Se­gu­ra­do vai tra­ba­lhar mais

Pa­ra evi­tar per­da na apo­sen­ta­do­ria, tra­ba­lha­dor pre­ci­sa con­tri­buir por mais dois me­ses

O Dia - - ECONOMIA - MARTHA IMENES [email protected]

Tra­ba­lha­do­res que atin­gi­ram as con­di­ções de apo­sen­ta­do­ria por tem­po de con­tri­bui­ção (30 anos de re­co­lhi­men­to pa­ra mu­lhe­res e 35, pa­ra ho­mens) e es­pe­ra­rem pa­ra apo­sen­tar em ja­nei­ro ou fe­ve­rei­ro de 2019 po­dem ter per­da me­nor no va­lor do be­ne­fí­cio. Co­mo hou­ve au­men­to mé­dio na ex­pec­ta­ti­va de vi­da, se­gun­do o IBGE, que in­fluên­cia di­re­ta­men­te o fa­tor pre­vi­den­ciá­rio, a apo­sen­ta­do­ria so­li­ci­ta­da em de­zem­bro, com­pa­ra­da ao pe­di­do fei­to em novembro, te­rá re­du­ção de 0,77%. Pa­ra ter o mes­mo pa­drão, o se­gu­ra­do te­rá que tra­ba­lhar mais, em mé­dia, 54 di­as.

Aque­da­do va­lor das no­vas apo­sen­ta­do­ri­as ocor­re­rá por­que, além da ex­pec­ta­ti­va de vi­da ao nas­cer, o IBGE re­cal­cu­la, tam­bém, a ex­pec­ta­ti­va de so­bre­vi­da. Ou se­ja, qu­an­tos anos mais apes­soa vi­ve­rá por fai­xa etá­ria.

A ex­pec­ta­ti­va de vi­da ao nas­cer su­biu pa­ra 76 anos em 2017, al­ta de três me­ses e on­ze di­as em re­la­ção ao ano an­te­ri­or, se­gun­do o IBGE. Em 2016, era de 75,8 anos. Na fai­xa en­tre 40 e 80 anos, a ex­pec­ta­ti­va de vi­da com­pa­ra­da ao ano pas­sa­do, au­men­tou 54 di­as.

“Co­ma mu­dan­ça, o se­gu­ra­do pre­ci­sa tra­ba­lha rum pou­co mais pa­ra ter o mes­mo be­ne­fí­cio. Por exem­plo, um ho­mem com 55 anos com 35 anos de con­tri­bui­ção vai pre­ci­sar tra­ba­lhar mais 73 di­as pa­ra ter di­rei­to ao mes­mo va­lor que se­ria pa­go ho­je”, afir­ma New­ton Conde, atuá­rio es­pe­ci­a­li­za­do em Pre­vi­dên­cia e con­sul­tor da Conde Con­sul­to­ria Atu­a­ri­al.

O le­van­ta­men­to trou­xe da­dos so­bre ex­pec­ta­ti­va de vi­da: en­quan­to a projeção fe­mi­ni­na em 2017 foi de 79,6 anos, a dos ho­mens fi­cou em 72,5. Até nos be­bês es­sa ten­dên­cia se re­pe­te: a ca­da mil me­ni­nos nas­ci­dos no ano pas­sa­do, 13,8 não che­ga­vam ao pri­mei­ro ano de vi­da. Pa­ra as me­ni­nas, es­sa ta­xa fi­cou em 11,8 a ca­da mil.

AGÊN­CIA BRASIL

Mu­lhe­res tra­ba­lha­do­ras vi­vem mais que ho­mens, se­gun­do le­van­ta­men­to di­vul­ga­do pe­lo IBGE

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.