EU GOS­TO

A apre­sen­ta­do­ra Glen­da Koz­lows­ki mos­tra que co­nhe­ce bem os sa­bo­res do país-se­de da Co­pa do Mun­do

Menu - - Menu - por Cin­tia Oli­vei­ra

Glen­da Kos­lows­ki co­nhe­ce bem os sa­bo­res da Rús­sia

A com­pe­ti­ção só co­me­ça nes­te mês, mas a apre­sen­ta­do­ra Glen­da Koz­lows­ki já te­ve um ape­ri­ti­vo do que se­rá a Co­pa do Mun­do, quan­do es­te­ve na Rús­sia gra­van­do o pro­gra­ma As Ma­tri­os­kas (exi­bi­do pe­los canais pa­gos GNT e SportTV e pe­la Re­de Glo­bo), no fi­nal do ano pas­sa­do. Ela des­bra­vou o país na com­pa­nhia de Na­di­ne, Ve­ra e Ane, as mães de Neymar, Ga­bri­el Jesus e Fer­nan­di­nho, res­pec­ti­va­men­te, jo­ga­do­res da se­le­ção bra­si­lei­ra. Por lá, te­ve a opor­tu­ni­da­de de ex­pe­ri­men­tar di­ver­sos sa­bo­res rus­sos, co­mo con­ta a se­guir:

Pelo seu so­bre­no­me, vo­cê tem al­gu­ma li­ga­ção com a Rús­sia?

Sou ne­ta de po­lo­nês e meu pai, que é in­glês, cos­tu­ma­va co­zi­nhar re­cei­tas co­mo a so­pa bors­ch, à ba­se de be­ter­ra­ba e car­ne. Quan­do pro­vei na Rús­sia, me sen­ti em ca­sa. Is­so também acon­te­ceu quan­do co­mi pel­me­ni, mas­sa bem fi­ni­nha que po­de ter di­ver­sos re­chei­os, que ele pre­pa­ra­va com co­gu­me­los. São sa­bo­res da mi­nha in­fân­cia.

Quais fo­ram as ex­pe­ri­ên­ci­as mais mar­can­tes à me­sa?

Pro­va­mos o autêntico es­tro­go­no­fe rus­so, que tem um sa­bor mui­to pa­re­ci­do com o nos­so, mas a di­fe­ren­ça é que eles usam sme­ta­na (cre­me aze­do) no lu­gar do cre­me de lei­te. E os rus­sos ser­vem o pra­to com ba­ta­tas co­zi­das ou pu­rê – ar­roz, nem pen­sar. Ou­tra cu­ri­o­si­da­de é que dá pa­ra co­mer ca­vi­ar por pre­ço su­per em con­ta em fei­ras de comida de rua pró­xi­mas do cen­tro de Moscou. E pro­va­mos os me­lho­res ca­vi­a­res do mun­do no shop­ping Gum, um dos mais so­fis­ti­ca­dos do pla­ne­ta. Além dis­so, fo­mos vi­si­tar o Vod­ka Museum, também na ca­pi­tal, on­de é pos­sí­vel co­nhe­cer a his­tó­ria e des­co­brir cu­ri­o­si­da­des so­bre a be­bi­da, tão im­por­tan­te pa­ra os rus­sos.

Quan­do vi­a­ja pa­ra co­brir eventos es­por­ti­vos, costuma pro­var os sa­bo­res lo­cais?

Ad­mi­to que sou mui­to fresca pa­ra co­mer. Gos­to do bom ar­roz com fei­jão, pu­rê de ba­ta­tas, uma mas­si­nha, ca­ma­rão e olhe lá. Co­mi mui­to bem na Ale­ma­nha quan­do co­bri a Co­pa de 2006, mas pas­sei o mai­or per­ren­gue na Olim­pía­da de Pe­quim, em 2008: era tu­do mui­to exó­ti­co e, mui­tas ve­zes, fi­quei à ba­se de bo­la­chi­nha e água.

Vol­ta­rá à Rús­sia pa­ra a Co­pa do Mun­do?

Sim! Pre­ten­do tra­zer sme­ta­na, que ado­rei, e também mais vod­ca e ca­vi­ar, cla­ro.

“Muitos dos sa­bo­res leM­bra­raM a Mi­nha in­fân­cia”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.