VO­CÊ É HIPNOTIZÁVEL?

Mente Curiosa - - EDITORIAL -

Se há quem ve­ja a hip­no­se co­mo pu­ra en­ga­na­ção, há tam­bém quem te­nha me­do, por te­mer ser do­mi­na­do con­tra sua von­ta­de. Acon­te­ce que di­fe­ren­tes pes­so­as po­dem res­pon­der me­lhor ou não às téc­ni­cas. Pen­san­do nis­so, psi­có­lo­gos da Uni­ver­si­da­de de Stan­ford, nos Es­ta­dos Uni­dos, ela­bo­ra­ram, no fi­nal da dé­ca­da de 1950, as Es­ca­las de Sus­ce­ti­bi­li­da­de Hip­nó­ti­ca de Stan­ford. Uma de su­as ver­sões traz 12 tes­tes a se­rem sub­me­ti­dos os hip­no­ti­za­dos. Um de­les ava­lia se o bra­ço es­ten­di­do da pes­soa re­al­men­te se en­ver­ga quan­do lhe é pas­sa­da a fal­sa in­for­ma­ção de que es­tá se­gu­ran­do al­go mui­to pe­sa­do. Em ou­tro, o in­di­ví­duo é le­va­do a acre­di­tar no zum­bi­do de uma mos­ca ine­xis­ten­te. No úl­ti­mo exer­cí­cio (o mais di­fí­cil de se ob­ter su­ces­so), é pe­di­do ao hip­no­ti­za­do que se es­que­ça de tu­do que acon­te­ceu du­ran­te a hip­no­se. A mai­o­ria das pes­so­as res­pon­de po­si­ti­va­men­te pa­ra 5 a 7 dos tes­tes e 95% de­las pon­tu­am em ao me­nos um de­les. Os es­tu­di­o­sos ain­da ob­ser­va­ram que, mes­mo com a re­pe­ti­ção dos tes­tes após dé­ca­das, a pon­tu­a­ção mé­dia de uma pes­soa não so­fre al­te­ra­ção sig­ni­fi­ca­ti­va.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.