OS ÚL­TI­MOS 12 ME­SES

Jornal Brasil Peças - - Capa -

Ja­nei­ro O ano de 2016 co­me­çou de for­ma oti­mis­ta. Em ja­nei­ro ain­da não eram tan­tos os es­cân­da­los de corrupção e se es­pe­ra­va que com o pa­co­te de me­di­das ado­ta­das pe­la equi­pe econô­mi­ca do go­ver­no da ex-pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff, o país vol­tas­se a res­pi­rar com mais tran­qui­li­da­de.

Ju­lho O se­gun­do se­mes­tre co­me­çou co­mo ter­mi­nou o pri­mei­ro. O país aguar­da­va o des­fe­cho po­lí­ti­co pa­ra pro­je­tar even­tu­ais re­to­ma­das. A re­po­si­ção, con­tu­do, já se mo­vi­men­ta­va. Em ju­lho acon­te­ceu a AUTOPAR, a mai­or Fei­ra Au­to­mo­ti­va do Sul do país foi re­a­li­za­da em Cu­ri­ti­ba-PR e con­tou, mais uma vez, com co­ber­tu­ra do Bra­sil Pe­ças. Mais uma vez o jor­nal fez uma das mai­o­res co­ber­tu­ras do even­to que foi um su­ces­so.

Fe­ve­rei­ro No mês se­guin­te o oti­mis­mo foi pra­ti­ca­men­te vi­ran­do a cer­te­za de um fu­tu­ro me­lhor. Àque­la al­tu­ra, a An­fa­vea pro­je­ta­va o cres­ci­men­to na pro­du­ção de veí­cu­los ain­da pa­ra 2016. Na vi­são do en­tão pre­si­den­te da en­ti­da­de, Luiz Mo­an Ya­bi­ku Ju­ni­or, o au­men­to de 0,5% era um óti­mo si­nal de re­cu­pe­ra­ção pa­ra o se­tor au­to­mo­ti­vo. Os nú­me­ros não fo­ram

con­fir­ma­dos ao lon­go do ano.

Agos­to No se­tor de au­to­pe­ças a no­tí­cia mais im­por­tan­te de agos­to foi a divulgação do anuá­rio pe­lo Sin­di­pe­ças. O relatório que foi bem de­ta­lha­do pe­lo Bra­sil Pe­ças com­pro­vou o que já se es­pe­ra­va. A que­da em to­dos os nú­me­ros que en­vol­vem o seg­men­to. Nú­me­ro de tra­ba­lha­do­res, pro­du­ção e ven­das ha­vi­am caí­do no pe­río­do estudado. Pa­ra se ter ideia, as ven­das no se­tor ha­vi­am en­co­lhi­do 8,7% pu­xa­das prin­ci­pal­men­te pe­las for­ne­ce­do­ras pa­ra mon­ta­do­ras.

Em agos­to tam­bém te­ve iní­cio o mai­or even­to já realizado em so­lo bra­si­lei­ro. As Olim­pía­das Rio 2016 fo­ram um mar­co pa­ra o país e trans­cor­re­ram sem mai­o­res pro­ble­mas.

Mar­ço O Bra­sil Pe­ças fa­zia um le­van­ta­men­to so­bre o au­men­to no nú­me­ro de mon­ta­do­ras no Bra­sil. Pa­ra en­ten­der o cres­ci­men­to da pro­du­ção de veí­cu­los no país, era essencial co­nhe­cer um pou­co mais so­bre o pla­ne­ja­men­to ado­ta­do pe­las mar­cas que am­pli­a­ram ou cri­a­ram no­vas fá­bri­cas por aqui.

No dia 29 de mar­ço, o PMDB de­ci­diu sair da ba­se do go­ver­no e no dia se­guin­te foi acom­pa­nha­do pe­lo PP. Co­mo pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment da ex-pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff em cur­so, o PT per­deu seus dois mai­o­res apoi­a­do­res e viu o fim do go­ver­no mais pró­xi­mo.

Se­tem­bro O mês de se­tem­bro te­ve uma das mais tra­di­ci­o­nais Fei­ras do se­tor de re­po­si­ção no país. A AUTOP, em For­ta­le­za-CE, foi um su­ces­so e o pal­co de mui­tos ne­gó­ci­os pro­du­ti­vos en­tre agen­tes do seg­men­to. Mais de 100 ex­po­si­to­res ti­ve­ram a oportunidade de con­vi­ver com seus pú­bli­cos no Nor­des­te.

Ao pas­so que o úl­ti­mo dia de agos­to trou­xe a con­clu­são do im­pe­a­ch­ment de Dil­ma Rous­seff, se­tem­bro co­me­çou com a pos­se de Mi­chel Te­mer. Em 1º de se­tem­bro as es­pe­ran­ças no Bra­sil fo­ram re­no­va­das. Com no­va equi­pe econô­mi­ca, as ex­pec­ta­ti­vas co­me­ça­ram a ser mais po­si­ti­vas.

Abril No iní­cio do se­gun­do tri­mes­tre o se­tor de au­to­pe­ças ti­nha uma gui­na­da. Ao mes­mo tem­po que for­ne­ce­do­res di­re­tos pa­ra mon­ta­do­ras so­fri­am, con­se­gui­am mi­ni­mi­zar su­as per­das in­ves­tin­do no Af­ter­mar­ket. Já os pe­que­nos fa­bri­can­tes e va­re­jis­tas ten­ta­vam ser cri­a­ti­vos pa­ra se man­te­rem com­pe­ti­ti­vos. No Bra­sil Pe­ças a no­tí­cia era o cres­ci­men­to nas ven­das on­li­ne de pe­ças.

No dia 17 e abril a Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos apro­vou o pe­di­do de im­pe­a­ch­ment da ex-pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff por 367 vo­tos con­tra 137. No mes­mo mês co­mis­são foi mon­ta­da pa­ra vo­tar a acei­ta­ção do pro­ces­so pe­lo Se­na­do Fe­de­ral.

Ou­tu­bro O Ino­var-Au­to, pro­gra­ma ini­ci­a­do em 2012 es­tá che­gan­do ao fim no ano que vem. Em ou­tu­bro sur­gi­ram os pri­mei­ros de­ba­tes mais for­tes so­bre o no­vo for­ma­to de uma even­tu­al no­va eta­pa do pro­je­to. Con­for­me apu­ra­ção do Bra­sil Pe­ças, a ten­dên­cia é de que ha­ja uma mai­or re­le­vân­cia do se­tor de au­to­pe­ças em uma no­va com­po­si­ção.

As elei­ções mu­ni­ci­pais apon­ta­ram um dos úl­ti­mos ru­mos po­lí­ti­cos no ano. Em São Pau­lo e em Be­lo Ho­ri­zon­te em­pre­sá­ri­os sem par­ti­ci­pa­ção po­lí­ti­ca an­te­ri­or fo­ram elei­tos. Pa­ra es­pe­ci­a­lis­tas em ci­ên­ci­as po­lí­ti­cas is­so de­mons­tra a cons­ter­na­ção da so­ci­e­da­de com a clas­se e pro­me­te ser ten­dên­cia pa­ra os pró­xi­mos plei­tos.

Maio O Bra­sil Pe­ças ho­me­na­ge­ou no mês de maio os me­lho­res dis­tri­bui­do­res de au­to­pe­ças do Rio de Ja­nei­ro e do país. Em um mo­men­to econô­mi­co de­li­ca­do, a ini­ci­a­ti­va foi man­ter o de­vi­do pres­tí­gio a quem se des­ta­cou em mo­men­tos ad­ver­sos.

Po­li­ti­ca­men­te o Bra­sil con­ti­nu­a­va vi­ven­do um ce­ná­rio de ca­la­mi­da­de. Ao pas­so que o pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment se­guia aguar­dan­do por seus pra­zos le­gais, to­ma­va mai­or des­ta­que o pro­ces­so de cas­sa­ção do en­tão pre­si­den­te

da Câ­ma­ra Edu­ar­do Cu­nha.

No­vem­bro Com o fim do ano se apro­xi­man­do, o se­tor de au­to­pe­ças re­co­lhia os ca­cos pa­ra for­mar uma ba­se mais só­li­da. Mas, ao que tu­do in­di­ca as em­pre­sas es­tão se­guin­do à ris­ca as li­ções apren­di­das du­ran­te a cri­se que o país atra­ves­sou. NGK e ZM S.A, por exem­plo, fi­ze­ram even­tos pa­ra seus cli­en­tes. En­quan­to a pri­mei­ra re­a­li­zou um tor­neio de fu­te­bol en­tre va­re­jis­tas e dis­tri­bui­do­res do Rio de Ja­nei­ro, a se­gun­da tam­bém es­te­ve na ca­pi­tal flu­mi­nen­se re­a­li­zan­do uma pa­les­tra téc­ni­ca pa­ra dis­tri­bui­do­res e re­pa­ra­do­res no sa­lão de even­tos da se­de do Bra­sil Pe­ças.

O ano de 2017 das au­to­pe­ças tam­bém co­me­çou a ser vis­to com mais cer­te­za. As pre­vi­sões va­ri­a­ram en­tre cres­ci­men­tos de 2,7% e 9%.

Ju­nho Ano fe­cha­men­to do pri­mei­ro se­mes­tre de 2016 o Bra­sil se­guia po­li­ti­ca­men­te con­tur­ba­do e a es­pe­ra de um no­vo ru­mo eco­no­mi­ca­men­te. No Bra­sil Pe­ças uma das prin­ci­pais no­tí­ci­as era o des­ta­que da­do pe­la ANFAPE – As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal dos Fa­bri­can­tes de Au­to­pe­ças – à mo­vi­men­ta­ção do mer­ca­do in­de­pen­den­te de au­to­pe­ças. Pa­ra a en­ti­da­de, mes­mo em um pe­río­do de cri­se e in­fla­ção cres­cen­te, graças às em­pre­sas do seg­men­to de re­po­si­ção os pre­ços de pe­ças se­gui­ram aces­sí­veis e jus­tos.

De­zem­bro O úl­ti­mo mês do ano co­me­çou com no­tí­ci­as pro­mis­so­ras en­vol­ven­do o co­mér­cio ex­te­ri­or. Uma car­ta de in­ten­ções foi as­si­na­da en­tre Fran­ça e Bra­sil ga­ran­tin­do os es­for­ços por acor­dos co­mer­ci­ais en­tre União Eu­ro­peia e Mer­co­sul pa­ra 2018. Ain­da na Eu­ro­pa, a Itá­lia foi mais uma a apos­tar no Bra­sil. O país re­a­li­zou uma mis­são em­pre­sa­ri­al pa­ra es­trei­tar os la­ços en­tre as in­dús­tri­as au­to­mo­ti­vas dos dois paí­ses.

A ex­plo­ra­ção dos cam­pos do pré-sal tam­bém co­me­çou de­zem­bro com no­vi­da­des. O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer san­ci­o­nou lei que de­so­bri­ga a Pe­tro­bras de ser a úni­ca ope­ra­do­ra do pe­tró­leo na ca­ma­da lo­ca­li­za­da en­tre 5 e 7 mil me­tros abai­xo do ní­vel do mar. Ago­ra, o Con­se­lho Na­ci­o­nal de Po­lí­ti­ca Ener­gé­ti­ca da­rá pre­fe­rên­cia à es­ta­tal pa­ra se ma­ni­fes­tar, num pra­zo de 30 di­as, so­bre se irá ou não par­ti­ci­par da ex­plo­ra­ção.

O pre­si­den­te da Pe­tro­bras, Pedro Pa­ren­te, afir­mou que a lei é mui­to im­por­tan­te pa­ra a em­pre­sa e pa­ra o Bra­sil. Se­gun­do ele, ca­da cam­po de pe­tró­leo do pré-sal exi­ge um in­ves­ti­men­to de US$ 10 bi­lhões e, com as di­fi­cul­da­des en­fren­ta­das pe­la es­ta­tal, o rit­mo de in­ves­ti­men­to no se­ria mui­to len­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.