CO­MO É DIRIGIR COM O PNEU RUN FLAT “FU­RA­DO”?

Metro Brasil (ABC) - - MOTOR -

Ini­ci­al­men­te, per­cor­re­mos cer­ca de 100 quilô­me­tros no as­fal­to en­tre a ci­da­de de Por­to Fe­liz, São Pau­lo, com os pneus Run Flat in­fla­dos na pres­são re­co­men­da­da, até o cam­po de pro­vas da Ford em Ta­tuí, (SP). O ro­dar é um pou­co mais ás­pe­ro do que um pneu con­ven­ci­o­nal. As im­per­fei­ções do as­fal­to são trans­mi­ti­das sem exa­ge­ro pa­ra den­tro do car­ro. É su­til, mas per­cep­tí­vel.

Na pis­ta de tes­tes, ro­da­mos com o pneu sem pres­são e não fos­se o in­di­ca­dor no qua­dro de ins­tru­men­tos se­ria di­fí­cil per­ce­ber que ha­via al­go er­ra­do, pois o com­por­ta­men­to di­nâ­mi­co per­ma­ne­ce pra­ti­ca­men­te inal­te­ra­do. Na pro­va de sla­lom – na qual o car­ro pas­sa por co­nes en­fi­lei­ra­dos pa­ra si­mu­lar si­tu­a­ção ex­tre­ma de des­vio -, per­ce­be-se li­gei­ra al­te­ra­ção no com­por­ta­men­to di­nâ­mi­co. Con­tro­le de es­ta­bi­li­da­de en­tra em ação pa­ra man­ter a tra­je­tó­ria. Em se­gui­da, ro­da­gem com um pneu tra­sei­ro fu­ra­do pro­po­si­tal­men­te. Si­tu­a­ção idên­ti­ca à do pneu sem pres­são.

Por fim, ro­da­gem com os pneus tra­sei­ros fu­ra­dos. Nes­sa con­di­ção, o con­tro­le de es­ta­bi­li­da­de atua fir­me­men­te pa­ra man­ter a tra­je­tó­ria do car­ro, di­mi­nuin­do dras­ti­ca­men­te a ve­lo­ci­da­de de 80 km/h ini­ci­ais pa­ra ter­mi­nar a pro­va de sla­lon a 50 km/h. Afi­nal, tra­ta-se de si­tu­a­ção ex­tre­ma, mas sus­ce­tí­vel de ocor­rer nas inú­me­ras cra­te­ras de ru­as e es­tra­das na­ci­o­nais.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.