IM­PE­A­CH­MENT

O Estado de S. Paulo - - Espaço Aberto -

Fim de fei­ra

La­men­tá­vel o fi­nal da co­mis­são do im­pe­a­ch­ment, ten­do em vista os se­na­do­res es­co­lhi­dos pe­lo PT pa­ra de­fen­der a pre­si­den­te afas­ta­da. A de­fe­sa “in­fan­til” con­se­guiu até ir­ri­tar os que se opu­nham ao im­pe­di­men­to: en­tre ofen­sas, ten­ta­ti­vas de pos­ter­gar ao má­xi­mo a vo­ta­ção fi­nal, bai­xa­ri­as e con­fu­sões, che­gan­do à fal­ta de res­pei­to com os de­mais se­na­do­res da co­mis­são. A “ban­ca­da da chu­pe­ta”, co­mo foi ape­li­da­da – Glei­si Hoff­mann, Va­nes­sa Graz­zi­o­tin, Lind­bergh Fa­ri­as e Fá­ti­ma Be­zer­ra –, pro­ta­go­ni­zou inú­me­ros mo­men­tos cons­tran­ge­do­res, acu­san­do a im­pren­sa e quem se opu­nha ao go­ver­no Dil­ma de gol­pis­tas e cri­mi­no­sos. E a ban­ca­da dos fa­vo­rá­veis ao im­pe­a­ch­ment, que con­ta­va com 55 se­na­do­res, já es­ta­ria em 60. Por opor­tu­nas, fa­ço mi­nhas as pa­la­vras da se­na­do­ra Ana Amé­lia Le­mos (PP-RS): “O PT su­bes­ti­ma a in­te­li­gên­cia dos bra­si­lei­ros ao ten­tar se pas­sar por ví­ti­ma. Men­tiu tan­to pa­ra a so­ci­e­da­de, gol­pe­ou a boa-fé dos elei­to­res em 2014 e pro­vo­cou a mai­or cri­se econô­mi­ca da His­tó­ria do País. Es­tá co­lhen­do o que plan­tou”. A no­bre se­na­do­ra gaú­cha par­ti­ci­pou da co­mis­são do im­pe­a­ch­ment com ar­gu­men­tos sé­ri­os, ga­lhar­dia e in­te­li­gên­cia, re­pre­sen­tan­do com mui­ta se­gu­ran­ça a mu­lher bra­si­lei­ra na po­lí­ti­ca. LEILA ELSTON LEI­TÃO São Pau­lo

Ini­mi­gos pa­ra quê?

De­pois de as­sis­tir ao de­sem­pe­nho do gru­po de­fen­sor da “pre­si­den­ta” na co­mis­são de im­pe­a­ch­ment, que se des­ta­cou por seus co­nhe­ci­men­tos téc­ni­cos pro­fun­dos, sua edu­ca­ção exem­plar, sua cor­te­sia no tra­to com o sr. re­la­tor, bem co­mo com as tes­te­mu­nhas de acu­sa­ção, por seu res­pei­to à in­te­li­gên­cia dos de­mais in­te­gran­tes da co­mis­são, e tam­bém dos te­les­pec­ta­do­res, che­guei à con­clu­são de que com ami­gos des­se qui­la­te ela, de­ci­di­da­men­te, não pre­ci­sa de ini­mi­gos. ARLETE PA­CHE­CO arl­pa­[email protected] Ita­nhaém

De­ci­béis

A apro­va­ção do re­la­tó­rio mos­trou que de al­guns se­na­do­res não se apro­vei­ta nem o ber­ro. A. FER­NAN­DES standy­[email protected]­mail.com São Pau­lo

Ká­tia Abreu

Ao vo­tar con­tra o re­la­tó­rio pe­la cas­sa­ção de Dil­ma Rous­seff, a se­na­do­ra Ká­tia Abreu deu sua úl­ti­ma pu­nha­la­da nas cos­tas dos agri­cul­to­res bra­si­lei­ros. Ago­ra já po­de as­si­nar sua fi­cha de fi­li­a­ção ao MST, pois pe­lo nos­so se­tor ela não se ele­ge nem ve­re­a­do­ra em Gu­ru­pi. FRE­DE­RI­CO D’AVILA fre­de­ri­cob­da­vi­[email protected]­mail.com Bu­ri

14 a 5

O ad­vo­ga­do da Dill­ma, J. E. Car­do­zo, lem­bra o Íbis, ti­me de fu­te­bol do Re­ci­fe: só perde de go­le­a­da. E pa­ra o bem do Brasil mais uma go­le­a­da vi­rá bre­ve­men­te. RO­BER­TO HUN­GRIA car­do­sohun­[email protected] Ita­pe­ti­nin­ga

Fe­cham-se as cor­ti­nas

Dis­cor­dan­do da pro­pos­ta de Dil­ma pa­ra no­vas elei­ções, Rui Falcão jo­gou a to­a­lha. É o fe­cha­men­to de­fi­ni­ti­vo das cor­ti­nas des­sa pe­ça que es­te­ve em car­taz no Te­a­tro Brasil por lon­gos e te­ne­bro­sos 13 anos e não se sa­be se é tra­gi­co­mé­dia ou ópe­ra-bu­fa. RO­BER­TO BRUZADIN bob­bru­[email protected]­ra.com.br São Pau­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.