SÉ­RIE ‘EMO­ÇÕES DE TO­DOS (RAIVA)’

Metro Brazil (Espirito Santo) - - PUBLIMETRO - VÂNIA GOULART WWW.VANIAGOULA­RT.COM.BR

O que é a raiva? Es­se é um sen­ti­men­to que na mai­o­ria das ve­zes é des­pre­zí­vel e mal vis­to pe­la so­ci­e­da­de. No en­tan­to, é bom lem­brar que é um sen­ti­men­to pri­má­rio e que to­dos os se­res hu­ma­nos pos­su­em.

Se­gun­do a en­ci­clo­pé­dia co­la­bo­ra­ti­va Wi­ki­pé­dia, a raiva é um ins­tin­to que, con­so­an­te os ca­sos par­ti­cu­la­res, po­de apro­xi­mar o ser hu­ma­no ao es­ta­do qua­se ani­mal, no qual o uso da ra­zão é blo­que­a­do por sen­ti­men­tos ir­ra­ci­o­nais.

É im­por­tan­te per­ce­ber a raiva co­mo um sen­ti­men­to po­si­ti­vo, que po­de im­pul­si­o­nar o in­di­ví­duo pa­ra a de­fe­sa, pa­ra a lu­ta, quan­do al­gum mal lhe é afli­gi­do. Nes­se sen­ti­do, é a par­tir da raiva, tam­bém co­nhe­ci­da co­mo agres­si­vi­da­de, que o ser hu­ma­no se mo­vi­men­ta e re­a­ge. A fal­ta des­se ins­tin­to cau­sa in­di­fe­ren­ça, apa­tia e de­pres­são - a do­en­ça do sé­cu­lo.

Co­mo tu­do na vi­da, exis­tem dois la­dos: o po­si­ti­vo e o ne­ga­ti­vo. A di­fi­cul­da­de es­tá re­al­men­te em po­der e sa­ber do­sar. Qu­an­to de raiva vo­cê ne­ces­si­ta no seu dia a dia? Qual se­ria a do­se cer­ta? Pa­ra es­sas per­gun­tas não exis­te ape­nas uma resposta cor­re­ta. Ca­da pes­soa tem sua re­a­ção e ma­ni­fes­ta a raiva de for­ma di­fe­ren­te.

O tem­po de du­ra­ção da raiva tam­bém faz di­fe­ren­ça em sua ma­ni­fes­ta­ção. Se vo­cê es­tá há mui­to tem­po com raiva de uma si­tu­a­ção ou de uma pes­soa, a pro­ba­bi­li­da­de de vo­cê ter di­fi­cul­da­de de usá- la de for­ma be­né­fi­ca re­duz mui­to. Qu­an­to mai­or o acú­mu­lo, pos­si­vel­men­te mai­or se­rá o des­con­tro­le.

O sen­ti­men­to de raiva é per­ce­bi­do por vo­cê e por qua­se to­dos que es­tão à sua vol­ta, é mui­to di­fí­cil vo­cê con­se­guir dis­far­çar de mo­do que nin­guém per­ce­ba.

Pri­mei­ro, pro­cu­re acei­tar a raiva e de­pois bus­que ca­na­li­zá- la de ma­nei­ra ade­qua­da pa­ra que o ins­tin­to te im­pul­si­o­ne a re­a­gir de for­ma sau­dá­vel. Ajus­te es­sa ener­gia pa­ra a pro­mo­ção de bo­as es­co­lhas, pa­ra mu­dan­ças e, prin­ci­pal­men­te, pa­ra que vo­cê não pre­ci­se pas­sar por is­so no­va­men­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.