Flu de­mi­te Mar­ce­lo pa­ra so­bre­vi­ver na Sé­rie A

Téc­ni­co não re­sis­te à sequên­cia de oi­to jo­gos sem vi­tó­ria e sem gol. Ti­me se­rá co­man­da­do pe­lo au­xi­li­ar Fá­bio Mo­re­no na ‘de­ci­são’ con­tra o Amé­ri­ca-MG

O Dia - - ATAQUE - HU­GO PERRUSO hu­[email protected]

Em fran­ga­lhos a três di­as do jo­go de­ci­si­vo pa­ra se man­ter na Sé­rie A do Bra­si­lei­ro, o Flu­mi­nen­se to­mou uma ati­tu­de pa­ra ten­tar mu­dar o atu­al pa­no­ra­ma e de­mi­tiu o téc­ni­co Mar­ce­lo Oliveira. Pa­ra a úl­ti­ma par­ti­da do ano, con­tra o Amé­ri­ca-MG, o au­xi­li­ar téc­ni­co fi­xo, Fá­bio Mo­re­no, vai co­man­dar a equi­pe e só te­rá dois trei­nos pa­ra bus­car so­lu­ções pa­ra en­cer­rar o je­jum his­tó­ri­co de oi­to jo­gos sem ba­lan­çar a re­de.

A que­da de Mar­ce­lo Oliveira se de­veu às re­cen­tes atu­a­ções, mui­to abai­xo do es­pe­ra­do. Pe­sa­ram con­tra o trei­na­dor as fre­quen­tes mu­dan­ças no es­que­ma e na es­ca­la­ção, o que re­sul­tou na fal­ta de pa­drão, as­sim co­mo a op­ção por al­guns jo­ga­do­res, co­mo Ju­ni­or Du­tra, mui­to cri­ti­ca­do pe­la tor­ci­da. Mas o prin­ci­pal foi a per­da do ves­tiá­rio.

O gru­po de jo­ga­do­res já não es­ta­ria sa­tis­fei­to com as cons­tan­tes mu­dan­ças e, após a der­ro­ta pa­ra o Bahia, em Sal­va­dor, o trei­na­dor não te­ve mais a con­fi­an­ça do elen­co.

Com o pa­no­ra­ma se de­te­ri­o­ran­do a ca­da jo­go, com o ti­me apre­sen­tan­do atu­a­ções ca­da vez pi­o­res, ba­teu o de­ses­pe­ro na di­re­to­ria tri­co­lor pa­ra ten­tar evi­tar o que se­ria um re­bai­xa­men­to ver­go­nho­so. Sem ven­cer há oi­to par­ti­das (sen­do seis pe­lo Bra­si­lei­ro), os di­ri­gen­tes fo­ram for­te­men­te pres­si­o­na­dos por con­se­lhei­ros e tor­ce­do­res — que cha­ma­ram Mar­ce­lo Oliveira de ‘bur­ro’ — após a der­ro­ta pa­ra o Atlé­ti­co-PR pa­ra de­mi­ti-lo e ten­tar di­mi­nuir o cli­ma hos­til.

“Con­se­gui­mos cri­ar um óti­mo am­bi­en­te e blin­dar, até on­de foi pos­sí­vel, os fa­to­res ex­tra­cam­po. La­men­to não ter po­di­do con­tri­buir mais. In­fe­liz­men­te, o téc­ni­co de­pen­de de re­sul­ta­dos, mas os re­sul­ta­dos não de­pen­dem ape­nas da ação do téc­ni­co”, dis­se Mar­ce­lo em no­ta ofi­ci­al.

E, sem mui­to tem­po, a di- re­to­ria op­tou por co­lo­car o au­xi­li­ar Fá­bio Mo­re­no pa­ra o du­e­lo com o Amé­ri­ca-MG, ape­sar da pres­são de uma cor­ren­te pe­lo téc­ni­co do sub-20, Leo Per­co­vi­ch. O no­vo interino es­tá em sua se­gun­da pas­sa­gem pe­lo Flu­mi­nen­se.

Fá­bio che­gou ao clu­be em 2012 co­mo ob­ser­va­dor téc­ni­co, in­di­ca­do por Abel Bra­ga. Na épo­ca, ele foi con­tra­ta­do co­mo uma for­ma de ho­me­na­ge­ar o pai, Ro­ber­to Mo­re­no, que mor­re­ra di­as an­tes e que ha­via tra­ba­lha­do com Abe­lão por qua­se dez anos na co­mis­são téc­ni­ca tri­co­lor.

Co­mo ob­ser­va­dor, Fá­bio foi cam­peão olím­pi­co em 2016 e vol­tou ao Flu­mi­nen­se em 2017. Ele ga­nhou o car­go de au­xi­li­ar com Mar­ce­lo Oliveira. Fá va de

Mar­ce­lo Oliveira te­ve aproveitamento de 44% no Flu­mi­nen­se, com 12 vi­tó­ri­as, oi­to em­pa­tes e 13 der­ro­tas

Um gru­po pe­que­no de tor­ce­do­res do Flum

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.