PAS­SEIO EM BE­LÉM

Pon­te Pre­ta atro­pe­la Pay­san­du por 4 a 0 e sobe na ta­be­la do Bra­si­lei­ro da Sé­rie B

Metro Brazil (Campinas) - - Primeira Página - CAR­LOS GIACOMELI ME­TRO CAM­PI­NAS

Gols.

Nathan, aos 15, Jú­ni­or Santos, aos 34 mi­nu­tos do 1º tem­po e aos 3 mi­nu­tos do 2º tem­po; Hyu­ri, aos 14 mi­nu­tos do 2º tem­po.

A Pon­te Pre­ta bus­ca­va a re­a­bi­li­ta­ção após qu­a­tro jo­gos sem vencer, mas não ima­gi­na­va que se­ria tão tran­qui­lo as­sim. Jo­gan­do em Be­lém do Pa­rá, o ti­me co­man­da­do por João Bri­gat­ti ven­ceu com fa­ci­li­da­de o Pay­san­du por 4 a 0 e che­gou aos 29 pon­tos – um a me­nos que o pri­mei­ro ti­me no G-4, o Atlé­ti­co-GO (que ain­da não jo­gou na ro­da­da).

O téc­ni­co João Bri­gat­ti en­trou em cam­po com: Ivan; Igor, Re­gi­nal­do, Re­nan Fon­se­ca e Ni­co­las; Nathan, Lu­cas Mi­nei­ro, Da­ni­lo Bar­ce­los; Hyu­ri, André Luis e Ju­ni­or Santos.

E o ti­me não se in­ti­mi­dou na ca­sa do Pa­pão da Cu­ru­zu. Aos 16 mi­nu­tos, a Ma­ca­ca ten­tou cru­za­men­to pe­la es­quer­da e a za­ga do Pay­san­du re­ba­teu. De fo­ra da área, Nathan pe­gou de pri­mei­ra, de cha­pa, e co­lo­cou no can­ti­nho es­quer­do do go­lei­ro Re­nan pa­ra abrir o pla­car: 1 a 0.

Aos 25 mi­nu­tos, Di­e­go Ivo te­ve chan­ce cla­ra de em­pa­tar, mas er­rou o al­vo. Após cru­za­men­to pe­la di­rei­ta, a bo­la che­gou na ca­be­ça de­le, so­zi­nho, na área pe­que­na da Ma­ca­ca. Com gol aber­to ele tes­tou pa­ra o chão e, após qui­car, a bo­la saiu por ci­ma do gol.

Do ou­tro la­do foi a vez de Da­ni­lo Bar­ce­los iso­lar chan­ce cla­ra na en­tra­da da área, um mi­nu­to de­pois.

Tran­qui­la, a Pon­te ad­mi­nis­tra­va o pla­car e, com o Pay­san­du se lan­çan­do ao ataque, con­se­guiu sur­pre­en­der e am­pli­ar a van­ta­gem. Hyu­ri avan­çou com a bo­la ro­lou de la­do pa­ra Jú­ni­or Santos na en­tra­da da área. O ar­ti­lhei­ro do­mi­nou e chu­tou for­te no ân­gu­lo di­rei­to de Re­nan pa­ra fa­zer 2 a 0, aos 34 mi­nu­tos.

Tran­qui­la e efi­ci­en­te na par­ti­da, a Ma­ca­ca co­me­çou a ad­mi­nis­trar a van­ta­gem e sair só quan­do via pos­si­bi­li­da­des.

E nes­sa to­a­da, o pró­prio Hyu­ri te­ve a chan­ce de ma­tar o jo­go aos 46 mi­nu­tos. Ele re­ce­beu be­lo lan­ça­men­to den­tro da área, mas chu­tou por ci­ma do gol.

No se­gun­do tem­po, o Pay­san­du ti­nha 45 mi­nu­tos pa- ra bus­car o em­pa­te, mas a Ma­ca­ca vol­tou li­ga­da e lo­go aos 3 mi­nu­tos mar­cou mais um. Da­ni­lo Bar­ce­los cru­zou pe­la es­quer­da e Jú­ni­or Santos deu uma cas­qui­nha de ca­be­ça pa­ra jo­gar no fun­do do gol: 3 a 0 – sex­to gol do ata­can­te na Sé­rie B.

O ter­cei­ro gol ma­tou as chan­ces de re­a­ção do ti­me da ca­sa. En­tão, a Pon­te apro­vei­tou. Aos 14, de­pois de bo­la dis­pu­ta­da no al­to, a so­bra caiu nos pés de Hyu­ri, den­tro da área. A za­ga do Pa­pão pa­rou pa­ra pe­dir im­pe­di­men­to, en­quan­to o ata­can­te pon­te­pre­ta­no que es­tre­a­va co­mo ti­tu­lar deu pros­se­gui­men­to à jo­ga­da e só te­ve o tra­ba­lho pa­ra vencer o go­lei­ro Re­nan e fa­zer 4 a 0.

O Pay­san­du se de­ses­ta­bi­li­zou e o za­guei­ro Re­gi­nal­do da Ma­ca­ca qua­se fez o quin­to. Em so­bra den­tro da pe­que­na área, ele abriu de­mais o chu­te e er­rou o al­vo, aos 27 mi­nu­tos.

No úl­ti­mo mi­nu­to a Ma­ca­ca abu­sou da su­pe­ri­o­ri­da­de. Com qu­a­tro jo­ga­do­res den­tro da área con­tra um de­fen­sor do Pay­san­du, os cam­pi­nei­ros tro­ca­ram pas­ses e er­ra­ram o gol.

O pró­xi­mo de­sa­fio da Ma­ca­ca é con­tra o Cri­ciú­ma, na ter­ça-fei­ra, no Ma­jes­to­so.

“A gen­te fez a par­ti­da fi­car fá­cil. Es­se tem que ser o car­ro- che­fe da Pon­te Pre­ta (...) es­sa vi­tó­ria nos dá mais tran­qui­li­da­de pa­ra jo­gar o pró­xi­mo jo­go em ca­sa” HYU­RI, ATA­CAN­TE DA PON­TE PRE­TA

| FER­NAN­DO TORRES/PAY­SAN­DU

Jo­ga­do­res dis­pu­tam bo­la aé­rea. Com dois gols de Jú­ni­or Santos, um de Hyu­ri e um de Nathan, Pon­te che­gou aos 29 pon­tos, bem per­to do G- 4

| FER­NAN­DO TORRES/PAY­SAN­DU

André Luís dis­pu­ta bo­la no meio de cam­po

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.