Es­tres­se x ro­ti­na ali­men­tar

Malu - - PLANEJAMENTO -

Oes­tres­se e a an­si­e­da­de são con­si­de­ra­dos os gran­des ma­les do sé­cu­lo. Se­gun­do da­dos da Li­ga Aca­dê­mi­ca de Saúde Men­tal (LISAN), da Uni­ver­si­da­de Fe­de­ral de Uber­lân­dia (MG), 80% da po­pu­la­ção mun­di­al é afe­ta­da pe­la an­si­e­da­de. E de acor­do com o le­van­ta­men­to da As­so­ci­a­ção In­ter­na­ci­o­nal de Ge­ren­ci­a­men­to de Es­tres­se (ISMA), o Bra­sil é o se­gun­do país com o mai­or ní­vel de es­tres­se do mun­do – 70% da po­pu­la­ção bra­si­lei­ra so­fre com o pro­ble­ma. Com a ro­ti­na atri­bu­la­da e a pres­são psi­co­ló­gi­ca, há­bi­tos sau­dá­veis co­mo pra­ti­car exer­cí­ci­os e até mes­mo fa­zer uma re­fei­ção ba­lan­ce­a­da são dei­xa­dos de la­do sem se­quer nos dar­mos con­ta. E en­tre as res­pos­tas bi­o­ló­gi­cas ao es­tres­se es­tão o au­men­to de ape­ti­te e o ga­nho de pe­so. Ve­ja as di­cas de Ca­ro­li­na Pi­men­tel, Ph.D em ci­ên­cia da nu­tri­ção e mem­bro do Con­se­lho Con­sul­ti­vo de Nu­tri­ção da Her­ba­li­fe Nu­tri­ti­on, pa­ra aju­dar a ter um dia a dia mais equi­li­bra­do.

Man­te­nha uma ro­ti­na de ali­men­ta­ção

Hon­re a fo­me e te­nha sem­pre à mão pe­que­nos lan­ches pa­ra con­su­mir en­tre as prin­ci­pais re­fei­ções. Além de for­ne­cer a quan­ti­da­de ne­ces­sá­ria de ener­gia pa­ra o cor­po se man­ter ati­vo du­ran­te o dia to­do, ace­le­ra o me­ta­bo­lis­mo, con­tri­bui pa­ra o bom fun­ci­o­na­men­to da men­te e pa­ra o con­tro­le das emo­ções. Fra­ci­o­nar re­fei­ções tam­bém é im­por­tan­te pa­ra con­tro­lar o ní­vel de açú­car no san­gue e com­ba­ter a an­si­e­da­de. Uma boa al­ter­na­ti­va é op­tar por bar­ras de pro­teí­na ou de nuts (cas­ta­nhas): além de se­rem fon­te de nu­tri­en­tes im­por­tan­tes, são de­li­ci­o­sas!

Re­fei­ções leves

Ter uma ali­men­ta­ção equi­li­bra­da é es­sen­ci­al pa­ra man­ter um es­ti­lo de vi­da sau­dá­vel. Con­tu­do, quan­do es­ta­mos mui­to es­tres­sa­dos, ten­de­mos a sair da ro­ti­na e não pres­tar aten­ção na qua­li­da­de ou va­lor nu­tri­ci­o­nal dos ali­men­tos. Por is­so, es­co­lha pra­tos mais leves, co­mo sa­la­das e car­nes ma­gras, e op­te por grãos in­te­grais. Ca­so não te­nha tem­po pa­ra se ali­men­tar cor­re­ta­men­te, os subs­ti­tu­tos par­ci­ais de re­fei­ção, co­mo sha­kes, po­dem ser bo­as op­ções, pois além de se­rem de rá­pi­do pre­pa­ro, pro­por­ci­o­nam nu­tri­en­tes na me­di­da cer­ta com ca­lo­ri­as con­tro­la­das.

Apos­te no ôme­ga-3 co­mo um ali­a­do

O ôme­ga-3 é um con­jun­to de áci­dos gra­xos ex­traí­dos, ge­ral­men­te, de pei­xes de águas pro­fun­das, co­mo sar­di­nha, atum, sal­mão, que se ali­men­tam de pe­que­nos crus­tá­ce­os e al­gas. Quan­do con­su­mi­do, ele é ca­paz de ge­rar um im­pac­to po­si­ti­vo na an­si­e­da­de ao re­du­zir os ní­veis de cor­ti­sol e no­ra­dre­na­li­na (de­sen­ca­de­a­do­res do es­tres­se) e au­men­tar as li­ga­ções de do­pa­mi­na (neu­ro­trans­mis­sor do pra­zer), me­lho­ran­do a to­le­rân­cia ao es­tres­se. É pos­sí­vel en­con­trar o ôme­ga-3 tam­bém em ole­a­gi­no­sas, co­mo pis­ta­che, ave­lãs, amên­do­as e no­zes. Além dis­so, ele es­tá pre­sen­te nas se­men­tes de li­nha­ça e chia. Mas pa­ra ga­ran­tir a in­ges­tão re­co­men­da­da des­se nu­tri­en­te, tam­bém va­le apos­tar nas cáp­su­las de ôme­ga-3.

Be­ba água re­gu­lar­men­te

A in­ges­tão de água é es­sen­ci­al pa­ra o bom fun­ci­o­na­men­to do or­ga­nis­mo. Além de hi­dra­tar, ela aju­da a di­mi­nuir o ape­ti­te e a com­pul­são ali­men­tar cau­sa­da pe­lo es­tres­se. A uti­li­za­ção de chás tam­bém é uma óti­ma me­di­da pa­ra aju­dar a acal­mar e re­la­xar o cor­po, pro­por­ci­o­nan­do uma sen­sa­ção de con­for­to e bem-es­tar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.