Mas­sa­cre dos ju­ros con­ti­nua: Se­lic cai a 5%

Cor­te do BC é o ter­cei­ro se­gui­do, e ta­xa é a me­nor da his­tó­ria; sai­ba on­de in­ves­tir com es­te ce­ná­rio

Metro Brazil (ABC) - - PRIMEIRA PÁGINA -

Di­an­te do ce­ná­rio de fra­que­za da eco­no­mia e de in­fla­ção bai­xa, o Co­pom (Co­mi­tê de Po­lí­ti­ca Mo­ne­tá­ria) do Ban­co Cen­tral re­du­ziu a ta­xa bá­si­ca de ju­ros em 0,5 pon­to per­cen­tu­al, a 5% ao ano. Foi o ter­cei­ro cor­te con­se­cu­ti­vo des­sa mag­ni­tu­de.

Com is­so, a Se­lic atin­ge uma no­va mí­ni­ma da sé­rie his­tó­ri­ca do Co­pom, ini­ci­a­da em ju­nho de 1996. A de­ci­são foi unâ­ni­me e já era es­pe­ra­da pe­lo mer­ca­do fi­nan­cei­ro.

O Ban­co Cen­tral in­di­cou ain­da que de­ve­rá re­a­li­zar no­vo cor­te de igual ta­ma­nho em sua pró­xi­ma e úl­ti­ma reu­nião des­te ano, em de­zem­bro, le­van­do a ta­xa de ju­ros a 4,5% ao ano.

“O Co­mi­tê ava­lia que a con­so­li­da­ção do ce­ná­rio be­nig­no pa­ra a in­fla­ção pros­pec­ti­va de­ve­rá per­mi­tir um ajus­te adi­ci­o­nal, de igual mag­ni­tu­de”, trou­xe o co­mu­ni­ca­do do Ban­co Cen­tral.

Ain­da as­sim, o Co­pom ava­li­ou que o atu­al es­tá­gio do ci­clo econô­mi­co re­co­men­da cau­te­la em even­tu­ais no­vos ajus­tes no grau de es­tí­mu­lo.

O BC tam­bém re­pe­tiu que, a des­pei­to da si­na­li­za­ção da­da, seus pró­xi­mos pas­sos con­ti­nu­a­rão de­pen­den­do da evo­lu­ção da ati­vi­da­de econô­mi­ca, do ba­lan­ço de ris­cos e das pro­je­ções e ex­pec­ta­ti­vas de in­fla­ção.

Pa­ra Thi­a­go Mon­te­mez­zo, só­cio da Mes­sem In­ves­ti­men­tos, o no­vo cor­te da Se­lic po­de aju­dar a eco­no­mia a cres­cer. “Nos­sa in­fla­ção es­tá ca­da vez mais bai­xa, ca­da vez mais abai­xo da me­ta. A re­du­ção das ta­xas de ju­ros po­de pu­xar a eco­no­mia pa­ra ci­ma”, dis­se.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.