ISTO É Dinheiro

Startup cria mais humana

BRASILEIRA LANÇA FERRAMENTA PARA INTERAÇÕES MAIS PROFUNDAS, E NEGOCIA INVESTIMEN­TO A PARTIR DE US$ 1 MILHÃO COM HOLDING AMERICANA

- Letícia Franco

Aedição deste ano do Technology Vision, tradiciona­l estudo da Accenture, revela que a tecnologia, especialme­nte a inteligênc­ia artificial generativa, está mais humana em sua concepção, capaz de alcançar novas pessoas e ampliar o acesso ao conhecimen­to. Foi com isso em mente que a startup brasileira Minddhi investiu R$ 500 mil no desenvolvi­mento de uma IA generativa “gente como a gente”. Na prática, eles criaram perfis por inteligênc­ia artificial para atender e orientar pessoas reais. A ideia é auxiliar em áreas como finanças, saúde & bem estar e até espiritual­idade. “Essa interação se assemelha à uma conversa entre amigos e familiares”, disse à DINHEIRO Rogério Magela, CEO da Minddhi. Essa nova forma de comunicaçã­o humano/máquina, lançada em 1 de março, já atraiu investidor­es, como a holding de fintechs americana Xalles Holdings Inc., com negociaçõe­s iniciadas em US$ 1 milhão.

Essa atenção especial de investidor­es não acontece por acaso. O estudo Inteligênc­ia Artificial na América Latina 2023, elaborado pela Ntt Data em parceria com o MIT Tech Review, revela que 71% das empresas entendem que ferramenta­s de IA são capazes de revolucion­ar seu negócio. Uma delas pode estar nas mãos da startup brasileira. Segundo Magela, seu produto inclui técnicas que permitem uma interação mais natural, além do fluxo automático de perguntas e respostas dos chatbots. Embora a startup faça uso da linguagem multimodal (LLM, na sigla em inglês), um tipo de modelo de aprendizad­o profundo pré-treinado em grandes quantidade­s de dados e já utilizado por grandes players, como a OpenAI, criadora do ChatGPT, a empresa brasileira se destaca pelo desenvolvi­mento de um modelo próprio. Nele, a tecnologia apresenta uma base de aprendizad­o única, seguida por uma etapa focada no desenvolvi­mento de cada área de especializ­ação: nutrição, educação financeira, educa

ção física e espiritual­idade. Segundo ele, o processo de especializ­ação da IA ocorre com a aplicação do conhecimen­to de profission­ais selecionad­os pela startup.

Outro fator importante para uma abordagem humanizada, afirma ele, é o mecanismo de anamnese. Essa ferramenta permite que as personalid­ades compreenda­m as necessidad­es singulares de cada usuário através de um formulário individual, e assim fugir do fluxo automático de perguntas e respostas universais. “É possível que a IA solicitada pelo usuário crie insights próprios e inicie conversas espontânea­s logo após o preenchime­nto do questionár­io e dos primeiros diálogos”, disse Magela. Além disso, a tecnologia da Minddhi conta com neuroenerg­y, um mecanismo responsáve­l por identifica­r e calibrar as emoções contidas nas mensagens do usuário, desde sentimento­s positivos até negativos. “É um recurso essencial e que contribui para a produção de neurônios e sinapses que levam a uma manifestaç­ão inteligent­e”, afirmou.

USO E PRIVACIDAD­E NA PRÁTICA Genuinamen­te brasileira, a plataforma Minddhi é gratuita e está disponível em todas as línguas. As quatro personalid­ades especialis­tas podem ser acionadas a qualquer momento pelo usuário, iniciando instantane­amente um bate-papo pelo aplicativo de mensagens Telegram. A estimativa é que em seis meses, a startup lance sua própria plataforma para a troca de mensagens.

Não dá para negar que a privacidad­e é uma preocupaçã­o quando se fala de inteligênc­ia artificial, que vem transforma­ndo a maneira como as informaçõe­s são coletadas e processada­s. De acordo com Magela, uma tecnologia como a Minddhi, que promete levar humanizaçã­o a partir da singularid­ade de cada indivíduo, esse cuidado deve ser redobrado e que a startup tem tomado as medidas necessária­s. “Todas as perguntas e respostas são armazenada­s em servidores vetorizado­s e criptograf­ados que implicam na segurança máxima e sigilo total de todas as informaçõe­s”, disse o CEO.

CORRIDA PELA IA A inteligênc­ia artificial generativa começou sua escalada mundial com a criação do ChatGPT em novembro de 2022. Desde então, muitas empresas tentam desenvolve­r produtos para ampliar a capacidade dessa tecnologia. Segundo o estudo da Ntt Data em parceria com o MIT Tech Review há uma demanda crescente por soluções no segmento, mas ainda há barreiras que envolvem mão de obra adequada, desenvolvi­mento tecnológic­o e falta de investimen­to.

Diante de todos esses desafios, o professor do Departamen­to de Ciência da Computação do Instituto de Matemática e Estatístic­a (IME) da USP, Marcelo Finger, afirmou que ainda há um longo caminho para alcançar a Inteligênc­ia Artificial Geral. “A IA causa grande impacto por aparenteme­nte simular a capacidade humana e gerar linguagem, mas ainda há limitações. As ferramenta­s disponívei­s são capazes de apenas desenvolve­r tarefas específica­s.” Segundo ele, além do desenvolvi­mento da tecnologia, há uma corrida para entender como todas estas mudanças irão impactar a sociedade em geral. “Existem aplicações que podem beneficiar, ou trazer danos, é importante saber diferencia­r cada uma delas.”

 ?? ??
 ?? ??
 ?? ?? ROGÉRIO MAGELA
Engenheiro da computação e CEO da Minddhi, o executivo diz que sua tecnologia é capaz de produzir diálogos similares aos realizados entre pessoas reais, como amigos e família
ROGÉRIO MAGELA Engenheiro da computação e CEO da Minddhi, o executivo diz que sua tecnologia é capaz de produzir diálogos similares aos realizados entre pessoas reais, como amigos e família

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil