Cui­da­dos com as af­tas

Malu - - BEM-ESTAR -

Por me­no­res que se­jam as af­tas, o incô­mo­do é cer­to quan­do elas apa­re­cem. Po­rém, se­gun­do o den­tis­ta Ma­rio Grois­man, “exis­tem al­gu­mas me­di­das que po­dem aju­dar na pre­ven­ção das af­tas, co­mo man­ter uma hi­gi­e­ne bu­cal ade­qua­da, ir re­gu­lar­men­te ao den­tis­ta, além do cui­da­do com a ali­men­ta­ção. É pre­ci­so que os ali­men­tos áci­dos se­jam con­su­mi­dos com mo­de­ra­ção, co­mo aba­ca­xi, li­mão e con­di­men­ta­dos co­mo ket­chup e pimenta”.

Pre­dis­po­si­ção

Qual­quer pes­soa po­de ter af­ta, mas as mu­lhe­res têm mais chan­ces de de­sen­vol­vê-la do que os ho­mens de­vi­do aos fa­to­res hor­mo­nais. En­tre­tan­to, quan­do as le­sões apa­re­cem, nor­mal­men­te são de pe­que­no di­â­me­tro, não de­man­dam tra­ta­men­to e po­dem de­sa­pa­re­cer em até 15 di­as. “Em ca­sos que ha­ja mui­ta dor ou di­fi­cul­da­de de de­glu­ti­ção, bo­che­chos e po­ma­das com anal­gé­si­cos po­dem ser usa­dos. Já em ca­sos mais gra­ves, po­de ser in­di­ca­do a pres­cri­ção de an­ti-in­fla­ma­tó­ri­os sis- tê­mi­cos ou me­di­ca­men­tos que re­du­zam a aci­dez es­to­ma­cal”, ex­pli­ca o den­tis­ta.

Vai e vol­ta

Mes­mo de­pois de tra­ta­das, as af­tas po­dem apa­re­cer no­va­men­te. Em al­gu­mas pes­so­as es­pe­cí­fi­cas, prin­ci­pal­men­te as que apre­sen­tam bai­xa imu­ni­da­de, po­dem apre­sen­tar sin­to­mas mais gra­ves. “Even­tu­al­men­te, po­dem apa­re­cer gân­gli­os no pes­co­ço (“ín­guas”), can­sa­ço e até fe­bre. Nes­ses ca­sos, o acom­pa­nha­men­to de um pro­fis­si­o­nal é in­dis­pen­sá­vel”, fi­na­li­za Grois­man.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.