Mu­lhe­rão!

Na pe­le da fo­go­sa Ri­ta de Cás­sia, em O Sé­ti­mo Gu­ar­dião, Flá­via Ales­san­dra pro­va, mais uma vez, que é uma atriz que pri­mei­ra li­nha!

Malu - - Nossa Capa -

Flá­via Ales­san­dra tem um cur­rí­cu­lo in­ve­já­vel: aos 44 anos, ela já es­te­ve em mais de 20 pro­du­ções da TV Glo­bo e atu­al­men­te vi­ve Ri­ta de Cás­sia, na tra­ma O Sé­ti­mo Gu­ar­dião. Na no­ve­la, ela é uma mu­lher fo­go­sa, que li­da com a fan­ta­sia se­xu­al do ma­ri­do, Ma­cha­do (Mi­lhem Cor­taz), que gos­ta de usar cal­ci­nha na in­ti­mi­da­de. Com uma his­tó­ria pra lá de en­vol­ven­te, o fo­lhe­tim vem con­quis­tan­do os te­les­pec­ta­do­res das no­ve e, por is­so, Ma­lu ba­teu um pa­po com a atriz pa­ra sa­ber co­mo es­tá sen­do vi­ver es­se mo­men­to pra lá de es­pe­ci­al. Con­fi­ra!

O que vo­cê es­tá achan­do da his­tó­ria de OSé­ti­mo Gu­ar­dião?

“Eu co­nhe­ci o Agui­nal­do Sil­va na épo­ca de A In­do­ma­da e Por­to dos Mi­la­gres, e eu amo es­se es­ti­lo que ele es­cre­ve. Eu acho que a gen­te es­tá pre­ci­san­do des­sa coi­sa de po­der so­nhar, de ti­rar os pés do chão. Es­tá tu­do tão di­fí­cil, tão du­ro e ár­duo, que es­tá sen­do um pra­zer enor­me par­ti­ci­par des­sa tra­ma.”

Vo­cê faz uma per­so­na­gem di­fe­ren­te e bem sen­su­al. Co­mo es­tá sen­do pa­ra vo­cê?

“A Ri­ta de Cás­sia é es­se mu­lhe­rão sem se dar con­ta do que é. E é al­go mui­to na­tu­ral ne­la. Eles são mui­to bem-re­sol­vi­dos co­mo ca­sal, en­tão, a gen­te achou um ca­mi­nho de­li­ca­do e su­til, que se tor­na co­mé­dia pe­lo que é. Mas es­ta­mos fa­zen­do tu­do com mui­ta sin­ce­ri­da­de, pai­xão e te­são de ver­da­de!”

É di­fe­ren­te pa­ra vo­cê es­sa his­tó­ria do ma­ri­do usar cal­ci­nha?

“É di­fe­ren­te, mas a gen­te en­con­trou aí um pon­to que é uma fan­ta­sia, e não tem re­gras pa­ra fan­ta­sia. O que faz is­so ser cer­to ou não? Não exis­te, é ape­nas um con­sen­so do ca­sal. O fa­to é que, quan­do a gen­te co­me­ça a co­lo­car na ba­lan­ça qu­em es­tá cer­to ou qu­em es­tá er­ra­do, é mui­to cu­ri­o­so, por­que não exis­te uma re­gra do que se po­de pa­ra uma fan­ta­sia.”

Ela so­nha em ser uma atriz in­ter­na­ci­o­nal?

“O so­nho de­la é bem di­fe­ren­te do que eu so­nha­va. Eu que­ria ser uma atriz e vi­ver da mi­nha pro­fis­são. Ela já quer ser uma atriz in­ter­na­ci­o­nal de ci­ne­ma. Che­ga a bei­rar o pa­té­ti­co, por­que ela re­al­men­te acre­di­ta que is­so vai acon­te­cer, ain­da mais por ela ser ca­sa­da com o de­le­ga­do da ci­da­de e ele ser mui­to in­flu­en­te. Mas eu, Flá­via, não ve­jo des­sa for­ma pa­té­ti­ca. Eu acho viá­vel e até mui­to fo­fo por par­te da per­so­na­gem.”

O que gos­ta­ria de fa­zer co­mo atriz?

“Eu te­nho mui­ta von­ta­de de fa­zer uma vi­lã no ho­rá­rio das no­ve. As vi­lãs des­te ho­rá­rio vão mais a fun­do. Fi­ca a di­ca pa­ra os au­to­res (ri­sos).”

Qu­al o ba­lan­ço que vo­cê faz ho­je em dia da sua car­rei­ra?

“Mui­ta coi­sa mu­dou e pas­sou mui­to rá­pi­do. É uma lou­cu­ra co­mo tu­do cres­ceu, mas é co­mo se eu es­ti­ves­se de fa­to co­me­çan­do ago­ra, a ten­são e o ner­vo­sis­mo são sem­pre os mes­mos. São trin­ta anos e se vo­cê per­gun­tar pa­ra mim se eu te­nho mais tran­qui­li­da­de pa­ra en­trar em ce­na, eu vou di­zer que não.”

Mos­tran­do to­da sua be­le­za na fes­ta de O Sé­ti­mo Gu­ar­dião

Po­san­do com Mi­lhem Cor­taz, que in­ter­pre­ta Ma­cha­do, seu ma­ri­do que ado­ra usar cal­ci­nha na tra­ma

Com a tur­ma do Ví­deo Show, quan­do re­ce­beu uma lin­da ho­me­na­gem pe­la sua car­rei­ra

Fa­mí­lia com­ple­ta: ao la­do de Ota­vi­a­no, Giu­lia e Olí­via

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.