Itá­lia e Fran­ça bri­gam após re­cu­sa de na­vio Pre­si­den­te fran­cês cha­mou de ir­res­pon­sá­vel de­ci­são ita­li­a­na de bar­rar imi­gran­tes

Re­fu­gi­a­dos.

Metro Brazil (ABC) - - MUNDO -

A re­cu­sa ita­li­a­na em re­ce­ber a em­bar­ca­ção Aqua­rius, com 629 re­fu­gi­a­dos a bor­do, ge­rou cri­se di­plo­má­ti­ca com a Fran­ça. As de­cla­ra­ções do pre­si­den­te fran­cês Em­ma­nu­el Ma­cron ir­ri­ta­ram o go­ver­no ita­li­a­no, que exi­ge pe­di­do de des­cul­pas do país vi­zi­nho.

“Aqui te­mos uma de­mons­tra­ção de uma for­ma de ci­nis­mo e de uma par­te de ir­res­pon­sa­bi­li­da­de do go­ver­no ita­li­a­no fren­te a uma si­tu­a­ção hu­ma­ni­tá­ria dra­má­ti­ca”, dis­se Ma­cron an­te­on­tem.

Em res­pos­ta à de­cla­ra­ção, o mi­nis­tro do In­te­ri­or da Itá­lia, Mat­teo Sal­vi­ni, pe­diu pa­ra a Fran­ça pas­sar “das pa­la­vras aos atos”, pa­ra de­mons­trar sua “ge­ne­ro­si­da­de” e aco- lher os imi­gran­tes, in­for­mou a agência “An­sa”. “Nos­sa his­tó­ria não me­re­ce ser afron­ta­da por ex­po­en­tes do go­ver­no fran­cês, os quais es­pe­ro que nos pe­çam des­cul­pas”, dis­se Sal­vi­ni, em dis­cur­so no Se­na­do. “Não qu­e­ro que cri­an­ças en­trem em um bar­co e mor­ram no Me­di­ter­râ­neo por­que al­guém os ilu­diu de que na Itá­lia tem tra­ba­lho e ca­sa pa­ra to­dos. Es­tou far­to”, afir­mou.

Ma­cron vol­tou a se pro­nun­ci­ar on­tem so­bre o ca­so, mas não pe­diu des­cul­pas. “Qu­em pro­cu­ra a pro­vo­ca­ção? Qu­em diz: ‘eu sou mais for­te que os de­mo­cra­tas e man­do em­bo­ra um na­vio que ve­jo che­gar na mi­nha cos­ta’? Se eu dou ra­zão pa­ra uma de­cla­ra­ção as­sim, aju­do a de­mo­cra­cia?”, afir­mou.

Após a po­lê­mi­ca, Ro­ma con­vo­cou o em­bai­xa­dor fran­cês pa­ra con­sul­tas e o mi­nis­tro da Eco­no­mia da Itá­lia, Gi­o­van­ni Tria, anu­lou en­con­tro em Pa­ris, agen­da­do pa­ra on­tem, com seu ho­mó­lo­go no país Bruno Le Mai­re. O en­con­tro en­tre Ma­cron e o pri­mei­ro-mi­nis­tro ita­li­a­no, Giu­sep­pe Con­te, mar­ca­do an­tes da cri­se pa­ra ama­nhã, con­ti­nu­a­va de pé on­tem.

Cri­se mi­gra­tó­ria

Os 629 re­fu­gi­a­dos do Aqua­rius, ope­ra­do pe­las ONGs SOS Me­di­ter­ra­née e Mé­di­cos Sem Fron­tei­ras, fo­ram res­ga­ta­dos com a aju­da da guar­da cos­tei­ra ita­li­a­na no do­min­go.

Mas os go­ver­nos da Itá­lia e de Mal­ta, que eram os mais pró­xi­mos da em­bar­ca­ção, se re­cu­sa­ram a re­ce­ber os imi­gran­tes, em sua mai­o­ria afri­ca­nos. O im­pas­se foi re­sol­vi­do após a Es­pa­nha ofe­re­cer seu ter­ri­tó­rio. O na­vio zar­pou an­te­on­tem com ao me­nos mais qua­tro di­as de na­ve­ga­ção até che­gar ao Porto de Va­lên­cia.

On­tem, um no­vo na­vio, co­man­da­do pe­la guar­da ita­li­a­na com 937 mi­gran­tes, atra­cou no porto de Ca­tâ­nia, na Si­cí­lia

De acor­do com da­dos da ONU, a Fran­ça dá re­fú­gio a 376,7 mil pes­so­as (0,56% de sua po­pu­la­ção) e a Itá­lia abri­ga 292 mil (0,48% de seus ha­bi­tan­tes).

| KARPOV / SOS ME­DI­TER­RA­NEE VIA REUTERS

Aqua­rius re­ce­beu aju­da de ou­tras em­bar­ca­ções ita­li­a­nas pa­ra re­a­li­zar a vi­a­gem até a Es­pa­nha

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.