ENER­GIA LIM­PA

Metro Brazil (Espirito Santo) - - PUBLIMETRO - ANA LUI­ZA FREI­TAS [email protected]

A ener­gia so­lar é uma óti­ma al­ter­na­ti­va pa­ra ge­rar ele­tri­ci­da­de sus­ten­tá­vel. A Lo­ren­ge lan­ça, no Cen­tro de Li­nha­res, o em­pre­en­di­men­to Spa­zio Co­men­da­dor Ra­fa­el, de 3 e 4 quar­tos com suí­te, com o uso de ener­gia fo­to­vol­tai­ca. Es­sa tec­no­lo­gia per­mi­te a aqui­si­ção de ele­tri­ci­da­de de for­ma di­re­ta, por meio de pai­néis so­la­res ins­ta­la­dos no to­po do edi­fí­cio. O sis­te­ma, ali­nha­do com as atu­ais nor­mas da ANEEL, per­mi­te co­ne­xão com a re­de da con­ces­si­o­ná­ria de ener­gia pa­ra que o ex­ce­den­te ge­ra­do ao dia se­ja ab­sor­vi­do pe­la re­de e con­ver­ti­do em cré­di­to de ener­gia pa­ra o con­do­mí­nio usar à noi­te, se­ja pa­ra ali­men­tar a pis­ci­na, os ele­va­do­res ou as áre­as co­muns do pré­dio.

ODONTOLOGIA RES­PON­SÁ­VEL E SUS­TEN­TÁ­VEL

O den­tis­ta Re­gis Me­neghel­li, es­pe­ci­a­lis­ta em im­plan­to­don­tia e odontologia on­co­ló­gi­ca, é um bom exem­plo a ser se­gui­do. Além de cui­dar da qua­li­da­de da saú­de bu­cal dos seus pa­ci­en­tes, ele ain­da se pre­o­cu­pa com o meio am­bi­en­te. Por is­so, man­tém aten­ção re­do­bra­da na água da cus­pi­dei­ra, man­ten­do- a li­ga­da so­men­te no mo­men­to que irá uti­li­zar a água nos pro­ce­di­men­tos, e não o tem­po to­do. Ou­tra me­di­da é a de dei­xar a tor­nei­ra fe­cha­da en­quan­to faz a lim­pe­za dos ins­tru­men­tos, dei­xan­do o en­xá­gue ape­nas no fi­nal. A co­lu­na apro­va a ini­ci­a­ti­va!

TEN­DÊN­CIA SUS­TEN­TÁ­VEL COM PRO­DU­TOS VEGANOS

Uma pes­qui­sa da Opi­ni­on Box, em 2017, com in­ter­nau­tas no Bra­sil, re­ve­la que 91% dos con­su­mi­do­res se im­por­tam com a sus­ten­ta­bi­li­da­de de qu­em es­tá for­ne­cen­do o pro­du­to. Es­se con­cei­to já é va­lo­ri­za­do na­ci­o­nal­men­te, mas pa­re­ce ter che­ga­do re­cen­te­men­te com mais in­ten­si­da­de no Es­pí­ri­to San­to. Den­tro des­se uni­ver­so cons­ci­en­te do con­su­mo, o ve­ga­nis­mo, por exem­plo, é uma prá­ti­ca que tem ga­nha­do ca­da vez mais adep­tos. Pe­la de­fi­ni­ção, o pro­du­to ve­ga­no não usa ne­nhum in­gre­di­en­te ou de­ri­va­do de ani­mal. No se­tor da be­le­za, es­sa pre­o­cu­pa­ção es­tá pre­sen­te na pro­du­ção de cos­mé­ti­cos.

De acor­do com a far­ma­cêu­ti­ca Lui­za Scar­dua, da Globo Fór­mu­la, ge­ral­men­te os pro­du­tos veganos são bi­o­com­pa­tí­veis com a pe­le, sen­do mais fá­ceis de se­rem ab­sor­vi­dos e dan­do re­sul­ta­dos mais rá­pi­dos. “Pa­ra que se­ja con­si­de­ra­do ve­ga­no, eles não po­dem con­ter in­gre­di­en­tes de ori­gem ani­mal – co­mo mel, lei­te, ce­ra de abe­lha, la­no­li­na ou co­lá­ge­no. Por is­so, é uma boa in­di­ca­ção pa­ra aque­las pes­so­as com pe­les mui­to sen­sí­veis e pro­pen­sas a aler­gi­as, já que pos­su­em me­nos in­gre­di­en­tes em su­as com­po­si­ções”.

DIVULGAÇÃO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.