De­mo­cra­tas re­cu­pe­ram a Câ­ma­ra; Trump ‘co­me­mo­ra’

Der­ro­ta­do tam­bém nos es­ta­dos, pre­si­den­te ce­le­bra mai­o­ria no Se­na­do

Metro Brazil (Rio) - - MUNDO -

Não foi a “on­da azul” que se ima­gi­na­va, mas o Par­ti­do De­mo­cra­ta con­se­guiu re­to­mar, pe­los pró­xi­mos dois anos, o con­tro­le da Câ­ma­ra dos Re­pre­sen­tan­tes dos Es­ta­dos Uni­dos nas elei­ções le­gis­la­ti­vas de meio de man­da­to, na úl­ti­ma ter­ça-fei­ra, e impôs uma du­ra der­ro­ta ao pre­si­den­te Do­nald Trump.

Com 98,4% das ur­nas apu­ra­das, a le­gen­da pro­gres­sis­ta já ha­via ga­ran­ti­do ao me­nos 222 dos 435 as­sen­tos da Ca­sa, qua­tro a mais do que os 218 que cons­ti­tu­em a mai­o­ria sim­ples. No Se­na­do, no en­tan­to, on­de es­ta­vam em jo­go 35 de su­as cem ca­dei­ras, o Par­ti­do Re­pu­bli­ca­no con­se­guiu se­gu­rar a mai­o­ria que já ti­nha, po­den­do até vê-la am­pli­a­da.

Os con­ser­va­do­res ga­ran­ti­ram pe­lo me­nos 51 as­sen­tos (so­man­do os que não es­ta­vam em jo­go nes­tas elei­ções), o mes­mo nú­me­ro que pos­su­em ago­ra, en­quan­to os de­mo­cra­tas ti­nham 46 (fal­ta­vam no iní­cio da noi­te de on­tem ain­da três as­sen­tos a se­rem de­fi­ni­dos).

Nos es­ta­dos, os go­ver­na­do­res de­mo­cra­tas ga­nha­ram es­pa­ço. Eram 16, ago­ra se­rão 23. A mai­o­ria ain­da é re­pu­bli­ca­na, mas ela en­co­lheu nes­sas elei­ções.

‘ Tre­men­do su­ces­so’

O pre­si­den­te Do­nald Trump te­le­fo­nou pa­ra a lí­der de­mo­cra­ta na Câ­ma­ra e pro­vá­vel fu­tu­ra man­da­tá­ria da Ca­sa, Nancy Pe­lo­si, pa­ra pa­ra­be­ni- zá-la. Em pú­bli­co, no en­tan­to, afir­mou ape­nas que foi uma noi­te de “tre­men­do su­ces­so”. “Obri­ga­do a to­dos”, es­cre­veu no Twit­ter.

Em ou­tra men­sa­gem, o pre­si­den­te ri­di­cu­la­ri­zou re­pu­bli­ca­nos que evi­ta­ram fa­zer cam­pa­nha com ele an­tes das elei­ções par­la­men­ta­res e que não se ele­ge­ram.

“Es­tas são al­gu­mas das pes­so­as que de­ci­di­ram por su­as pró­pri­as ra­zões não abra­çar o que re­pre­sen­ta­mos”, dis­se Trump. “Elas fo­ram mui­to mal. Eu não te­nho cer­te­za se de­ve­ria es­tar fe­liz ou tris­te, mas eu me sin­to bem so­bre is­so.”

A coi­sa mu­da de fi­gu­ra

Com a Câ­ma­ra em su­as mãos, o Par­ti­do De­mo­cra­ta de­ve di­fi­cul­tar a vi­da de Trump no Con­gres­so, on­de ele já te­ve pro­ble­mas pa­ra ne­go­ci­ar al­gu­mas de su­as ban­dei­ras, mes­mo com mai­o­ria re­pu­bli­ca­na, co­mo a cons­tru­ção do mu­ro na fron­tei­ra com o Mé­xi­co e a re­vo­ga­ção do sis­te­ma de saú­de de Ba­rack Oba­ma.

“Trump sai um pou­co me­nor das elei­ções in­ter­me­diá­ri­as, mas tem ca­pa­ci­da­de su­fi­ci­en­te pa­ra con­tor­nar os pro­ble­mas”, dis­se à Band News FM o di­re­tor do Ins­ti­tu­to Bra­sil do Wil­son Cen­ter, em Washing­ton, Pau­lo So­te­ro. “A cam­pa­nha do pre­si­den­te re­pu­bli­ca­no à re­e­lei­ção co­me­ça ago­ra.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.