‘Jus­ti­ça não se omi­ti­rá em di­zer que hou­ve ex­ces­so’

Pre­si­den­te do STF, Di­as To­fol­li dis­se on­tem que ‘es­ta­do ten­de a ser au­to­ri­tá­rio’, mas que o Ju­di­ciá­rio de­ve ga­ran­tir os di­rei­tos bá­si­cos. Su­pre­mo de­ci­de ho­je a for­ma de apli­ca­ção da te­se que po­de anu­lar con­de­na­ções da La­va Ja­to

Metro Brazil (ABC) - - BRASIL -

Pre­si­den­te do STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral), o mi­nis­tro Di­as Tof­fo­li dis­se em ce­rimô­nia no CNJ (Con­se­lho Na­ci­o­nal de Jus­ti­ça) que o es­ta­do “tem uma ten­dên­cia de ser au­to­ri­tá­rio”, mas que o Ju­di­ciá­rio “não vai se omi­tir em di­zer que hou­ve ex­ces­sos, abu­sos e em ga­ran­tir a ci­da­da­nia e di­rei­tos in­di­vi­du­ais”.

A de­cla­ra­ção foi da­da on­tem, na vés­pe­ra da re­to­ma­da do jul­ga­men­to em que o STF de­ci­di­rá a for­ma de apli­ca­ção da te­se que po­de le­var à anu­la­ção de con­de­na­ções pe­la ope­ra­ção La­va Ja­to, co­mo a do ex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va (PT).

O Su­pre­mo já for­mou na se­ma­na pas­sa­da a mai­o­ria ne­ces­sá­ria pa­ra acei­tar a te­se de que réus de­la­ta­dos de­vem apre­sen­ta­rem as ale­ga­ções fi­nais de­pois do que réus de­la­to­res no mes­mo pro­ces­so, pa­ra ga­ran­tir o di­rei­to da am­pla de­fe­sa.

Es­se no­vo en­ten­di­men­to sig­ni­fi­ca uma der­ro­ta pa­ra a La­va Ja­to, que ado­tou em boa par­te das con­de­na­ções o mes­mo pra­zo pa­ra as ale­ga­ções fi­nais dos réus – que é o que de­ter­mi­na a lei.

Mo­du­la­ção

O jul­ga­men­to se­rá re­to­ma­do com os vo­tos res­tan­tes, dos mi­nis­tros Di­as Tof­fo­li e Marco Aurélio Mel­lo, que vão me­xer no pla­car, mas não al­te­ram o re­sul­ta­do, até aqui em 6 x 3 a fa­vor da te­se.

O mais im­por­tan­te ho­je se­rá a de­fi­ni­ção pe­los mi­nis­tros de co­mo a re­gra se­rá apli­ca­da, o que de­ter­mi­na­rá quem po­de­rá ser be­ne­fi­ci­a­do.

O mi­nis­tro Gil­mar Men­des de­fen­deu on­tem que a te­se te­nha efei­to só pa­ra os ca­sos em que a de­fe­sa do réu te­nha fei­to pe­di­do pa­ra se pro­nun­ci­ar por úl­ti­mo na pri­mei­ra ins­tân­cia e cu­ja so­li­ci­ta­ção te­nha si­do ne­ga­da.

Ou­tra pos­si­bi­li­da­de é de que o no­vo en­ten­di­men­to te­nha va­li­da­de só pa­ra o réu que com­pro­var que foi pre­ju­di­ca­do por não ter po­di­do se ma­ni­fes­tar por úl­ti­mo ou, ain­da, só pa­ra ca­sos no­vos e não jul­ga­dos.

| NEL­SON JR/SCO/STF

Jul­ga­men­to foi ini­ci­a­do se­ma­na pas­sa­da com vo­tos de 9 mi­nis­tros

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.