IM­PAS­SE NO CEU DO SAN­TA RI­TA PRE­O­CU­PA MO­RA­DO­RES

Es­pa­ço es­tá em uso há qua­se seis anos, mas ain­da não foi inau­gu­ra­do ofi­ci­al­men­te, o que im­pe­de ma­nu­ten­ções. Vi­zi­nhos te­mem que lo­cal vi­re mo­có

NOSSODIA - - Primeira Página - (Ed­son Ne­ves/NOSSODIA)

“Um ele­fan­te bran­co to­tal­men­te des­truí­do”. As­sim foi de­fi­ni­do o es­pa­ço do CEU (Cen­tro de Ar­tes e Es­por­tes Uni­fi­ca­dos) por mo­ra­do­res do con­jun­to San­ta Ri­ta I. O lo­cal é enor­me - com 4.500 me­tros qua­dra­dos - e con­ta além de uma qu­a­dra po­li­es­por­ti­va, par­qui­nho in­fan­til e pis­ta de ska­te, abri­ga a se­de do CRAS Oes­te B e de uma Bi­bli­o­te­ca Pú­bli­ca Mu­ni­ci­pal. A obra cus­tou, na épo­ca, cer­ca de R$ 2 mi­lhões e con­tou com ver­ba da Cai­xa Econô­mi­ca Fe­de­ral.

A bron­ca vem dos es­pa­ços e sa­las mul­tiu­so, co­mo o te­le­cen­tro (al­vo de um fur­to re­cen­te) e do ci­ne­te­a­tro, que não es­tão sen­do usa­dos. Na prá­ti­ca, o es­pa­ço fun­ci­o­na há qua­se seis anos. No pa­pel, a obra se­quer foi en­tre­gue ofi­ci­al­men­te. “Te­mos in­for­ma­ções de que o es­pa­ço não foi en­tre­gue. Es­ta­mos há dois anos in­ves­ti­gan­do e co­bran­do a si­tu­a­ção”, dis­se Car­los En­ri­que San­ta­na, mem­bro do CDH (Cen­tro de Di­rei­tos Hu­ma­nos) de Lon­dri­na.

Vas­cu­lhan­do o lo­cal, o NOSSODIA re­pa­rou que nem o ba­nhei­ro es­tá ins­ta­la­do. Be­be­dou­ro tam­bém não exis­te mais. Com o tem­po, o es­pa­ço foi se de­te­ri­o­ran­do e não é di­fí­cil en­con­trar ban­cos que­bra­dos e li­xo es­pa­lha­do. Até uma par­te da pa­re­de da qua- dra es­tá o ba­ga­ço. “O es­ta­do em que se en­con­tra é uma aber­ra­ção. Uma obra ca­rís­si­ma, com ver­ba fe­de­ral e que não tem uti­li­da­de ne­nhu­ma. A nos­sa co­bran­ça é que o po­der pú­bli­co pos­sa re­sol­ver es­sa si­tu­a­ção”, apon­tou San­ta­na.

A co­or­de­na­do­ra do“Gru­po Ges­tor” do CEU, Ju­vi­ra Cordeiro, la­men­ta o ca­mi­nho em que o Cen­tro es­tá to­man­do. “Te­mos um gran­de ele­fan­te bran­co e vai se tor­nar um gran­de mo­có. (A ad­mi­nis­tra­ção) Dei­xa a gen­te com um equi­pa­men­to que pro­mo­ve­ria a cul­tu­ra e a edu­ca­ção, mas que lar­ga aqui sem ter­mi­nar. A ges­tão atu­al não es­tá que­ren­do fa­zer com que a coi­sa fun­ci­o­ne. Te­re­mos um pro­ble­ma se­rís­si­mo. Quem fre­quen­ta­va an­tes, ho­je tem me­do de vir aqui”, afir­mou.

Se­gun­do o ve­re­a­dor Vil­son Bit­ten­court (PSB), que pe­diu uma au­di­ên­cia pú­bli­ca so­bre o lo­cal no ano pas­sa­do, uma lei im­pe­de que se­ja fei­tas in­ter­ven­ções sem an­tes inau­gu­rar a obra. “A gen­te es­tá pre­o­cu­pa­do com is­so. Já dis­se­ram que a res­pon­sa­bi­li­da­de era da FEL (Fun­da­ção de Es­por­tes de Lon­dri­na), de­pois da As­sis­tên­cia So­ci­al, de­pois da Cul­tu­ra. Só que nin­guém to­ma con­ta”. Bit­ten­court co­men­tou so­bre um apor­te de R$ 50 mil pa­ra a fi­na­li­za­ção das obras por lá. “A Câ­ma­ra au­to­ri­zou um pro­je­to de lei que di­re­ci­o­na­va es­se va­lor pa­ra o CEU se equi­par com o que fal­ta e po­der re­a­li­zar a inau­gu­ra­ção”, com­ple­tou.

O se­cre­tá­rio de Cul­tu­ra, Caio Ce­sa­ro, dis­se que se­to­res co­mo a bi­bli­o­te­ca são de res­pon­sa­bi­li­da­de da sua Se­cre­ta­ria, mas não o es­pa­ço co­mo um to­do. “No ca­so do CEU, foi fei­to um con­vê­nio com o Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra. E o pro­je­to não com­pre­en­de a aqui­si­ção de mo­bi­liá­ri­os, que se­ri­am ad­qui­ri­dos por li­ci­ta­ções. E res­ta­ram al­guns itens a se­rem li­ci­ta­dos”.

Ed­son Ne­ves

Fo­tos: Ed­son Ne­ves

Co­mu­ni­da­de te­me que o es­pa­ço vi­re um mo­có em bre­ve

Nem inau­gu­ra­do ofi­ci­al­men­te foi o CEU do San­ta Ri­ta e já tem lo­cais de­to­na­dos co­mo a qu­a­dra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.