A CO­PA EM 3D

Tor­ce­dor pin­ta rua com ima­gem em três di­men­sões e ga­nha as mí­di­as so­ci­ais

Metro Brazil (ABC) - - PRIMEIRA PÁGINA -

Pa­ra quem pas­sa des­per­ce­bi­do pe­la rua Jo­sé das Ne­ves San­tos, na Vi­la Li­vei­ro, na ca­pi­tal, pró­xi­ma à di­vi­sa com São Ber­nar­do, o de­se­nho da ban­dei­ra do Bra­sil apa­ren­ta ser ape­nas mais um en­tre ou­tros que en­fei­tam o bair­ro à es­pe­ra da Co­pa do Mun­do da Rús­sia, que co­me­ça ama­nhã. Mas olhan­do de um pon­to es­pe­cí­fi­co ou com a aju­da de um ce­lu­lar ou uma câ­me­ra fo­to­grá­fi­ca, a pin­tu­ra cria vi­da e pa­re­ce sair do chão. Do­no do gra­fi­te, o autô­no­mo Da­ni­el Ri­bei­ro, 41 anos, ex­pli­ca que es­sa sen­sa­ção acon­te­ce por cau­sa da téc­ni­ca de de­se­nho em 3D.

A pin­tu­ra, que tem apro­xi­ma­da­men­te de 12 me­tros de com­pri­men­to, foi fei­ta por Ri­bei­ro no do­min­go e le­vou cer­ca de 10 ho­ras pa­ra ser fi­na­li­za­da. Qu­an­do ter­mi­nou, ti­rou uma fo­to e pos­tou em um gru­po no Fa­ce­bo­ok que reú­ne mo­ra­do­res de Di­a­de­ma, ci­da­de que ele já mo­rou. Em al­gu­mas ho­ras, a pu­bli­ca­ção já ti­nha fi­ca­do fa­mo­sa en­tre os par­ti­ci­pan­tes. “Fi­quei sur­pre­so qu­an­do vi. Ti­nha mui­ta gen- te com­par­ti­lhan­do e me dan­do pa­ra­béns. Fo­ram mais de 2 mil cur­ti­das em 30 mi­nu­tos”, dis­se.

Se em ou­tros lu­ga­res as pin­tu­ras pe­las ru­as com as co­res ver­de e ama­re­la já não pre­do­mi­nam co­mo an­ti­ga­men­te, no bair­ro da zo­na sul de São Pau­lo a tra­di­ção ga­nhou for­ça nes­ta se­ma­na. Ri­bei­ro diz que após a fo­to ter vi­ra­li­za­do nas re­des so­ci­ais, ou­tros mo­ra­do­res dos ar­re­do­res se ins­pi­ra­ram e co­me­ça­ram a en­fei­tar as vi­as.

“Vi que ti­nham pou­cas ru­as pin­ta­das e mui­ta gen­te re­cla­man­do da Co­pa. O in­tui­to de se pre­pa­rar pa­ra os jo­gos é a di­ver­são e a brin­ca­dei­ra, in­de­pen­den­te do que es­tá acon­te­cen­do com o Bra­sil. A pin­tu­ra tam­bém é ar­te. Fi­ze­mos uma va­qui­nha com os vi­zi­nhos e a co­mu­ni­da­de to­da aju­dou a com­prar a tin­ta”, ex­pli­cou.

Na ra­ça

A téc­ni­ca de pro­fun­di­da­de pa­ra dei­xar o gra­fi­te tri­di­men­si­o­nal é uti­li­za­da por di­ver­sos ar­tis­tas ao re­dor do mun­do. Um de­les é o mu­ra­lis­ta bra­si­lei­ro Edu­ar­do Ko­bra, re­fe­rên­cia do es­ti­lo.

No en­tan­to, Da­ni­el Ri­bei­ro apren­deu a de­se­nhar des­sa for­ma so­zi­nho e sem fre­quen­tar cur­sos. “Meu equi­pa­men­to é a tin­ta e a ima­gi­na­ção. Eu pe­go um pon­to fi­xo, tra­ço as li­nhas e vou es­ti­can­do o de­se­nho até dar es­sa sen­sa­ção 3D. Apren­di na ra­ça”, afir­mou.

“Não fiz cur­so e não te­nho ne­nhu­ma fer­ra­men­ta es­pe­ci­al. Meu equi­pa­men­to é a tin­ta e a ima­gi­na­ção” DA­NI­EL RI­BEI­RO, AU­TOR DO DE­SE­NHO

AN­DRÉ POR­TO/ME­TRO

Da­ni­el Ri­bei­ro diz que apren­deu a fa­zer os de­se­nhos ‘na ra­ça’

| AN­DRÉ POR­TO/ME­TRO

Da­ni­el Ri­bei­ro de­mo­rou cer­ca de 10 ho­ras pa­ra fi­na­li­zar de­se­nho de 12 me­tros

| LUIZ CAR­LOS MURAUSKAS/FO­LHA­PRESS

Téc­ni­ca é uti­li­za­da pe­lo mu­ra­lis­ta Ko­bra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.