­ran­tia de pre­ser­va­ção do es­ta­do de­mo­crá­ti­co, uma con­quis­ta dos bra­si­lei­ros que não po­de, ja­mais, ser co­lo­ca­da em ris­co. Em um ano mar­ca­do pe­la ten­são do pro­ces­so elei­to­ral, a re­vis­ta ISTOÉ pre­mi­ou co­mo Bra­si­lei­ro do Ano na Po­lí­ti­ca o go­ver­na­dor elei­to de São Pau­lo, João Do­ria. Ao re­ce­ber o prê­mio, ele afir­mou que seu par­ti­do, o PSDB, não pre­ten­de se ali­nhar ao go­ver­no do pre­si­den­te elei­to Jair Bol­so­na­ro, mas que é pre­ci­so “confiança e po­si­ti­vis­mo no País”. O mes­mo sen­ti­men­to foi de­mons­tra­do pelo mi­nis­tro do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, Luís Ro­ber­to Bar­ro­so, pre­mi­a­do na ca­te­go­ria Jus­ti­ça. Ele de­di­cou a ho­me­na­gem re­ce­bi­da aos “de­le­ga­dos, pro­cu­ra­do­res e juí­zes que pro­cu­ram cons­truir um País me­lhor e mai­or”, mas não es­que­ceu da so­ci­e­da­de bra­si­lei­ra que, se­gun­do ele, “dei­xou de acei­tar o ina­cei­tá­vel – e o que se tem de no­vi­da­de é es­sa imen­sa de de­man­da em bus­ca de in­te­gri­da­de”.

Des­ta­can­do o ta­len­to bra­si­lei­ro nas mais di­ver­sas áre­as, fo­ram pre­mi­a­dos tam­bém per­so­na­li­da­des do es­por­te, da mú­si­ca, da cul­tu­ra, da TV e da co­mu­ni­ca­ção. To­dos se des­ta­ca­ram em 2018, ca­so do téc­ni­co Luís Felipe Sco­la­ri, que co­mo trei­na­dor do Pal­mei­tas con­quis­tou o de­ca­cam­pe­o­na­to bra­si­lei­ro para o ti­me, e do sur­fis­ta Ga­bri­el Me­di­na, que es­ta se­ma­na dis­pu­ta seu se­gun­do tí­tu­lo mun­di­al, no Ha­vaí. Co­me­di­an­te que bri­lhou em 2018 com su­as imi­ta­ções dos can­di­da­tos à Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca, Mar­ce­lo Ad­net foi elei­to o Bra­si­lei­ro do Ano na Co­mu­ni­ca­ção. Na ca­te­go­ria Te­le­vi­são, a pre­mi­a­da foi a atriz Jés­si­ca El­len, que atu­ou na mi­nis­sé­rie “As­sé­dio”. O pal­co con­tou ain­da com a pre­sen­ça de dois mi­nis­tros de Es­ta­do: Sér­gio Sá Lei­tão, da Cul­tu­ra, que en­tre­gou o prê­mio de Bra­si­lei­ro do Ano ao es­cri­tor Ge­o­va­ni Mar­tins; e Ros­si­e­li So­a­res da Sil­va, da Edu­ca­ção, que en­tre­gou a Edu­ar­do Mu­fa­rej, do Re­no­va BR, o prê­mio de Em­pre­en­de­dor do Ano em Im­pac­to So­ci­al. Par­la­men­ta­res, lí­de­res em­pre­sa­ri­ais e ce­le­bri­da­des tam­bém pres­ti­gi­a­ram o even­to, que te­ve os apoi­os da mon­ta­do­ra KIA, FIESP, Re­fit e CNI.

Se 2018 che­ga ao fim co­mo mais ano que po­de­ria ter si­do me­lhor para o Bra­sil, não há co­mo ne­gar o quan­to ele re­com­pen­sou mui­tos dos bra­si­lei­ros que tra­ba­lha­ram para su­pe­rar obs­tá­cu­los e sou­be­ram apro­vei­tar as chan­ces que de­cor­rem das ad­ver­si­da­des. Eles são exem­plos de que mes­mo um pe­río­do tur­bu­len­to, mar­ca­do pe­las emo­ções de uma dis­pu­ta elei­to­ral po­la­ri­za­da e por per­cal­ços im­pon­de­rá­veis na economia, ren­deu bons fru­tos para quem acre­di­ta no fu­tu­ro do País. Es­sa foi a men­sa­gem dei­xa­da pe­los em­pre­en­de­do­res ho­me­na­ge­a­dos pe­la DINHEIRO – e não ape­nas no dis­cur­so de ca­da um ao re­ce­ber os res­pec­ti­vos prê­mi­os. Mais im­por­tan­te que as pa­la­vras es­co­lhi­das para agra­de­cer o me­re­ci­do re­co­nhe­ci­men­to é o com­pro­mis­so que to­dos eles man­têm para com o Bra­sil. É no dia a dia de su­as atri­bui­ções co­mo lí­de­res de gran­des em­pre­sas que eles sin­te­ti­zam o que de me­lhor o Bra­sil con­quis­tou em 2018.

