A amar­gu­ra de um ven­de­dor de ba­las

Após ser re­ti­ra­do da bar­ca por agen­tes, Jo­sé Au­gus­to foi agre­di­do e al­ge­ma­do

O Dia - - FRONT PAGE - AN­DER­SON JUSTINO an­der­[email protected] THUANY DOSSARES [email protected]

Jo­sé Au­gus­to dos San­tos foi agre­di­do por PMs na Pra­ça Ara­ri­boia. Mo­ti­vo: ven­der ba­las na bar­ca.

Na ten­ta­ti­va de ven­der ba­las nu­ma bar­ca que saiu da Pra­ça XV em di­re­ção a Ni­te­rói, Jo­sé Au­gus­to dos San­tos aca­bou imo­bi­li­za­do, al­ge­ma­do e de­ti­do por po­li­ci­ais mi­li­ta­res, no úl­ti­mo dia 29, ao che­gar à Es­ta­ção Ara­ri­boia. A tru­cu­lên­cia dei­xou mar­cas e on­tem ele re­cor­reu à UPA de San­ta Lu­zia, em São Gon­ça­lo, com for­tes do­res nas cos­tas.

Jo­sé foi au­tu­a­do na 76ª DP (Cen­tro de Ni­te­rói) por de­sa­ca­to, re­sis­tên­cia e de­so­be­di­ên­cia. “A dig­ni­da­de do ho­mem não es­tá no que ele tra­ba­lha”, dis­se. É com a ven­da de ba­las que ele sus­ten­ta três fi­lhos, sen­do dois do pri­mei­ro ca­sa­men­to, e pa­gou cur­so pa­ra a mu­lher, Li­di­o­ma­ra, tor­nar-se pro­fes­so­ra.

Se­gun­do Jo­sé, as­sim que foi ad­ver­ti­do por PMs de que era proi­bi­do o co­mér­cio ali, co­me­çou a re­co­lher as ba­las. Os pas­sa­gei­ros, en­tão, pas­sa­ram a de­fen­der o am­bu­lan­te, o que te­ria ir­ri­ta­do os po­li­ci­ais.

De acor­do com Jo­sé, quan­do a bar­ca atra­cou em Ni­te­rói, os PMs o con­du­zi­ram à de­le­ga­cia. “Não me ne­guei a ir, mas eles co­me­ça­ram a me pu­xar. Pe­di pa­ra não me to­ca­rem, en­tão eles co­me­ça­ram a me em­pur­rar e me jo­ga­ram no chão quen­te, me su­fo­ca­ram. Me sen­ti mui­to hu­mi­lha­do”.

ESTEFAN RADOVICZ

Jo­sé Au­gus­to foi à UPA com do­res, após ser der­ru­ba­do e su­fo­ca­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.