Li­ci­ta­ção do Ou­ro Verde foi com­bi­na­da, di­zem réus

Paulo e Da­ni­el Câ­ma­ra, do­nos da Vi­ta­le Saúde, que ad­mi­nis­tra­va o hos­pi­tal Ou­ro Verde, dis­se­ram à Jus­ti­ça que além do di­re­ci­o­na­men­to e pa­ga­men­to de pro­pi­na pa­ra ser­vi­do­res, se­cre­tá­rio pe­diu a con­tra­ta­ção de em­pre­sas ter­cei­ri­za­das. Pre­fei­tu­ra ne­ga ir­re­gu­lar

Metro Brazil (Campinas) - - Primeira Página - TOTE NUNES ME­TRO CAM­PI­NAS

A li­ci­ta­ção pa­ra a con­tra­ta­ção da Or­ga­ni­za­ção So­ci­al Vi­ta­le Saúde pa­ra ad­mi­nis­trar o Hos­pi­tal Ou­ro Verde, em Cam­pi­nas, foi di­ri­gi­da. A in­for­ma­ção cons­ta dos de­poi­men­tos fei­tos on­tem pe­los di­re­to­res da Vi­ta­le, Paulo e Da­ni­el Câ­ma­ra, ao juiz da 4ª Va­ra Cri­mi­nal, Caio Ven­to­sa Cha­ves e con­fir­ma a de­nún­cia fei­ta pe­lo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co no ano pas­sa­do.

Em 31 de no­vem­bro de 2017, o Ga­e­co – bra­ço do MP que in­ves­ti­ga o cri­me or­ga­ni­za­do – de­fla­grou a Ope­ra­ção Ou­ro Verde, após a sus­pei­ta de des­vi­os de R$ 4,5 mi­lhões dos re­cur­sos re­pas­sa­dos ao hos­pi­tal.

Du­ran­te a ope­ra­ção, seis pes­so­as fo­ram pre­sas e R$ 1,2 mi­lhão em es­pé­cie fo­ram apre­en­di­dos na ca­sa de um ser­vi­dor pú­bli­co – o en­tão di­re­tor do de­par­ta­men­to de Pres­ta­ção de Con­tas da Se­cre­ta­ria de Saúde, An­to­nio Co­rat Ju­ni­or, que foi pre­so na 2ª fa­se da ope­ra­ção. O con­tra­to era de R$ 11 mi­lhões por mês. Paulo Câ­ma­ra – que cum­pre pri­são do­mi­ci­li­ar – tam­bém con­tou no de­poi­men­to que de­ta­lhes da li­ci­ta­ção fo­ram acer­ta­das com Ané­sio – que in­te­grou a co­mis­são de li­ci­ta­ção. Pe­lo acor­do, Ané­sio de­ve­ria re­ce­ber uma pro­pi­na men­sal de R$ 23 mil

Tam­bém em de­poi­men­to, Da­ni­el Câ­ma­ra con­tou que o se­cre­tá­rio de As­sun­tos Ju­rí­di­cos, Sil­vio Ber­nar­din, che­gou a fa­zer exi­gên­ci­as pa­ra a de­fi­ni­ção do con­tra­to com a Vi­ta­le: a con­tra­ta­ção de um la­bo­ra­tó­rio de Aná­li­ses Clí­ni­cas e de uma la­van­de­ria, cu­jo cus­teio fi­ca­ria três ve­zes e meio mais ca­ro que o es­ti­pu­la­do pe­lo hos­pi­tal. Es­sa úl­ti­ma con­tra­ta­ção não se con­cre­ti­zou.

Ele con­tou ain­da que a Vi­ta­le che­gou a com­prar um cer­ti­fi­ca­do de uma ins­ti­tui­ção do Ma­ra­nhão co­mo se a Vi­ta­le ti­ves­se re­la­ção com en-

Pas­qua­rel­li

O tam­bém di­re­tor da Vi­ta­le Ro­nal­do Pas­qua­rel­li con­fir­mou ao juiz a exis­tên­cia do cha­ma­do cus­to com­par­ti­lha­do do con­tra­to, em que R$ 250 mil por mês eram pa­gos pe­la pre­fei­tu­ra. Par­te des­se di­nhei­ro fi­ca­ria com o pró­prio Pas­qua­rel­li; uma se­gun­da par­te fi­ca­ria com as em­pre­sas de Oswal­do Be­to e Fer­nan­do Vi­tor e uma ter­cei­ra era des­ti­na­da à Apa­re­ci­da Ber­ton­cel­lo, con­si­de­ra­da a pre­si­den­te da Vi­ta­le, que per­ma­ne­ce pre­sa e que tam­bém foi ou­vi­da on­tem. Ela ne­gou qual­quer ir­re­gu­la­ri­da­de. Fer­nan­do Vi­tor pres­tou de­poi­men­to, mas o ad­vo­ga­do de­le dis­se que ele não iria fa­zer co­men­tá­ri­os.

Pre­fei­tu­ra

Por meio de no­ta, a Pre­fei­tu­ra de Cam­pi­nas dis­se ter to­ma­do “me­di­das enér­gi­cas” as­sim que o MP apon­tou in­dí­ci­os de des­vi­os no Ou­ro Verde. Diz que o con­tra­to com a or­ga­ni­za­ção foi rom­pi­do e os ser­vi­do­res acu­sa­dos de en­vol­vi­men­to fo­ram de­mi­ti­dos.

So­bre a li­ci­ta­ção, in­for­mou que o cha­ma­men­to pú­bli­co cum­priu to­das as nor­mas pre­vis­tas na le­gis­la­ção e no edi­tal. Diz ain­da que “se al­guém, se­ja de que la­do for, co­me­teu ilí­ci­tos, de­ve pa­gar por is­so pe­ran­te a Jus­ti­ça”.

A pre­fei­tu­ra in­for­mou ain­da que a con­tra­ta­ção de pes­so­al é de res­pon­sa­bi­li­da­de de seus di­ri­gen­tes e não hou­ve qual­quer in­ter­fe­rên­cia da pre­fei­tu­ra. A Ad­mi­nis­tra­ção diz ser é a mai­or in­te­res­sa­da na elu­ci­da­ção do ca­so.

| DENNY CÉSARE/CÓDIGO19

Paulo (esq.) e Da­ni­el Câ­ma­ra che­gam ao Fó­rum pa­ra de­poi­men­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.