ÚL­TI­MO JOGO SER­VIU CO­MO OB­SER­VA­ÇÃO

NOSSODIA - - Nossoesporte - (Lu­cio Flá­vio Cruz/Gru­po Fo­lha)

O Lon­dri­na fe­chou a Sé­rie B de 2018 com dois sen­ti­men­tos bem cla­ros. O pri­mei­ro, po­si­ti­vo, pe­la re­cu­pe­ra­ção es­pe­ta­cu­lar da equi­pe no re­tur­no, e o se­gun­do, de que os er­ros de pla­ne­ja­men­to que acon­te­ce­ram ao lon­go da tem­po­ra­da fi­ze­ram com que o clu­be des­per­di­ças­se a chan­ce do aces­so.

Com a der­ro­ta pa­ra o Gu­a­ra­ni no sá­ba­do (24), o LEC ter­mi­nou com a pior cam­pa­nha desde que vol­tou à com­pe­ti­ção, em 2016. O Tu­ba­rão fe­chou em oi­ta­vo lu­gar, com 55 pon­tos e apro­vei­ta­men­to de 48%. Após 38 ro­da­das, foram 15 vi­tó­ri­as, dez em­pa­tes e 13 der­ro­tas.

No seu úl­ti­mo jogo da tem­po­ra­da, o Lon­dri­na usou apenas dois ti­tu­la­res na der­ro­ta por 1 a 0 pa­ra o Gu­a­ra­ni, no sá­ba­do (24), no Brin­co de Ou­ro da Prin­ce­sa, em Cam­pi­nas. A partida foi uti­li­za­da pe­lo téc­ni­co Ro­ber­to Fon­se­ca pa­ra ob­ser­var jo­ga­do­res pou­co apro­vei­ta­dos du­ran­te o ano e que vão com­por o elen­co pa­ra a dis­pu­ta do Cam­pe­o­na­to Pa­ra­na­en­se de 2019. No­mes co­mo Alan, Matheu­zi­nho, Mar­con­des, Igor Mi­ran­da, An­der­son Lei­te e Mar­ce­li­nho ti­ve­ram a chan­ce de entrar em cam­po no en­cer­ra­men­to da tem­po­ra­da. “O nosso ob­je­ti­vo nes­te jogo era ob­ser­var es­tes jo­ga­do­res que são no­vos, mas já são uma re­a­li­da­de. Con­fi­a­mos mui­to ne­les e te­nho cer­te­za de que es­tão pre­pa­ra­dos pa­ra fa­zer um Es­ta­du­al com­pa­tí­vel com as tra­di­ções Em 2016, o Lon­dri­na foi o sex­to, com 60 pon­tos e apro­vei­ta­men­to de 52%. No ano pas­sa­do, foi ain­da me­lhor. So­mou 62 pon­tos e fe­chou na quin­ta po­si­ção, com apro­vei­ta­men­to de 54%.

Após ter­mi­nar o pri­mei­ro tur­no na zo­na do re­bai­xa­men­to, com apenas 21 pon­tos, o LEC foi o me­lhor ti­me do re­tur­no, com 34 pon­tos so­ma­dos. Após a che­ga­da de Ro­ber­to Fon­se­ca, foram dez vi­tó­ri­as, qua­tro em­pa­tes e cin­co der­ro­tas, um apro­vei­ta­men­to de 59%. Po­rém, nos úl­ti­mos três jo­gos do cam­pe­o­na­to, o ti­me so­mou apenas um pon­to e perdeu a chan­ce do Lon­dri­na”, apon­tou Fon­se­ca.

No Pa­ra­na­en­se, o Lon­dri­na vai usar um ti­me mais jo­vem e ba­ra­to, en­quan­to Fon­se­ca e al­guns dos prin­ci­pais atletas do elen­co vão dis­pu­tar o Cam­pe­o­na­to Pau­lis­ta pe­lo No­vo­ri­zon­ti­no. “O Lon­dri­na tem for­ma­do gran­des jo­ga­do­res e es­te é o mo­men­to de dar­mos es­ta opor­tu­ni­da­de pa­ra que eles bus­quem a ex­pe­ri­ên­cia ne­ces­sá­ria pa­ra evo­luí­rem”, fri­sou o treinador. No Es­ta­du­al, o LEC se­rá co­man­da­do pe­lo téc­ni­co Ale­mão, do ti­me sub-19, que no sá­ba­do perdeu a se­mi­fi­nal nos pê­nal­tis pa­ra o Atlé­ti­co no Pa­ra­na­en­se da ca­te­go­ria.

