Will Smith “jo­vem”

Metro Brazil (ABC) - - CULTURA -

O que mar­ca mais na produção é a tec­no­lo­gia em­pre­ga­da, em 3D+ (leia ao la­do) e a cri­a­ção do per­so­na­gem Ju­ni­or. Ao con­trá­rio de fil­mes re­cen­tes, on­de ato­res fo­ram re­ju­ve­nes­ci­dos tec­no­lo­gi­ca­men­te, co­mo Ro­bert Dow­ney Jr. em “Vin­ga­do­res”, aqui, Will no pa­pel jo­vem foi to­tal­men­te fei­to em CGI com ba­se em sua in­ter­pre­ta­ção.

“Mes­mo em 60 fra­mes por se­gun­do, e não 120 em 2K, é uma téc­ni­ca di­fe­ren­te de se as­sis­tir um fil­me nor­mal. Acho que, por con­ta dis­so, me fez que­rer cri­ar o Ju­ni­or, por­que não po­de­mos co­lo­car ma­qui­a­gem, apa­gar ru­gas e fa­zer um pen­te­a­do di­fe­ren­te só pa­ra cha­mar de ‘mais jo­vem’. Nem es­ca­lar o fi­lho de Will Smith e cha­má-lo de ‘clo­ne’. Es­sa mí­dia não per­mi­te is­so”, ex­pli­ca Lee.

DIVULGAÇÃO

Smith atu­an­do no efei­to CGI

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.