O BÊ­BA­DO

Meiahora - RJ - - ALTO-ASTRAL -

O bê­ba­do en­tra num bar e pe­de três do­ses de uís­que. O gar­çom ser­ve a be­bi­da. Ele to­ma tu­do e vol­ta a pe­dir mais três do­ses. No­va­men­te, o gar­çom aten­de ao pe­di­do. O bê­ba­do vol­ta a to­mar tu­do de uma vez. Sur­pre­so, o gar­çom olha pa­ra o cli­en­te e diz:

— O se­nhor sa­be que is­so não faz bem!

— Eu sei, es­pe­ci­al­men­te com o que eu te­nho!

— E o que o se­nhor tem? — Só um re­al... mi­nha mu­lher be­beu uma jar­ra in­tei­ra de su­co em ca­sa. Quan­do che­guei em ca­sa, por vol­ta das 4 ho­ras da ma­dru­ga­da, eu es­ta­va tran­qui­lo, sos­se­ga­do, to­do bo­bo e fe­liz da vi­da. Já mi­nha mu­lher apre­sen­ta­va si­nais de irritação, fa­lan­do al­to e me agre­din­do com pa­la­vras, sem fa­lar coi­sa com coi­sa, ati­ran­do ob­je­tos pa­ra to­dos os la­dos, to­tal­men­te des­con­tro­la­da. Com is­so, che­guei à se­guin­te con­clu­são: não be­bo mais su­co! Nun­ca mais! Só cer­ve­ja! Su­co é mais pe­ri­go­so que cer­ve­ja!

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.