ISTO É : 2020-07-02

ARTIGOS : 13 : 13

ARTIGOS

Cigagna Júnior por Cristiano Noronha A seguir: Marco Antonio Villa A seguir: José Manuel Diogo, Ricardo Amorim, Bolívar Lamounier, Luiz Fernando Amaral, José Vicente enfrentar momento grave, a favor do povo; os substitui por quem o obedeça cegamente, onipotênci­a afastada pelos demitidos. Deu dois péssimos passos para trás. Seguindo o plano do caranguejo, se despe da segunda carapaça, com a terceira, anda velozmente de um lado para outro, trazendo mais companheir­os de outrora, para qualquer cargo. Outros novos amigos, dentre eles dois irmãos, um seu vizinho e o outro um ministro, sem educação, que tombou tarde e zarpou para a América. Deu, então, incontávei­s passos para os lados! Confia cegamente em três conchas protetoras e numeradas de um a três, em clara troca de proteções, já que também as protege. Confia em uma concha maior, só vista nos Estados Unidos, peça que não compartilh­a com nada à sua esquerda! Põe ministro, tira ministro a pedido, sem pedido, decreta, revoga o decreto, demite, altera a data da demissão, se irrita só de ver um jornal, mas adora mandar mensagens, lança um audacioso plano, que não saiu do papel, põe máscara, tira máscara, fica calmo e logo esbraveja, briga com poderosos de outros poderes, faz as pazes e briga novamente, a conhecida “dança do caranguejo”. Quarta carapaça: vendo as três conchas trincar, chama a seu lado seus inimigos (que dizia também o serem do povo) caminha trôpego, se enterra cada vez mais! O que o plano do caranguejo não previa, é que com estas idas e vindas, desnortead­o, desprepara­do, inseguro, frágil, pode cair, entrar em fervura ou na panela de pressão, até perder seu poder. Pior, depois disso, suas patas (apreciadas pelos glutões), podem ser quebradas a martelo, sem precisar de foice. 13 As opiniões dos colunistas não necessaria­mente refletem a posição da revista

© PressReader. All rights reserved.