Volkswa­gen Golf

Ao con­trá­rio do que se es­pe­ra­va, o Golf 1.0 TSI não foi um su­ces­so de ven­das, mas ago­ra ga­nha um câm­bio au­to­má­ti­co pa­ra ten­tar de no­vo

Motorshow - - Sumário -

Fi­nal­men­te che­gou a li­nha 2018, que es­treia câm­bio au­to­má­ti­co no 1.0 TSI

AVolkswa­gen sur­pre­en­deu o mer­ca­do ao apre­sen­tar vá­ri­as no­vi­da­des na li­nha 2018 do Golf. Afi­nal, não é to­da ho­ra que se in­ves­te nu­ma ca­te­go­ria de car­ros con­de­na­da à ex­tin­ção. A me­nos que o fa­bri­can­te ve­ja uma so­bre­vi­da pa­ra aque­le ni­cho e tra­te de se ade­quar à re­a­li­da­de. Foi o que fez a Volks. Ape­sar de ter em­pla­ca­do ape­nas 1.431 car­ros de ja­nei­ro a maio, o Golf tem 24% de par­ti­ci­pa­ção entre os hat­ches mé­di­os, atrás do Che­vro­let Cru­ze e à fren­te do Ford Fo­cus. Pa­ra a Volkswa­gen, por­tan­to, ain­da va­le a pe­na in­ves­tir no Golf. Mas com um de­ta­lhe: ele tem que ser um car­ro de al­to pa­drão, pa­ra aten­der cli­en­tes es- pe­cí­fi­cos. E as­sim sur­giu o Golf Com­for­tli­ne 200 TSI Au­to­má­ti­co, um no­me pom­po­so pa­ra es­con­der que es­se car­ro de R$ 91.790 usa o mes­mo mo­tor 1.0 TSI do pe­que­ni­no Up e do Po­lo.

Com o down­si­zing dos mo­to­res e no­vas tec­no­lo­gi­as que de­ram mui­to mais po­tên­cia aos mo­to­res tur­bi­na­dos, a in­dús­tria au­to­mo­bi­lís­ti­ca pa­rou de fo­car na ci­lin­dra­da. As­sim co­mo no Po­lo, o 200 TSI do Golf Com­for­tli­ne in­di­ca os 200 Nm de tor­que, equi­va­len­tes a 20,4 kgfm, que es­tão dis­po­ní­veis de 2.000 a 3.500 rpm. Es­se mo­tor (que su­biu de 125

pa­ra 128 cv de po­tên­cia de­vi­do à no­va ca­li­bra­ção) não é no­vi­da­de na li­nha Golf. Mas o câm­bio au­to­má­ti­co de seis ve­lo­ci­da­des na ver­são de en­tra­da é. Tra­ta-se da cai­xa AQ250-6F, que é a mes­ma do Golf High­li­ne 250 TSI (an­ti­go 1.4), com con­ver­sor de tor­que e tro­cas se­quen­ci­ais. Jun­to com es­sa trans­mis­são, o Golf ga­nhou mais con­teú­do. O re­sul­ta­do é um car­ro com­ple­to, com se­te air­bags, fre­na­gem pós co­li­são, as­sis­ten­te de par­ti­da em su­bi­da, lu­zes diur­nas de LED, câ­me­ra de ré, vo­lan­te mul­ti­fun­ci­o­nal com bor­bo­le­tas, con­tro­le de pres­são dos pneus, sen­sor de chu­va e ou­tras tec­no­lo­gi­as.

O Golf Com­for­tli­ne 200 TSI só tem dois op­ci­o­nais: te­to so­lar pa­no­râ­mi­co (R$ 4.800) e ro­das de li­ga le­ve de 17” (R$ 2.450). As ro­das ori­gi­nais são de 16”, tam­bém de li­ga le­ve. O car­ro não tem mais ver­são com câm­bio ma­nu­al. Pa­ra a Volkswa­gen, o pra­zer ao di­ri­gir ago­ra es­tá mui­to mais as­so­ci­a­do ao con­for­to das tro­cas au­to­má­ti­cas. Pa­ra quem nun­ca di­ri­giu es­se Golf, o car­ro vai agra­dar. É ver­da­de que em ace­le­ra­ções um pou­co mais for­tes ele dá um pe­que­no so­la­van­co na tro­ca da pri­mei­ra pa­ra a se­gun­da mar­cha, co­mo se fos­se au­to­ma­ti­za­do, mas no ge­ral o câm­bio AT6 tor­nou o car­ro mais con­for­tá­vel no trân­si­to. Pe­lo al­to preço des­sa ver­são, tal­vez fos­se o ca­so de man­ter

