Lon­dri­na ten­ta se des­pe­dir com vi­tó­ria

Ti­me pre­ci­sa ven­cer Gu­a­ra­ni pa­ra ter­mi­nar Sé­rie B em sex­to e igua­lar 2016, quan­do vol­tou à di­vi­são

NOSSODIA - - Primeira Página - (Lu­cio Fla­vio Cruz/ Gru­po Fo­lha)

Mes­mo só cum­prin­do ta­be­la na úl­ti­ma ro­da­da, o Lon­dri­na ain­da tem um ob­je­ti­vo no con­fron­to con­tra o Gu­a­ra­ni, no sábado (24), em Cam­pi­nas: bus­car uma vi­tó­ria pa­ra não ter­mi­nar com a pi­or cam­pa­nha des­de que vol­tou à Sé­rie B, há dois anos.

Em oi­ta­vo lu­gar, com 55 pon­tos, o LEC po­de fe­char a com­pe­ti­ção em sex­to lu­gar, re­pe­tin­do a per­for­man­ce de 2016. Pa­ra is­so, o ti­me pre­ci­sa ven­cer o Bu­gre e tor­cer por tro­pe­ços de Atlé­ti­co Goi­a­ni­en­se e Vi­la No­va, que so­mam 56 pon­tos.

Na sua pri­mei­ra tem­po­ra­da na Sé­rie B após au­sên­cia de 12 anos, o Al­vi­ce­les­te sur­pre­en­deu a to­dos e fe­chou o cam­pe­o­na­to em sex­to lu­gar em 2016, com 60 pon­tos. A cam­pa­nha te­ve 16 vi­tó­ri­as, 12 em­pa­tes e dez der­ro­tas, um apro­vei­ta- men­to de 52%.

No ano pas­sa­do, o clu­be foi além e ter­mi­nou em quin­to lu­gar, a dois pon­tos do aces­so. Após 38 ro­da­das, o Tu­ba­rão so­mou 62 pon­tos, com 18 vi­tó­ri­as, oi­to em­pa­tes e 12 der­ro­tas. Con­quis­tou 54% dos pon­tos dis­pu­ta­dos.

Nes­ta tem­po­ra­da, o ti­me tam­bém re­a­giu no re­tur­no, mas os nú­me­ros são in­fe­ri­o­res. Após 37 ro­da­das, são 15 vi­tó­ri­as, dez em­pa­tes e 12 der­ro­tas. Mes­mo que ga­nhe no Brin­co de Ou­ro da Prin­ce­sa e che­gue aos 58 pon­tos, te­rá a me­nor pon­tu­a­ção dos três anos e tam­bém o pi­or apro­vei­ta­men­to: 50,8%. O con­so­lo se­ria igua­lar a sex­ta po­si­ção de 2016.

“Acre­di­to que is­so é um mo­ti­vo de or­gu­lho pe­lo tra­ba­lho re­a­li­za­do. Pe­la ter­cei­ra vez con­se­cu­ti­va, o Lon­dri­na es­tá na lis­ta dos dez pri­mei­ros e no to­po da lis­ta dos dez. De­pois do quar­to co­lo­ca­do, nós fo­mos o se­gun­do, o pri­mei­ro e po­de­mos ter­mi­nar no­va­men­te em se­gun­do ou ter­cei­ro”, fri­sou o exe­cu­ti­vo de fu­te­bol Oci­mar Bo­li­ce­nho.

Pa­ra o di­ri­gen­te, o Lon­dri­na tem con­se­gui­do cam­pa­nhas mais vi­to­ri­o­sas e con­sis­ten­tes do que mui­tos clu­bes com gran­de tra­di­ção no fu­te­bol bra­si­lei­ro. “Te­mos vá­ri­os exem­plos de equi­pes que per­ma­ne­ce­ram mui­to mais de três anos na Sé­rie B. E o Lon­dri­na, após três anos, tem uma boa pers­pec­ti­va em um pra­zo cur­to de as­cen­der à Sé­rie A”, afir­mou.

O téc­ni­co Ro­ber­to Fon­se­ca, que as­su­miu a equi­pe na pri­mei­ra ro­da­da do se­gun­do tur­no, res­sal­tou que, ape­sar do clu­be não ter con­se­gui­do o ob­je­ti­vo prin­ci­pal, ele sai satisfeito com o tra­ba­lho que foi im­ple­men­ta­do.

“Eu ti­nha um de­se­jo mui­to gran­de de re­tor­nar ao Lon­dri­na e a ale­gria tam­bém é gran­de pe­lo o que a gen­te re­a­li­zou. In­clu­si­ve, me­lhor do que eu ti­nha ima­gi­na­do, já que na mi­nha che­ga­da a des­con­fi­an­ça era enor­me. Che­ga­mos mui­to per­to do êxi­to to­tal, con­se­gui­mos mui­tas coi­sas aqui e de­vol­ve­mos a ale­gria do tor­ce­dor”, apon­tou Fon­se­ca.

Pa­ra a partida em Cam­pi­nas, o LEC te­rá um ti­me bas­tan­te mo­di­fi­ca­do, já que al­guns ti­tu­la­res, co­mo Da­go­ber­to, Dir­ceu, Ger­ma­no e Fe­li­pe Mar­ques, não es­ta­rão em cam­po. O Gu­a­ra­ni é o no­no co­lo­ca­do, com 51 pon­tos, e, mes­mo que ven­ça, não ame­a­ça a oi­ta­va po­si­ção do Al­vi­ce­les­te.

Gus­ta­vo Oli­vei­ra/Lon­dri­na Es­por­te Clu­be

O ata­can­te Da­go­ber­to é um dos ti­tu­la­res que não vão atu­ar di­an­te do Gu­a­ra­ni

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.