GIL, LUTAS E DANÇA

GRUPO CORPO SE INSPIRA NO ESPÍRITO GUERREIRO DO COMPOSITOR BAIANO EM NOVO ESPETÁCULO

Metro Brazil (ABC) - - PRIMEIRA PÁGINA - AMANDA QUEIRÓS

As tri­lhas dos es­pe­tá­cu­los do Grupo Corpo já fo­ram as­si­na­das por em­bai­xa­do­res da mú­si­ca bra­si­lei­ra co­mo Ca­e­ta­no Ve­lo­so, Tom Zé, Ar­nal­do An­tu­nes, João Bos­co e Zé Mi­guel Wis­nik. Di­an­te des­se ti­me, che­ga a sur­pre­en­der que, até ho­je, a com­pa­nhia mi­nei­ra ain­da não ti­ves­se es­ca­la­do Gil­ber­to Gil pa­ra in­te­grar o ti­me de com­po­si­to­res de seus ba­lés.

A la­cu­na co­me­ça a ser pre­en­chi­da na quar­ta-fei­ra com a es­treia de “Gil”, que abre a Tem­po­ra­da de Dança do Te­a­tro Al­fa, na ca­pi­tal.

Em ge­ral, os es­pe­tá­cu­los do Corpo são no­me­a­dos no úl­ti­mo mi­nu­to. Es­te, por sua vez, foi ba­ti­za­do já de par­ti­da pe­lo di­re­tor ge­ral do grupo, Pau­lo Pe­der­nei­ras.

O tí­tu­lo en­tre­ga a pro­pos­ta de exal­ta­ção da tra­je­tó­ria mu­si­cal do ar­tis­ta baiano. O de­sa­fio do co­reó­gra­fo Ro­dri­go Pe­der­nei­ras, por­tan­to, foi tra­du­zir es­se le­ga­do em dança.

“Não se tem mui­ta ‘pe­ga’ pa­ra fa­zer um tra­ba­lho as­sim. É abs­tra­ção to­tal!”, diz ele.

Em­ba­la­do pe­lo que ex­plo­rou em “Gi­ra” (2017), no qual pes­qui­sou a um­ban­da, o co­reó­gra­fo en­con­trou o es­ta­lo pa­ra a no­va cri­a­ção em ges­tos as­so­ci­a­dos a Xangô, ori­xá de Gil no can­dom­blé.

“Achei le­gal por­que são mo­vi­men­tos que pa­re­cem um cha­ma­do pa­ra a lu­ta, e tu­do o que Gil deu e cri­ou pa­ra es­se país de­mons­tra que ele é um lu­ta­dor”, com­ple­ta.

Cri­a­da ao la­do de Bem Gil, a tri­lha foi es­tru­tu­ra­da em qua­tro par­tes que in­cor­po­ram frag­men­tos de can­ções já co­nhe­ci­das e mer­gu­lham no cal­dei­rão de in­fluên­ci­as so­no­ras em tor­no do qual gi­ra a obra mu­si­cal do ho­me­na­ge­a­do.

“Ele cha­ma um te­ma an­ti­go e, de re­pen­te, sa­em coi­sas com­ple­ta­men­te ines­pe­ra­das. Ele se re­no­va a ca­da mo­men­to, é fe­no­me­nal”, elo­gia Ro­dri­go, pa­ra quem Gil é a “sín­te­se da cul­tu­ra bra­si­lei­ra”.

O re­sul­ta­do é um tra­ba­lho to­tal­men­te pa­ra ci­ma, que di­vi­de a noi­te com “Se­te ou Oi­to Pe­ças pa­ra um Ba­lé” (1994), cri­a­da a par­tir da tri­lha com­pos­ta por Phi­lip Glass em par­ce­ria com o Uak­ti. “Fi­ze­mos com um ca­ri­nho da­na­do, e acho que deu cer­to. Es­pe­ro que ele gos­te”, tor­ce o co­reó­gra­fo.

JO­SÉ LUIZ PE­DER­NEI­RAS/DI­VUL­GA­ÇÃO

Fi­gu­ri­nos de Freu­sa Ze­ch­meis­ter con­têm apli­ca­ções ins­pi­ra­das na obra da ar­tis­ta plás­ti­ca Jo­a­na Li­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.