Mu­lhe­res são ho­me­na­ge­a­das em jo­go

A jo­vem in­ven­to­ra po­lo­ne­sa Zu­zan­na Ko­zers­ka- Gi­rard cri­ou uma ver­são 100% fe­mi­ni­na do fa­mo­so ‘Ca­ra a Ca­ra’

Metro Brazil (Espirito Santo) - - GAMES -

“Ca­ra a Ca­ra”, fa­mo­so jo­go de ta­bu­lei­ro lan­ça­do no Bra­sil pe­la Es­tre­la em 1986, tem co­mo ob­je­ti­vo des­co­brir, por meio de per­gun­tas e ra­ci­o­cí­nio ló­gi­co, quem são os per­so­na­gens do seu ad­ver­sá­rio. Até ho­je, já saí­ram vá­ri­as ver­sões ao re­dor do mun­do. Por aqui, além do kit tra­di­ci­o­nal, é pos­sí­vel en­con­trar com ca­ri­ca­tu­ras da no­ve­la Po­li­a­na e da Tur­ma da Mô­ni­ca.

A mais no­va apos­ta no for­ma­to é da in­ven­to­ra po­lo­ne­sa Zu­zan­na Ko­zers­ka-Gi­rard, que cri­ou um “Ca­ra a Ca­ra” cha­ma­do “Who’s She” ( à ven­da no si­te playe­ress.com a 75 Eu­ros), com ros­tos de mu­lhe­res he­rói­cas, cu­jo mo­te é di­vul­gar su­as his­tó­ri­as e ins­pi­rar ou­tras mu­lhe­res. “Eu que­ria fa­zer al­go mais sig­ni­fi­ca­ti­vo, que ti­ves­se um im­pac­to po­si­ti­vo, e não ape­nas ou­tro gad­get”, diz a cri­a­do­ra so­bre a pro­pos­ta. “Pre­ci­sa­va fa­lar acer­ca da ma­nei­ra co­mo cri­a­mos nos­sos fi­lhos e co­mo os edu­ca­mos. Eu es­ta­va tão can­sa­da de to­dos os comentário­s que es­cu­to a res­pei­to da mi­nha fi­lha, fo­can­do sem­pre na apa­rên­cia e qua­se nun­ca em su­as ha­bi­li­da­des.”

O jo­go bus­ca equi­li­brar uma di­ver­si­da­de de pro­fis­sões, ori­gens e pe­río­dos his­tó­ri­cos. “Is­so foi in­cri­vel­men­te di­fí­cil de se fa­zer!”, con­fes­sa ela. “Num gran­de qua­dro bran­co es­cre­vi os no­mes de mui­tas mu­lhe­res, vá­ri­os post-its... As­sim co­mo ve­mos nos fil­mes de de­te­ti­ve. Não con­se­guia dor­mir, pen­sei que nun­ca ter­mi­na­ria a fa­se de se­le­ção.” Ela in­ten­ci­o­nal­men­te pre­fe­riu fi­gu­ras co­mo ci­en­tis­tas e pes­qui­sa­do­ras em vez de co­lo­car so­men­te ar­tis­tas ou can­to­ras.

Em es­por­tes, en­trou Lel­la Lom­bar­di, a pri­mei­ra mu­lher a pon­tu­ar na F1. Tam­bém en­tra­ram ros­tos com pou­co re­co­nhe­ci­men­to pú­bli­co, co­mo Hatshep­sut, uma das úni­cas mu­lhe­res a se tor­nar fa­raó, que go­ver­nou por mais de 20 anos, de­sen­vol­veu o Egi­to e ven­ceu guer­ras e ba­ta­lhas. “Ten­ta­ram apa­gá-la da his­tó­ria des­truin­do seus per­ten­ces”, la­men­ta Zu­zan­na.

| RE­PRO­DU­ÇÃO

Fri­da Kah­lo é uma das he­roí­nas re­tra­ta­das no jo­go

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.