uma ver­são Com­for­tli­ne do Golf 1.0 com câm­bio ma­nu­al e me­nos con­teú­do, mas as ven­das des­sa con­fi­gu­ra­ção de­cep­ci­o­na­ram a Volkswa­gen. Ago­ra, ou es­sa ver­são vin­ga ou lo­go vai de­sa­pa­re­cer, pois a High­li­ne 250 TSI (1.4) con­ti­nu­a­rá sen­do a mais ven­di­da, se­gun­do o de­par­ta­men­to de mar­ke­ting.

Um pou­co mais “amar­ra­do” do que o Golf 250 TSI, es­se 200 TSI en­tre­ga um ro­dar su­a­ve e se­gu­ro, mas sem tan­to lu­xo. O ar-con­di­ci­o­na­do, por exem­plo, não in­di­ca a tem­pe­ra­tu­ra. Tam­pou­co es­tão dis­po­ní­veis al­gu­mas tec­no­lo­gi­as da ver­são High­li­ne, co­mo pi­lo­to au­to­má­ti­co adap­ta­ti­vo. Em com­pen­sa­ção, a cen­tral mul­ti­mí­dia é a mes­ma nas du­as ver­sões, com te­la tá­til de 8” e um vi­su­al mais lim­po, com le­tras e nú­me­ros gran­des e ape­nas dois bo­tões de gi­rar. In­fe­liz­men­te, a en­tra­da USB per­ma­ne­ceu no fun­do do con­so­le cen­tral, em lo­cal de di­fí­cil aces­so. Com o App-Con­nect, é pos­sí­vel es­pe­lhar o smartpho­ne no sis­te­ma e uti­li­zar An­droid Au­to ou Ap­ple CarP­lay.

Mes­mo sen­do um car­ro de en­tra­da, o Golf Com­for­tli­ne é mui­to bem equi­pa­do, com vo­lan­te mul­ti­fun­ci­o­nal e a óti­ma cen­tral mul­ti­mí­dia com me­lho­ra­men­tos. Com o câm­bio au­to­má­ti­co, ele ga­nhou bor­bo­le­tas pa­ra tro­cas se­quen­ci­ais

Vi­su­al­men­te, as mu­dan­ças na li­nha Golf 2018 fo­ram bem su­a­ves. Os fa­róis e os pa­ra­cho­ques fo­ram re­de­se­nha­dos. To­das as ver­sões ago­ra têm lu­zes diur­nas de LED. As lan­ter­nas tra­sei­ras tam­bém são de LED e as ro­das ga­nha­ram no­vo de­se­nho. Es­sas mu­dan­ças fi­ca­ram mais mar­can­tes nas ver­sões High­li­ne (R$ 112.190) e GTI (leia abai­xo). No ge­ral, o câm­bio au­to­má­ti­co fez bem ao Golf 1.0 TSI, mas sua mu­dan­ça de pa­ta­mar de preço é es­pan­to­sa. Há ape­nas um ano es­se car­ro po­dia ser com­pra­do por pou­co mais de R$ 77.000, com câm­bio ma­nu­al. Pa­re­ce cla­ro que a Volkswa­gen não quer per­der tem­po com um Golf ba­ra­to. Sua es­tra­té­gia de hat­ches é mui­to bem de­fi­ni­da em cin­co pa­la­vras: con­fi­an­ça (Gol), li­festy­le (Up), ver­sa­ti­li­da­de (Fox), con­quis­ta (Po­lo) e per­for­man­ce (Golf). Por fim, o Golf 1.0 ga­nha uma no­va chance pa­ra fa­zer su­ces­so. Res­ta sa­ber se o preço vai dei­xar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.