EN­TEN­DA CO­MO FUN­CI­O­NA

Metro Brazil (Sao Paulo) - - BRASIL -

Ace­le­ra­dor li­ne­ar (Li­nac)

Aqui os fei­xes de elé­trons são pro­du­zi­dos e co­me­çam a ser ace­le­ra­dos. Ao fi­nal, já com ve­lo­ci­da­de pró­xi­ma à da luz, são trans­fe­ri­dos pa­ra o Ace­le­ra­dor In­je­tor, ou Bo­os­ter

Bo­os­ter

É um ace­le­ra­dor cir­cu­lar com a fun­ção de au­men­tar a ener­gia do fei­xe vin­do do Li­nac até a ener­gia da fon­te de luz. Ne­le, os cam­pos mag­né­ti­cos dos ímãs são in­cre­men­ta­dos sin­cro­ni­za­da­men­te, en­quan­to in­te­ra­gem com uma ca­vi­da­de de ra­di­o­frequên­cia que lhes for­ne­ce ener­gia a ca­da vol­ta

Anel de ar­ma­ze­na­men­to

Ao ser de­po­si­ta­do nes­te anel prin­ci­pal, o fei­xe de elé­trons pas­sa por com­po­nen­tes, usa­dos pa­ra cur­var a tra­je­tó­ria dos elé­trons, “for­çan­do-os” a pro­du­zir a luz sín­cro­ton

Luz sín­cro­ton

Quan­do os elé­trons com al­ta ener­gia e em al­ta ve­lo­ci­da­de têm sua tra­je­tó­ria des­vi­a­da por cam­pos mag­né­ti­cos, eles pro­du­zem um ti­po de ra­di­a­ção de am­plo es­pec­tro mag­né­ti­co e al­to bri­lho. Es­sa é a luz sín­cro­ton

Li­nhas de luz

Es­ta­ções ex­pe­ri­men­tais pa­ra on­de o fei­xe de luz sín­cro­ton é con­du­zi­do e di­re­ci­o­na­do até as amos­tras, de for­ma a re­ve­lar in­for­ma­ções so­bre os ma­te­ri­ais ana­li­sa­dos. As fon­tes de sín­cro­ton nor­mal­men­te pos­su­em mui­tas li­nhas de luz e ne­las são re­a­li­za­dos ex­pe­ri­men­tos com di­fe­ren­tes téc­ni­cas, do in­fra­ver­me­lho ao raio-X

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.