Ae­ro­por­to de Vi­tó­ria ga­nha equi­pa­men­to

Apa­re­lho ins­ta­la­do na pis­ta vai per­mi­tir che­ga­da pe­lo Mes­tre Ál­va­ro

Metro Brazil (Espirito Santo) - - PRIMEIRA PÁGINA - NOS­SA/ ME­TRO ES LE­AN­DRO

O ae­ro­por­to de Vi­tó­ria ga­nhou um no­vo equi­pa­men­to de apro­xi­ma­ção das ae­ro­na­ves, que vai per­mi­tir pou­sos pe­la re­gião do Mes­tre Ál­va­ro, na Ser­ra. Mas a ro­ta ain­da não tem pra­zo de­ter­mi­na­do pa­ra ser usa­da. A In­fra­e­ro con­cluiu on­tem a pri­mei­ra eta­pa de ins­ta­la­ção do se­gun­do PAPI (Pre­ci­si­on Ap­pro­a­ch Path In­di­ca­tor), apa­re­lho usa­do pa­ra au­xi­li­ar na che­ga­da dos vo­os na pis­ta no­va. Ele fun­ci­o­na co­mo uma in­di­ca­ção vi­su­al pa­ra os pi­lo­tos e fa­ci­li­ta a che­ga­da. No en­tan­to, o equi­pa­men­to ain­da pre­ci­sa pas­sar por um pro­ces­so téc­ni­co de ho­mo­lo­ga­ção no De­cea (De­par­ta­men­to de Con­tro­le do Es­pa­ço Aé­reo) pa­ra a ro­ta do Mes­tre Ál­va­ro ser uti­li­za­da, o que não tem da­ta es­ta­be­le­ci­da pa­ra acon­te­cer, se­gun­do a In­fra­e­ro.

Co­mo com­pa­ra­ção, qu­an­do o mes­mo me­ca­nis­mo foi ins­ta­la­do na pis­ta no­va pa­ra li­be­rar a apro­xi­ma­ção dos vo­os pe­la Praia de Cam­bu­ri, o pro­ces­so de ho­mo­lo­ga­ção du­rou se­te me­ses.

A no­va pis­ta do ter­mi­nal de Vi­tó­ria pos­sui qua­tro ca­be­cei­ras. Du­as na ro­ta da Ser­ra, com apro­xi­ma­ção pe­lo Mes­tre Ál­va­ro, e du­as pe­lo mar de Cam­bu­ri. De acor­do com a In­fra­e­ro, com a ins­ta­la­ção des­te no­vo equi­pa­men­to, o ae­ro­por­to de Vi­tó­ria am­pli­a­rá a sua ca­pa­ci­da­de in­ter­na pa­ra re­ce­ber vo­os. Is­so por­que qu­an­do es­ti­ver ins­ta­la­do e ho­mo­lo­ga­do pe­lo De­par­ta­men­to de Con­tro­le do Es­pa­ço Aé­reo, as qua­tro ca­be­cei­ras te­rão con­di­ções de re­ce­ber pou­sos, me­lho­ran­do ain­da mais o flu­xo ope­ra­ci­o­nal do ter­mi­nal.

Na se­ma­na que vem, en­tre os di­as 15 e 17, se­rá re­a­li­za­da a se­gun­da eta­pa da ins­ta­la­ção e, pa­ra is­so, os pou­sos e de­co­la­gens se­rão to­dos fei­tos na pis­ta an­ti­ga, as­sim co­mo re­a­li­za­do nos úl­ti­mos três di­as. Ho­je, a pis­ta no­va vol­ta a ser uti­li­za­da. A In­fra­e­ro des­ta­cou que a pis­ta ve­lha tem a mes­ma ca­pa­ci­da­de da no- va, além de con­tar com ma­te­ri­ais avan­ça­dos que ga­ran­tem a se­gu­ran­ça dos vo­os em con­di­ções cli­má­ti­cas ad­ver­sas, des­de que os pi­lo­tos se­jam ha­bi­li­ta­dos nes­tas ope­ra­ções e as ae­ro­na­ves se­jam ho­mo­lo­ga­das.

A em­pre­sa acres­cen­tou que, por con­tar com du­as pis­tas, Vi­tó­ria tem fa­ci­li­da­de pa­ra exe­cu­tar es­se ti­po de ser­vi­ço com se­gu­ran­ça pa­ra as ope­ra­ções aé­re­as e pa­ra os tra­ba­lha­do­res.

| CHI­CO GU­E­DES/ AR­QUI­VO ME­TRO ES

No­va pis­ta do ter­mi­nal de Vi­tó­ria tem qua­tro ca­be­cei­ras

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.