Se a partida con­tra o Gu­a­ra­ni não ti­nha mui­ta im­por­tân­cia em ter­mos de clas­si­fi­ca­ção, va­leu pa­ra al­guns jo­ga­do­res. O la­te­ral-es­quer­do Igor de bri­gar até o fim por uma va­ga no G4.

“Con­se­gui­mos dois dos nos­sos três ob­je­ti­vos. Ti­ra­mos o Lon­dri­na lá de bai­xo e res­ga­ta­mos o or­gu­lho do tor­ce­dor, e os úl­ti­mos jo­gos no Ca­fé con­fir­ma­ram is­so. Fal­tou o ter­cei­ro, que foi o aces­so, mas qu­em sa­be is­so se con­cre­ti­ze em um futuro bre­ve?”, apon­tou Ro­ber­to Fon­se­ca.

A cam­pa­nha in­su­fi­ci­en­te pa­ra con­se­guir o aces­so foi uma con­sequên­cia de di­ver­sos er­ros que o clu­be co­me­teu desde o iní­cio da tem­po­ra­da. A con­tra­ta­ção de qua­se 40 jo­ga­do­res, a tro­ca de trei­na­do­res (qua­tro co- Mi­ran­da re­tor­nou a uma partida ofi­ci­al de­pois de no­ve me­ses, pe­río­do em que fi­cou a mai­or par­te do tem­po pa­ra­do de­vi­do a uma cirurgia no jo­e­lho. “Es­tou fe­liz por ter vol­ta­do após tan­to tem­po. To­dos sa­bem co­mo é di­fí­cil uma re­cu­pe­ra­ção des­sas e con­se­gui dar a vol­ta por ci­ma e jogar o tem­po to­do. Ago­ra é se em­pe­nhar bas­tan­te pa­ra o Pa­ra­na­en­se do ano que vem”, afir­mou o jo­ga­dor.

Pen­sa­men­to se­me­lhan­te tem o za­guei­ro Mar­con­des, ou­tro que per­ma­ne­ce no clu­be pa­ra a pró­xi­ma tem­po­ra­da. “É uma gran­de mo­ti­va­ção jogar o Es­ta­du­al. É uma opor­tu­ni­da­de pa­ra mos­trar o trabalho e de­pois ser apro­vei­ta­do na Sé­rie B. To­dos que es­tão aqui têm mui­ta qua­li­da­de pa­ra fa­zer­mos uma boa com­pe­ti­ção”, ga­ran­tiu. (L.F.C.) man­da­ram o ti­me du­ran­te o ano) e as cam­pa­nhas ruins no Pa­ra­na­en­se e na Co­pa do Bra­sil fi­ze­ram com que o ti­me che­gas­se sem uma ba­se de­fi­ni­da e en­fra­que­ci­do pa­ra o iní­cio da Sé­rie B.

“Ti­ve­mos vá­ri­os per­cal­ços ao lon­go da com­pe­ti­ção, e por is­so pre­ci­sa­mos tra­ba­lhar e fo­car em um pla­ne­ja­men­to ade­qua­do pa­ra não re­pe­tir­mos to­dos es­tes pro­ble­mas em 2019”, res­sal­tou Fon­se­ca.

E as di­fi­cul­da­des en­fren­ta­das du­ran­te o ano fi­ze­ram com que o clu­be ba­tes­se na tra­ve na bri­ga pe­lo aces­so pe­lo ter­cei­ro ano con­se­cu­ti­vo, jus­ta­men­te em uma tem­po­ra­da em que a pon­tu­a­ção pa­ra su­bir foi a mais bai­xa desde 2016. O Goiás, quar­to co­lo­ca­do, su­biu com 60 pon­tos. Co­mo com­pa­ra­ção, em 2016, o Bahia pre­ci­sou de 63 pon­tos pa­ra su­bir e, no ano pas­sa­do, o Paraná so­mou 64. Se o LEC ti­ves­se re­pe­ti­do a cam­pa­nha de 2017, te­ria si­do o vi­ce-cam­peão nes­ta tem­po­ra­da. Su­bi­ram ain­da es­te ano o cam­peão For­ta­le­za (71), o CSA (62) e o Avaí (61).

O elen­co do Lon­dri­na en­trou em fé­ri­as após o en­cer­ra­men­to da Sé­rie B e a re­a­pre­sen­ta­ção es­tá mar­ca­da pa­ra o dia 3 de ja­nei­ro. O Lon­dri­na estreia no Pa­ra­na­en­se no dia 20 de ja­nei­ro, di­an­te do Ci­a­nor­te, fo­ra de casa.

Gus­ta­vo Oli­vei­ra/ Lon­dri­na Es­por­te Clu­be

O Tu­ba­rão jo­gou em Cam­pi­nas com um ti­me re­ple­to de re­ser­vas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.