Um ta­pa no vi­su­al, uma ajei­ta­da na li­nha

O VW Voya­ge ga­nha no­vo vi­su­al, câm­bio automático com o mo­tor 1.6 e tem sua ofer­ta sim­pli­fi­ca­da. Es­se 1.0 se­gue co­mo um bom se­dã de en­tra­da

Motorshow - - Teste Rápido - TEX­TO FLAVIO SILVEIRA

Não dá mais pa­ra cha­mar o Voya­ge de “mi­niJet­ta” ou o Vir­tus de “Voya­jão”. Não só por­que o Jet­ta mu­dou, mas por­que o Voya­ge, co­mo o Gol, che­ga à li­nha 2019 com um fa­ce­lift, ga­nhan­do op­ção au­to­má­ti­ca e a fren­te que já era usa­da no Gol Track. Mais do que di­fe­ren­ci­ar vi­su­al­men­te a li­nha, ser­viu pa­ra dar so­bre­vi­da a Gol e Voya­ge até 2021/2022, quan­do che­ga a no­va ge­ra­ção. Mas es­se no­vo-ve­lho Voya­ge ain­da va­le a pe­na?

Ana­li­san­do o VW Po­lo na ver­são de en­tra­da, 1.0, con­cluí­mos que os R$ 5.000 adi­ci­o­nais em re­la­ção ao Gol com o mes­mo mo­tor tra­zem mui­tas van­ta­gens. Com os se­dãs des­ses car­ros, a si­tu­a­ção mu­da um pou­co, pois te­mos mo­to­res di­fe­ren­tes e pre­ços mais dis­tan­tes: equi­pa­do com câm­bio ma­nu­al, o Voya­ge cus­ta R$ 52.640 na ver­são 1.0, en­quan­to o Vir­tus par­te de R$ 59.990, por­que vem só com o mo­tor 1.6 16V, mais po­ten­te ou o 1.0 TSI (mais ca­ro ain­da). As­sim, es­se ve­lho se­dã po­de ser uma boa com­pra pa­ra quem não po­de gas­tar tan­to, ou em vez de es­pa­ço e se­gu­ran­ça pri­o­ri­za equi­pa­men­tos. A uni­da­de ava­li­a­da ti­nha o pa­co­te “Ur­ban com­ple­to” (R$ 3.000) – com itens co­mo ro­das de li­ga, cha­ve e vi­dros elé­tri­cos tra­sei­ros (que no Vir­tus MSI são op­ci­o­nais) e, ain­da, re­tro­vi­so­res elé­tri­cos, sen­sor de es­ta­ci­o­na­men­to, luz de ne­bli­na e vo­lan­te com ajus­te de pro­fun­di­da­de (que o Vir­tus MSI não tem). O som sim­ples cus­ta R$ 1.000, sem te­la tá­til ou An­droid Au­to, e o com­ple­to, R$ 2.100.

Na ci­da­de, o 3 ci­lin­dros (ga­nhou 4 cv com eta­nol) tem com­por­ta­men­to exemplar, em mui­tas si­tu­a­ções ga­ran­tin­do mais agi­li­da­de que car­ros de mo­tor mai­or. O 1.0 12V tem for­ça em bai­xa e é elás­ti­co, “eco­no­mi­zan­do” tro­cas de mar­cha – a cai­xa tem óti­mos en­ga­tes, mas me­re­cia uma sex­ta na es­tra­da (a 120 km/h são 3.900 rpm, com mar­cas de 19 km/l).

No mais, o aca­ba­men­to é sim­ples, mas aci­ma da mé­dia, e o es­pa­ço é sa­tis­fa­tó­rio. O pai­nel agra­da, com boa lei­tu­ra e com­pu­ta­dor de bor­do (op­ci­o­nal) ex­ce­len­te, en­quan­to as sus­pen­sões são ex­cep­ci­o­nais no equi­lí­brio de di­nâ­mi­ca e ro­bus­tez. Mas a au­sên­cia de itens de se­gu­ran­ça (ESP e iso­fix), e a pla­ta­for­ma an­ti­ga, que ain­da tem itens co­mo di­re­ção hi­dráu­li­ca, pe­sam con­tra. No en­tan­to, se o or­ça­men­to es­tá li­mi­ta­do, o Voya­ge ain­da é agra­dá­vel de di­ri­gir – tem o me­lhor mo­tor 3 ci­lin­dros do mer­ca­do.

R$ 52.640 / CAR­RO AVA­LI­A­DO R$ 57.740 PRE­ÇO BÁ­SI­CO

O Voya­ge 1.0 per­ma­ne­ce com câm­bio ma­nu­al (o automático es­tá dis­po­ní­vel só no 1.6), mas seu mo­tor 3 ci­lin­dros ga­nhou 4 cv de po­tên­cia e man­tém o bom con­su­mo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.