GMs apren­dem a usar pis­to­la que dá cho­que

Ar­mas que dis­pa­ram 50 mil volts de­vem vol­tar a ser usa­das nas ru­as es­te mês

Meiahora - RJ - - GERAL - LUIZ PORTILHO [email protected]­aho­ra.com

AGuar­da Mu­ni­ci­pal do Rio (GM-Rio) en­cer­ra ho­je a ca­pa­ci­ta­ção de 60 agen­tes ha­bi­li­ta­dos pa­ra ins­truir os co­le­gas no uso das mil pis­to­las elé­tri­cas in­ca­pa­ci­tan­tes en­tre­gues pe­la em­pre­sa Con­dor Tec­no­lo­gi­as Não-Le­tais à cor­po­ra­ção. O ma­te­ri­al usa­do pa­ra a imo­bi­li­za­ção por meio de cho­que elé­tri­co de­ve vol­tar às ru­as ain­da es­te mês, mas ge­ra pre­o­cu­pa­ção.

A pis­to­la Spark Z 2.0 tem dois mó­du­los. Um, de­no­mi­na­do in­ca­pa­ci­tan­te, dis­pa­ra dar­dos, com fi­os de até oi­to me­tros, que se pren­dem ao cor­po e per­mi­tem o cho­que. Ou­tro, cha­ma­do re­pe­len­te, trans­mi­te o cho­que por con­ta­to di­re­to. A du­ra­ção de ca­da cho­que, de 50 mil volts, é de cin­co se­gun­dos.

Se­gun­do o che­fe do De­par­ta­men­to­deAr­rit­mi­asCar­día­cas­do Hos­pi­tal da Be­ne­fi­cên­cia Portuguesa de São Pau­lo, Si­las Gal­vão, o uso do equi­pa­men­to em uma pes­soa com pro­ble­mas car­día­cos po­de­cau­sa­ra­mor­te.“Ou­so­des­sa ar­ma em um in­di­ví­duo nor­mal re­pre­sen­ta um ris­co des­pre­zí­vel, do pon­to de vis­ta es­ta­tís­ti­co. Pa­ra um­pa­ci­en­te­com­pro­ble­mas­car­día­cos sé­ri­os, que já te­ve in­far­to, ou que te­nha ar­rit­mia car­día­ca, re­pre­sen­ta pe­ri­go, po­de ser fa­tal”, alerta o car­di­o­lo­gis­ta.

A Con­dor re­co­men­da que se­jam ape­nas dois dis­pa­ros por al­vo, mi­ran­do tron­co, cos­tas ou per­nas. Ca­be­ça, pes­co­ço, sei­os e ge­ni­tá­lia não de­vem ser al­vos.

DIVULGAÇÃO

As pis­to­las imo­bi­li­zam o sus­pei­to por meio de des­car­ga elé­tri­ca de al­ta vol­ta­gem e cur­ta du­ra­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.