Fim do de­sem­pre­go

Re­ze com fé e al­can­ce a gra­ça de con­se­guir um tra­ba­lho

Malu - - -

Um dos pe­río­dos mais di­fí­ceis que se po­de en­fren­tar na vi­da é o do de­sem­pre­go. Nes­sas ho­ras, a tris­te­za e o de­sâ­ni­mo aca­bam com as es­pe­ran­ças. No en­tan­to, por meio da fé, é pos­sí­vel reu­nir for­ças pa­ra mu­dar es­sa si­tu­a­ção. Con­fi­ra pre­ces es­pe­ci­ais que po­dem aju­dar vo­cê a fir­mar a sua fé e ser agra­ci­a­da com uma va­ga no mer­ca­do de tra­ba­lho!

São Jo­sé, ro­gai por nós!

“Ó, glo­ri­o­so São Jo­sé, mo­de­lo de to­dos os que se con­sa­gram ao tra­ba­lho! Al­can­çai-me a gra­ça de tra­ba­lhar com espírito de pe­ni­tên­cia, em ex­pi­a­ção dos meus pe­ca­dos; de tra­ba­lhar com cons­ci­ên­cia, pon­do o cum­pri­men­to do meu de­ver aci­ma das mi­nhas na­tu­rais in­cli­na­ções; de tra­ba­lhar com agra­de­ci­men­to e ale­gria olhan­do co­mo uma hon­ra o po­der de de­sen­vol­ver, por meio do tra­ba­lho, os dons re­ce­bi­dos de Deus. Al­can­çai-me a gra­ça de tra­ba­lhar com or­dem, cons­ci­ên­cia, intensidade e pre­sen­ça de Deus, sem ja­mais re­tro­ce­der an­te as di­fi­cul­da­des; de tra­ba­lhar, aci­ma de tu­do, com pu­re­za de in­ten­ção e de­sa­pe­go de mim mes­mo, ten­do sem­pre di­an­te dos olhos to­das as al­mas e as con­tas que pres­ta­rei a Deus do tem­po per­di­do, das ha­bi­li­da­des inu­ti­li­za­das, do bem omi­ti­do e das es­té­reis vai­da­des em meus tra­ba­lhos, tão con­trá­ri­as às obras de Deus. Tu­do por Je­sus, tu­do por Ma­ria, tu­do à vos­sa in­ten­ção, ó, São Jo­sé. Es­se se­rá o meu le­ma na vi­da e na mor­te. Amém.”

Ora­ção a São Jo­sé Ope­rá­rio

“Ó, es­co­lhi­do por Deus, ho­mem de co­ra­ção ge­ne­ro­so, bra­ços e mãos can­sa­dos pe­lo tra­ba­lho, que a vi­da con­su­miu pe­la ida­de. Com seu cor­po, men­te e espírito aben­ço­a­do, nos vol­ta­mos a vós, santo que­ri­do, pa­ra que em nos­sa pe­que­nez, nos ca­pa­ci­te a pe­dir-lhe que nos con­ce­dais a bên­ção de ar­ru­mar­mos um em­pre­go dig­no e glo­ri­o­so, su­fi­ci­en­te pa­ra dar de co­mer a nos­sa fa­mí­lia e a ou­tros que nos cer­cam e ne­ces­si­tam de nós. Le­van­ta­re­mos nos­sos pen­sa­men­tos até vós, São Jo­sé, a fim de que se­jais o nos­so li­ber­ta­dor, nos cu­re dos pe­ca­dos e pos­sa­mos ser pre­mi­a­dos com nos­so pe­di­do. Amém!”

Fim do de­sem­pre­go

“Deus, nos­so pai, me di­ri­jo a vós pa­ra pro­cu­rar vos­sa di­vi­na aju­da e con­se­guir ori­en­ta­ção pa­ra que eu en­con­tre um em­pre­go ade­qua­do. Eu pre­ci­so de vos­sa sa­be­do­ria pa­ra gui­ar meus pas­sos ao lon­go do ca­mi­nho cer­to e pa­ra me le­var a en­con­trar bo­as coi­sas a di­zer e fa­zer nes­ta mis­são. Gos­ta­ria de usar os dons e ta­len­tos que vós me des­tes, mas eu pre­ci­so de uma opor­tu­ni­da­de pa­ra fa­zê-lo em um em­pre­go re­mu­ne­ra­do. Não me aban­do­ne, que­ri­do pai, nes­ta pes­qui­sa e, sim, con­ce­da-me es­se fa­vor pa­ra que eu vol­te a vós com lou­vor e agra­de­ci­men­to pe­la sua gra­ci­o­sa as­sis­tên­cia. Con­fio que al­can­ça­rei meu de­se­jo atra­vés de Cris­to, nos­so se­nhor. Amém.”

In­ter­ces­são a Nos­sa Se­nho­ra do Tra­ba­lho

“Glo­ri­o­sa, com­pas­si­va e ami­ga, Se­nho­ra do Tra­ba­lho, sa­ben­do de vos­sa ge­ne­ro­si­da­de e fé in­con­di­ci­o­nal, ve­nho até vós, no amor de Cris­to, su­pli­car-lhe, pri­mei­ra­men­te, o per­dão pe­los meus pe­ca­dos, pois que­ro es­tar mais pró­xi­mo de vós, pa­ra ser me­re­ce­dor de al­can­çar a mi­nha gra­ça (fa­ça o pe­di­do). O em­pre­go que ne­ces­si­to é mui­to im­por­tan­te pa­ra a mi­nha so­bre­vi­vên­cia, pois meus fi­lhos che­gam a pas­sar fo­me. Sou po­bre, mas não que­ro rou­bar pa­ra sus­ten­tá-los, mas sim al­can­çar de vós, mi­nha santa, o di­rei­to a es­sa bên­ção. Eu lhe su­pli­co, Nos­sa Se­nho­ra do Tra­ba­lho, ro­gai por mim e por to­dos aque­les que es­ti­ve­rem na mes­ma si­tu­a­ção que eu.”

Ter­ço ao Sa­gra­do Co­ra­ção de Je­sus

“Lem­brai-vos, ó mi­se­ri­cor­di­o­so Je­sus, que sois Pai, bon­do­so e cheio de ter­nu­ra pa­ra com os vos­sos fi­lhos. Cer­to de vos­so in­fi­ni­to amor, en­tre­go-me ao vos­so co­ra­ção, com ale­gria e do­ce con­fi­an­ça em mi­nhas sú­pli­cas, se­gun­do vos­sas pa­la­vras: ‘Pe­di e re­ce­be­reis. Bus­cai e acha­reis. Ba­tei e abrir-se-vos-á’. Eu ba­to, pro­cu­ro e pe­ço es­ta gra­ça que me é tão ne­ces­sá­ria (pe­dir a gra­ça). Tu­do pa­ra mai­or gló­ria de Deus e bem de vos­sos fi­lhos. Amém.” Nas con­tas pe­que­nas, di­ga: “Sa­gra­do Co­ra­ção de Je­sus, eu con­fio em vós.” Ao fi­nal, re­ze uma Salve-Rai­nha.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.