In­fla­ção de­sa­ce­le­ra em ou­tu­bro

Metro Brazil (Belo Horizonte) - - ECONOMIA -

A in­fla­ção ofi­ci­al fi­cou em 0,45% em ou­tu­bro, an­te 0,48% em se­tem­bro, se­gun­do o IBGE (Ins­ti­tu­to Bra­si­lei­ro de Ge­o­gra­fia e Es­ta­tís­ti­ca). Ape­sar da le­ve de­sa­ce­le­ra­ção, o re­sul­ta­do é o mais ele­va­do pa­ra o mês des­de os 0,82% em 2015.

Em 12 me­ses, o IPCA che­gou a 4,56%, de 4,53% no mês an­te­ri­or, per­ma­ne­cen­do pou­co aci­ma do cen­tro da me­ta de in­fla­ção — de 4,50%, com mar­gem de 1,5 pon­to per­cen­tu­al pa­ra mais ou me­nos.

Em ou­tu­bro, os mai­o­res im­pac­tos fo­ram exer­ci­dos pe­los gru­pos Ali­men­ta­ção e be­bi­das, com al­ta de 0,59%, e Trans­por­tes (0,92%).

O destaque pe­lo se­gun­do mês se­gui­do fo­ram os com­bus­tí­veis, que su­bi­ram 2,44%, mas to­dos os itens apre­sen­ta­ram pres­são me­nor. O eta­nol re­du­ziu a al­ta de 5,42% pa­ra 4,07%, o di­e­sel, de 6,91% pa­ra 2,45%, e a ga­so­li­na, de 3,94% pa­ra 2,18%. “Ain­da que os trans­por­tes te­nham pe­sa- do bas­tan­te, os com­bus­tí­veis aju­da­ram na pe­que­na de­sa­ce­le­ra­ção do IPCA”, ex­pli­cou o ge­ren­te da pes­qui­sa no IBGE, Fer­nan­do Gonçalves.

Em no­vem­bro, os pre­ços de­vem mos­trar ain­da mais alí­vio com a en­tra­da em vi­gor de ban­dei­ra ta­ri­fá­ria ama­re­la nas con­tas de luz. Tam­bém aju­da­rá a con­ter a in­fla­ção a de­ci­são da Pe­tro­bras de re­du­zir o pre­ço mé­dio da ga­so­li­na nas re­fi­na­ri­as em mais de 7% nes­te mês.

| SERGIO MORAES/REU­TERS

Al­ta de pre­ços de ali­men­tos pres­si­o­na ín­di­ce do mês

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.