Fre­quen­ta­do­res re­co­lhem li­xo por con­ta pró­pria

Metro Brazil (Rio) - - { FOCO} -

Ape­sar da su­jei­ra cons­ta­ta­da nas prai­as, não dá pa­ra di­zer que to­do ca­ri­o­ca é mal-edu­ca­do. Pro­va dis­so é a cui­da­do­ra de ido­sos Ma­ria Ri­ta Cu­nha, de 63 anos, que qua­se to­dos os di­as acor­da an­tes mes­mo de o sol nas­cer pa­ra pas­se­ar com o ca­chor­ro e re­co­lher o li­xo dei­xa­do pe­los fre­quen­ta­do­res no­tur­nos do Ar­po­a­dor.

Ela ca­ta to­do ti­po de re­sí­duo: la­tas, ca­nu­dos, bis­coi­tos, gar­ra­fas. Já viu de tu­do: “As pes­so­as re­cla­mam de ca­chor­ro na praia, mas o que se vê aqui é mui­to pi­or”, diz ela, que ape­sar de lei es­ta­du­al proi­bir, le­va seu pe­que­no cão­zi­nho pug pa­ra a areia.

Quem tam­bém faz ques­tão de re­co­lher tu­do o que po­de é o pro­fes­sor de surf Ivan Ro­dri­gues, 30 anos. “Ve­rão sem­pre fi­ca as­sim. Ten­to dar es­sa as­sis­tên­cia por­que aqui é meu am­bi­en­te de tra­ba­lho”, con­ta. Pa­ra o den­tis­ta Hum­ber­to So­li­va, 65, a praia é só di­ver­são mes­mo. Ain­da as­sim, jun- to com 5 ami­gos, ele faz par­te do tra­ba­lho que de­ve­ria ser da Com­lurb. “O po­vo não en­ten­de que o li­xo não é da ci­da­de, é de quem pro­du­ziu. Se vo­cê le­var um sa­co e des­car­tar o li­xo em ca­sa, es­ta­rá fa­zen­do a coi­sa cer­ta”, en­si­na.

O mi­li­tar Jor­ge Costa, 79, apon­ta ou­tro pro­ble­ma: “Faltam guar­das mu­ni­ci­pais pa­ra fis­ca­li­zar pes­so­as que le­vam seus cães e não re­co­lhem a ne­ces­si­da­de de­les.”

‘Pe­lo meio am­bi­en­te’, Ma­ria Ri­ta re­co­lhe o li­xo dei­xa­do no Ar­po­a­dor

Até ca­dei­ra é a aban­do­na­da

Pe­ri­go­sos, vi­dros são co­muns

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.