//POR OU­TRO LA­DO

Metro Brazil (Espirito Santo) - - SAÚDE E BEM-ESTAR -

Vin­te e seis pes­qui­sa­do­res da Uni­ver­si­da­de de Ox­ford, na In­gla­ter­ra, es­cre­ve­ram uma car­ta aber­ta con­jun­ta se opon­do à de­ci­são da OMS de in­cluir a “de­pen­dên­cia a vi­de­o­ga­mes” co­mo um di­ag­nós­ti­co. A opi­nião de­les é ba­se­a­da em tor­no de três ar­gu­men­tos:

A bai­xa qua­li­da­de dos es­tu­dos re­a­li­za­dos até en­tão. Pa­ra os au­to­res, exis­tem pou­cos es­tu­dos a res­pei­to do as­sun­to e os es­tu­dos exis­ten­tes se ba­sei­am em uma pe­que­na quan­ti­da­de amos­tral, o que com­pro­me­te a ela­bo­ra­ção de po­lí­ti­cas pú­bli­cas pa­ra a so­ci­e­da­de.

A atu­al for­ma de es­tu­do se ba­seia for­te­men­te na com­pa­ra­ção com o abu­so de subs­tân­ci­as e no ví­cio aos jo­gos de azar. Ape­sar de se­rem com­pa­ra­ções in­te­res­san­tes, é ne­ces­sá­rio que os es­tu­dos a res­pei­to do ví­cio em vi­de­o­ga­mes se­ja cons­truí­do a par­tir de uma ba­se de es­tu­dos no­va a fim de evi­tar en­vi­e­sa­men­to.

Não há con­sen­so a res­pei­to dos sin­to­mas e da ava­li­a­ção ne­ces­sá­ria ao di­ag­nós­ti­co. Pa­ra eles, nos es­tu­dos que fo­ram apre­sen­ta­dos, a de­pen­dên­cia aos vi­de­o­ga­mes ge­ral­men­te apa­re­ce as­so­ci­a­da a ou­tros dis­túr­bi­os, o que, de acor­dos com es­ses pes­qui­sa­do­res, po­de­ria ser mui­to mais um me­ca­nis­mo pa­ra li­dar com a si­tu­a­ção do que pro­pri­a­men­te um dis­túr­bio.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.