Ale­ma­nha. En­fer­mei­ro é con­de­na­do à pri­são per­pé­tua por ma­tar 85

Metro Brazil (Espirito Santo) - - MUNDO -

Um ex-en­fer­mei­ro foi con­de­na­do on­tem à pri­são per­pé­tua por ma­tar 85 pa­ci­en­tes, no pi­or ca­so de as­sas­si­na­tos em sé­rie da Ale­ma­nha no pós-gu­er­ra. Ni­els Ho­e­gel, 42 anos, in­je­ta­va dro­gas le­tais nas pes­so­as e de­pois se fa­zia de he­rói pa­re­cen­do ten­tar res­sus­ci­tá-las, de acor­do com o tri­bu­nal dis­tri­tal de Ol­den­burg.

“Seus cri­mes são im­pos­sí­veis de con­ce­ber”, dis­se-lhe o juiz Sebastian Bu­ehr­mann, se­gun­do a re­vis­ta Der Spi­e­gel. “A men­te hu­ma­na lu­ta pa­ra ab­sor­ver a es­ca­la to­tal des­tes cri­mes.” Na úl­ti­ma quar­ta-fei­ra, Ho­e­gel se pro­nun­ci­ou na cor­te pe­din­do des­cul­pas aos fa­mi­li­a­res das ví­ti­mas e pe­din­do seu per­dão.

Ele ha­via si­do acu­sa­do de co­me­ter cem as­sas­si­na­tos en­tre 2000 e 2005, ad­mi­tin­do 43 de­les e ne­gan­do os res­tan­tes. Um por­ta-voz da cor­te dis­se que ele foi ab­sol­vi­do de 15 acu­sa­ções. Ho­e­gel já ha­via si­do con­de­na­do e sen­ten­ci­a­do por dois as­sas­si­na­tos em 2015.

O tri­bu­nal o proi­biu de pra­ti­car en­fer­ma­gem pe­lo res­to da vi­da. Pe­la lei ale­mã, ele po­de­ria ser sol­to de­pois de 15 anos, mas em ca­sos ex­tre­mos é fre­quen­te a pri­são per­pé­tua ser apli­ca­da na to­ta­li­da­de.

| REUTERS

Ni­els Ho­e­gel co­me­teu cri­mes en­tre 2000 e 2005

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.