Por um bom (s)cen­so

Metro Brazil (Espirito Santo) - - BRASIL -

Go­ver­no re­duz o nú­me­ro de per­gun­tas na pes­qui­sa que se­rá apli­ca­da em 2020 com o ar­gu­men­to de que o cor­te tor­na­rá o exa­me mais di­nâ­mi­co, além da ne­ces­si­da­de de cor­tar gas­tos. Téc­ni­cos do IBGE di­zem que en­xu­ga­men­to traz ris­co in­cal­cu­lá­vel aos sis­te­ma es­ta­tís­ti­co

Pes­qui­sa que faz a mais com­ple­ta ra­di­o­gra­fia da so­ci­e­da­de bra­si­lei­ra e que ser­vi­rá de ba­se pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to de po­lí­ti­cas pú­bli­cas dos go­ver­nos fe­de­ral, es­ta­du­ais e mu­ni­ci­pais pe­los pró­xi­mos 10 anos, o Cen­so 2020 se­rá mais en­xu­to.

O IBGE (Ins­ti­tu­to Bra­si­lei­ro de Ge­o­gra­fia e Es­ta­tís­ti­ca) con­fir­mou que o ques­ti­o­ná­rio bá­si­co, que se­rá apli­ca­do em to­dos os do­mi­cí­li­os, te­rá o nú­me­ro de per­gun­tas re­du­zi­do de 37 pa­ra 25. Já o ques­ti­o­ná­rio com­ple­to, apre­sen­ta­do em uma amos­tra que re­pre­sen­ta 10% dos do­mi­cí­li­os, te­rá 76 ques­tões, e não mais 112.

O cor­te tor­na­rá a co­le­ta dos da­dos do ques­ti­o­ná­rio bá­si­co mais di­nâ­mi­ca, cain­do de se­te pa­ra pou­co mais do que qua­tro mi­nu­tos. A agi­li­da­de, re­co­nhe­ceu o IBGE, tam­bém le­va em con­ta a fal­ta de con­cen­tra­ção da po­pu­la­ção pa­ra res­pon­der a ques­ti­o­ná­ri­os lon­gos em tem­pos de era di­gi­tal e os pro­ble­mas de se­gu­ran­ça pú­bli­ca.

Por for­ça do con­tin­gen­ci­a­men­to or­ça­men­tá­rio, que va­le pa­ra to­da a má­qui­na fe­de­ral, o IBGE te­rá cor­te de 25% nos re­cur­sos dis­po­ní­veis pa­ra o Cen­so. O va­lor caiu de R$ 3,1 bi­lhões pa­ra R$ 2,3 bi­lhões, mas o ins­ti­tu­to ne­gou que o blo­queio te­nha re­la­ção com o en­xu­ga­men­to.

“Es­sa nu­me­ro­lo­gia não é a prin­ci­pal ques­tão. O prin­ci­pal é a qua­li­da­de do ques­ti­o­ná­rio e as di­men­sões co­le­ta­das”, afir­mou em en­tre­vis­ta na se­ma­na pas­sa­da o di­re­tor de pes­qui­sas do IBGE, Edu­ar­do Ri­os Ne­to.

Em ris­co

A re­du­ção de­ve pro­vo­car mu­dan­ças em ques­tões co­mo imi­gra­ção, ren­da, pos­se de bens, des­lo­ca­men­to pa­ra es­co­la e ho­ras tra­ba­lha­das. Ao Me­tro Jor­nal, o IBGE dis­se que “as al­te­ra­ções es­tão sen­do dis­cu­ti­das”.

Em car­ta aber­ta, os téc­ni­cos do IBGE de­cla­ra­ram que não res­pal­dam a pro­pos­ta e que o en­xu­ga­men­to ame­a­ça o país. “Tra­ta-se de ris­co in­cal­cu­lá­vel ao sis­te­ma es­ta­tís­ti­co na­ci­o­nal que po­de re­sul­tar em da­nos ir­re­pa­rá­veis pa­ra a im­ple­men­ta­ção e mo­ni­to­ra­men­to de po­lí­ti­cas pú­bli­cas”, com “pos­si­bi­li­da­de de pre­juí­zo à efi­cá­cia do in­ves­ti­men­to re­a­li­za­do pe­lo Es­ta­do”.

His­to­ri­a­dor e pro­fes­sor da Uni­ver­si­da­de Pres­bi­te­ri­a­na Mac­ken­zie, Sér­gio Ri­bei­ro San­tos lem­brou que além de em­ba­sar os go­ver­nos, os da­dos do Cen­so tam­bém são uma im­por­tan­te fer­ra­men­ta pa­ra o mun­do aca­dê­mi­co e pa­ra o mer­ca­do. “Ques­tões so­bre imi­gra­ção, ren­da ou des­lo­ca­men­to são mui­to re­le­van­tes. Quais se­rão as al­te­ra­ções? On­de es­tes da­dos po­de­rão bus­ca­dos de­pois? O di­na­mis­mo pre­ci­sa exis­tir, mas não sem qua­li­da­de.”

FON­TE: IBGE (INS­TI­TU­TO BRA­SI­LEI­RO DE GE­O­GRA­FIA E ES­TA­TÍS­TI­CA)

DI­VUL­GA­ÇÃO/IBGE

Re­a­li­za­do a ca­da dez anos, o Cen­so De­mo­grá­fi­co é a mais com­ple­ta e abran­gen­te pes­qui­sa so­bre nós, os bra­si­lei­ros. A par­tir de en­tre­vis­tas em to­dos os la­res, o Cen­so pro­duz um re­tra­to atu­a­li­za­do so­bre a po­pu­la­ção. Es­tes da­dos são fun­da­men­tais pa­ra o pla­ne­ja­men­to dos go­ver­nos e pa­ra o di­re­ci­o­na­men­to de in­ves­ti­men­tos tan­to do es­ta­do quan­to da ini­ci­a­ti­va pri­va­da

AN­DRÉ VI­EI­RA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.