Pes­qui­sa aponta que­da de 19,6% nos as­sas­si­na­tos

Fo­ram me­nos 309 mor­tes vi­o­len­tas re­gis­tra­das em 2018 em com­pa­ra­ção ao mes­mo pe­río­do de 2017

Metro Brazil (Espirito Santo) - - PRIMEIRA PÁGINA - THOMP­SON/ ME­TRO ES PRISCILLA

Se­guin­do ten­dên­cia do país, que te­ve re­du­ção de 10% nas mor­tes vi­o­len­tas, Es­pí­ri­to San­to re­gis­trou me­nos 309 mor­tes no ano pas­sa­do em com­pa­ra­ção a 2017. Já os ca­sos de es­tu­pro su­bi­ram 18,9% en­tre 2017 e 2018, se­gun­do Anuá­rio Bra­si­lei­ro de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca

O nú­me­ro de as­sas­si­na­tos no Es­pí­ri­to San­to caiu 19,6% en­tre 2017 e 2018, de acor­do com os da­dos do 13º Anuá­rio Bra­si­lei­ro de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca, di­vul­ga­do on­tem pe­lo Fó­rum Bra­si­lei­ro de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca. A que­da se­gue uma ten­dên­cia na­ci­o­nal, mas é ex­pli­ca­da prin­ci­pal­men­te pe­lo au­men­to dos re­gis­tros de ho­mi­cí­di­os em 2017, du­ran­te a greve da Polícia Mi­li­tar. No ano pas­sa­do, fo­ram 1.199 mor­tes vi­o­len­tas con­tra 1.508 em 2017. A ta­xa de ho­mi­cí­di­os por 100 mil ha­bi­tan­tes foi de 30,2 - a 14ª mais al­ta do país.

A ten­dên­cia de re­du­ção vem se con­so­li­dan­do. O anuá­rio aponta que nos três pri­mei­ros me­ses de 2019, hou­ve no­va que­da nos as­sas­si­na­tos, des­ta vez de 13,5% em com­pa­ra­ção com os três pri­mei­ros me­ses de 2018. “Is­so de­mons­tra que o es­ta­do es­tá no ca­mi­nho cer­to, apos­tan­do na in­te­gra­ção das for­ças de se­gu­ran­ça e em in­ves­ti­men­tos na área so­ci­al”, diz o pro­fes­sor do Mes­tra­do de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca da UVV e mem­bro do Fó­rum Brasil de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca, Pa­blo Li­ra.

O sub­se­cre­tá­rio de Es­ta­do de In­te­gra­ção Ins­ti­tu­ci­o­nal, Gui­lher­me Pa­cí­fi­co,

ex­pli­ca que da­dos da Sesp (Se­cre­ta­ria de Es­ta­do de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca) apon­tam, até a da­ta de on­tem, uma que­da de 17,5% nos as­sas­si­na­tos em 2019, em com­pa­ra­ção com o mes­mo pe­río­do do ano pas­sa­do.

“Em 2009, quan­do atin­gi­mos o mai­or ín­di­ce do ho­mi­cí­di­os no es­ta­do, a ta­xa era de 58,3 mor­tes por 100 mil ha­bi­tan­tes. Nes­te ano, até ju­lho, a ta­xa che­ga a 25 mor­tes por 100 mil. Éra­mos o 2º es­ta­do mais vi­o­len­to do Brasil, e hoje so­mos o 14º”, res­sal­ta.

Os bons re­sul­ta­dos são con­sequên­cia, se­gun­do o sub­se­cre­tá­rio, do pro­gra­ma Es­ta­do Pre­sen­te, ini­ci­a­do em 2011 e re­to­ma­do nes­te ano. “Te­mos uma po­lí­ti­ca pú­bli­ca efi­ci­en­te, que es­ta­mos com­ba­ten­do com ri­gor a vi­o­lên­cia le­tal, com tra­ba­lho in­te­gra­do en­tre a po­lí­ci­as e fo­co na pre­ser­va­ção da vi­da”, diz.

Da­dos do Anuá­rio Bra­si­lei­ro de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca di­vul­ga­dos on­tem re­ve­lam que qua­tro me­ni­nas de até 13 anos são es­tu­pra­das a ca­da ho­ra no país. Mais da me­ta­de – 53,8% – das vítimas fe­mi­ni­nas de es­tu­pro em 2017 e 2018 eram me­ni­nas des­sa ida­de. E três a ca­da qua­tro são co­me­ti­dos por pes­so­as co­nhe­ci­das da vítima.

No ano pas­sa­do, o to­tal de es­tu­pros foi de 66.041, uma al­ta de 4,5% em re­la­ção a 2017 e o mai­or nú­me­ro des­de 2009, quan­do a de­fi­ni­ção do cri­me foi mu­da­da na le­gis­la­ção. O le­van­ta­men­to foi fei­to pe­lo Fó­rum Bra­si­lei­ro de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca.

Pa­ra Rafael Al­ca­di­pa­ni, 42 anos, mem­bro do fó­rum, a de­pu­ra­ção dos da­dos fei­ta nes­te ano, tra­çan­do o per­fil das vítimas, per­mi­te vi­su­a­li­zar um qua­dro mais com­ple­to do que es­tá acon­te­cen­do.

“A ideia que a gen­te tem de como vai acon­te­cer um es­tu­pro, um es­tra­nho vem e ata­ca uma mo­ça na rua, não cor­res­pon­de à mai­o­ria dos ca­sos”, afir­mou.

O re­tra­to for­ma­do a par­tir dos da­dos de­ta­lha­dos mos­tra uma si­tu­a­ção opos­ta: a mai­o­ria dos ca­sos acon­te­ce com cri­an­ças, den­tro de ca­sa e o agres­sor é co­nhe­ci­do. “Po­de ser al­guém em qu­em a vítima ou sua fa­mí­lia con­fia e acha que não vai ter es­se ti­po de pro­ble­ma”, dis­se o es­pe­ci­a­lis­ta. Pa­ra ele, cri­an­ça po­de até não per­ce­ber que es­tá sen­do vítima de vi­o­lên­cia.

| CHI­CO GU­E­DES/ AR­QUI­VO ME­TRO ES

Greve da PM fez ta­xa de 2017 au­men­tar

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.