OS EM­PRE­EN­DE­DO­RES do Ano elei­tos pe­la DINHEIRO fo­ram ca­pa­zes de produzir re­sul­ta­dos im­por­tan­tes para seus negócios e para o País. Eles fi­ze­ram a di­fe­ren­ça no agro­ne­gó­cio, no mercado fi­nan­cei­ro, na in­dús­tria, no va­re­jo, na saú­de e na re­no­va­ção po­lí­ti­ca. “Foi um ano ex­ce­len­te. Fi­ze­mos gran­des negócios mes­mo com o Bra­sil pas­san­do por uma in­de­fi­ni­ção po­lí­ti­ca”, afir­mou o con­tro­la­dor da Mar­frig, Mar­cos Mo­li­na, pre­mi­a­do na ca­te­go­ria Agro­ne­gó­cio. O mes­mo sen­ti­men­to foi ex­pres­so por Pa­tri­ce Etlin, CEO da Ad­vent, fun­do de in­ves­ti­men­tos que em 2018 ad­qui­riu as ope­ra­ções do Wal­mart no Bra­sil. Para ele, 2018 “foi um ano de mui­ta vo­la­ti­li­da­de e mui­to ner­vo­sis­mo nos mer­ca­dos. Ten­ta­mos nos iso­lar de to­dos es­ses ba­ru­lhos ex­ter­nos e to­mar de­ci­sões de in­ves­ti­men­tos ban­ca­das nos mé­ri­tos das em­pre­sas que es­tá­va­mos olhan­do”, de­cla­rou. Para o CEO da Vo­to­ran­tim, João Mi­ran­da, su­pe­rar os de­sa­fi­os exi­giu adap­ta­ção: “O gran­de se­gre­do foi bus­car se trans­for­mar e se mo­der­ni­zar. Mes­mo com 100 anos, a Vo­to­ran­tim é uma em­pre­sa mo­der­na e que bus­ca a van­guar­da”, afir­mou.

Até para quem fez uma inu­si­ta­da aposta na ideia de for­mar no­vos po­lí­ti­cos, ca­so de Edu­ar­do Mu­fa­rej, ide­a­li­za­dor do Re­no­vaBR, os re­sul­ta­dos ob­ti­dos me­re­cem co­me­mo­ra­ção: “O tra­ba­lho do Re­no­vaBR foi abrir as por­tas para quem es­tá a fim de fa­zer po­lí­ti­ca do jei­to cer­to. Nes­se pri­mei­ro ano ti­ve­mos 17 li­de­ran­ças elei­tas”, ce­le­brou Mu­fa­rej. Elei­to pe­la DINHEIRO o Em­pre­en­de­dor do Ano 2018, Oc­ta­vio de La­za­ri Jr. re­a­fir­mou seu o oti­mis­mo quan­to ao fu­tu­ro do Bra­sil: “A agen­da econô­mi­ca que es­se novo go­ver­no trás es­tá cor­re­ta. Não é uma agen­da do go­ver­no, mas do po­vo bra­si­lei­ro. A re­for­ma da Pre­vi­dên­cia, a sim­pli­fi­ca­ção tri­bu­tá­ria e a in­de­pen­dên­cia do Ban­co Cen­tral tam­bém são uma agen­da do po­vo”, con­cluiu.

OS BRA­SI­LEI­ROS DO ANO: Ca­co Alu­ga­ray, pre­si­den­te-exe­cu­ti­vo da Edi­to­ra Três, ao dis­cur­sar na aber­tu­ra da pre­mi­a­ção (1) e com o go­ver­na­dor elei­to de São Pau­lo, João Do­ria (2). O di­re­tor edi­to­ri­al Car­los Mar­ques com os mi­nis­tros Sér­gio Sá Lei­tão, da Cul­tu­ra (3) e Luís Ro­ber­to Bar­ro­so, do STF (4)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.