In­fla­ção ace­le­ra a 0,75% em mar­ço

To­ma­te, fei­jão e ga­so­li­na le­vam IPCA ao mai­or ní­vel pa­ra o mês em qua­tro anos, se­gun­do o IBGE. Ín­di­ce em 12 me­ses vai a 4,58% e su­pe­ra cen­tro da me­ta ofi­ci­al

Metro Brazil (Espirito Santo) - - ECONOMIA -

O IPCA re­gis­trou al­ta de 0,75% em mar­ço, de­pois de ter su­bi­do em fe­ve­rei­ro 0,43%, in­for­mou on­tem o IBGE (Ins­ti­tu­to Bra­si­lei­ro de Ge­o­gra­fia e Es­ta­tís­ti­ca). É a mai­or ta­xa des­de ju­nho de 2018 (1,26%) e o ín­di­ce mais for­te pa­ra o mês de mar­ço des­de a va­ri­a­ção de 1,32% em 2015.

Com is­so, o IPCA acu­mu­la­do em 12 me­ses pas­sou a re­gis­trar avan­ço de 4,58%, so­bre 3,89% no mês an­te­ri­or, atin­gin­do o mai­or ní­vel des­de fe­ve­rei­ro de 2017 (4,76%).

O ín­di­ce tam­bém su­pe­ra o cen­tro da me­ta ofi­ci­al de in­fla­ção do go­ver­no pa­ra 2019, de 4,25%, com mar­gem de 1,5 pon­to per­cen­tu­al pa­ra mais ou me­nos. Is­so não acon­te­cia des­de ou­tu­bro de 2018.

Em mar­ço, a pres­são veio de ali­men­tos e trans­por­tes, que re­pre­sen­tam 43% das des­pe­sas das fa­mí­li­as e res­pon­de­ram por 80% do ín­di­ce.

“O la­do po­si­ti­vo da al­ta de mar­ço é que ela foi con­cen­tra­da, e não es­pa­lha­da. Is­so mos­tra que ela po­de ir e vol­tar. Te­mos que acom­pa­nhar o cli­ma pa­ra os pró­xi­mos me­ses”, dis­se o eco­no­mis­ta do IBGE Fer­nan­do Gon­çal­ves.

Os pre­ços de ali­men­ta­ção e be­bi­das ace­le­ra­ram a al­ta a 1,37%, de 0,785 em fe­ve­rei­ro, com des­ta­que pa­ra to­ma­te (31,84%), ba­ta­ta-in­gle­sa (21,11%), fei­jão-ca­ri­o­ca (12,93%) e fru­tas (4,26%).

Já os cus­tos de trans­por­tes au­men­ta­ram 1,44% em mar­ço, após que­da de 0,34% no mês an­te­ri­or. O avan­ço de 3,49% de com­bus­tí­veis foi o prin­ci­pal res­pon­sá­vel pe­lo re­sul­ta­do, com al­tas de 2,88% da ga­so­li­na e de 7,02% do eta­nol. Pas­sa­gens aé­re­as fi­ca­ram 7,29% mais ca­ras.

Pa­ra o eco­no­mis­ta Pe­dro Raffy Var­ta­ni­an, os com­bus­tí­veis po­dem se­guir em al­ta nos pró­xi­mos me­ses, de­pen­den­do do com­por­ta­men­to do pre­ço do pe­tró­leo di­an­te de cor­tes na ofer­ta da com­mo­dity, o que po­de pres­si­o­nar mais a in­fla­ção. “A des­pei­to dis­so, a in­fla­ção em 2019 fi­ca­rá em tor­no da me­ta de 4,25%”, ava­lia Var­ta­ni­an.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.