Ne­go­ci­ar é saí­da pa­ra man­ter o in­qui­li­no

Con­tra­tos com ven­ci­men­to em de­zem­bro te­rão correção de 9,68% pe­lo IGP-M

O Dia - - ECONOMIA -

Em de­zem­bro, al­guns in­qui­li­nos po­dem ter dor de ca­be­ça com o au­men­to no va­lor do alu­guel. O Ín­di­ce Ge­ral de Pre­ços do Mer­ca­do (IGP-M) re­gis­trou al­ta acu­mu­la­da de 9,68% - en­tre de­zem­bro de 2017 e novembro des­te ano. A saí­da pa­ra nin­guém sair per­den­do na ho­ra de cor­ri­gir o va­lor é ne­go­ci­ar a correção pa­ra quem tem ven­ci­men­to anu­al de con­tra­to no pró­xi­mo mês.

Se­gun­do o Sin­di­ca­to da Ha­bi­ta­ção de São Pau­lo (Se­co­vi-SP), com a correção pe­lo prin­ci­pal in­di­ca­dor usa­do em con­tra­tos de lo­ca­ção, um alu­guel de R$ 1.500, com vi­gên­cia de 12 me­ses até de­zem­bro, de­ve­rá ser mul­ti­pli­ca­do pe­lo fa­tor 1,0968 (de acor­do com o ín­di­ce). O re­sul­ta­do, R$ 1.645,20, cor­res­pon­de ao no­vo va­lor do alu­guel.

Thi­a­go Ne­ves, ad­vo­ga­do imo­bi­liá­rio, lem­bra que a cri­se fi­nan­cei­ra po­de atra­pa­lhar em mo­men­tos de re­a­jus­te, e su­ge­re que in­qui­li­nos e do­nos de imó­veis ne­go­ci­em.

“A apli­ca­ção de re­a­jus­tes ex­ces­si­vos po­de le­var à fal­ta de in­te­res­se do lo­ca­tá­rio de re­no­vá-lo, di­an­te da ofer­ta de imó­veis com pos­si­bi­li­da­de de ne­go­ci­a­ção”, pon­de­ra.

É o ca­so da pro­fes­so­ra Lei­la Car­va­lho, 34 anos. Pro­pri­e­tá­ria de um apar­ta­men­to no Fla­men­go, ela foi ori­en­ta­da pe­lo cor­re­tor a não co­brar o va­lor in­te­gral do re­a­jus­te, que com­ple­ta 12 me­ses em de­zem­bro, e de­ve ser pa­go até dia 5 de ja­nei­ro.

“Por con­ta do mer­ca­do fra­co, e pa­ra não per­der o in­qui­li­no, con­cor­dei em re­a­jus­tar com um va­lor me­nor, em tor­no de 35% do to­tal”, ex­pli­ca.

O ad­vo­ga­do su­ge­re que a adim­plên­cia do lo­ca­tá­rio de­ve ser le­va­da em con­ta. “A ne­go­ci­a­ção se tor­na ain­da mais fá­cil se o alu­guel é pa­go em dia”, acon­se­lha Ne­ves.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.