• Can­di­da­to ne­ga ir­re­gu­la­ri­da­des

Fer­nan­do Haddad diz que as sus­pei­tas de su­per­fa­tu­ra­men­to se apli­ca­vam ape­nas ao tú­nel e, por is­so, deu sequên­cia às ou­tras obras.

O Estado de S. Paulo - - Primeira Página - Ma­teus Fa­gun­des

O can­di­da­to do PT à Pre­si­dên­cia, Fer­nan­do Haddad, dis­se on­tem que di­ri­gen­tes do par­ti­do que te­nham co­me­ti­do cri­mes de cor­rup­ção têm de ir pa­ra ca­deia des­de que ha­ja pro­vas de ir­re­gu­la­ri­da­des. O pe­tis­ta tam­bém atri­buiu par­te dos ca­sos de cor­rup­ção nas ges­tões de Luiz Iná­cio Lula da Sil­va e Dil­ma Rous­seff à fal­ta de con­tro­les in­ter­nos em em­pre­sas es­ta­tais.

“Fal­tou con­tro­le in­ter­no nas es­ta­tais, is­so é cla­ro. Os di­re­to­res fi­ca­ram sol­tos pa­ra pro­mo­ver a cor­rup­ção e se en­ri­que­cer pes­so­al­men­te”, dis­se Haddad, em ato de cam­pa­nha na pe­ri­fe­ria de São Pau­lo. “Se al­gum di­ri­gen­te (do par­ti­do) co­me­teu er­ro, ga­ran­ti­do o am­plo di­rei­to de de­fe­sa, se con­cluir que en­ri­que­ceu, tem que ir pra ca­deia. Com pro­vas.”

Haddad dis­se que sua ges­tão no Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção se­rá um exem­plo aos ór­gãos do go­ver­no se ele for elei­to pre­si­den­te. “Não ti­ve­mos ca­so de cor­rup­ção no mi­nis­té­rio que eu co­man­dei du­ran­te seis, qua­se se­te anos, por­que tí­nha­mos con­tro­la­do­ria for­te. Éra­mos um dos mai­o­res or­ça­men­tos da Re­pú­bli­ca. Es­te mes­mo ti­po de con­tro­le à cor­rup­ção nós va­mos ter nas es­ta­tais”, afir­mou.

Ques­ti­o­na­do so­bre a ne­ces­si­da­de de au­to­crí­ti­ca às ges­tões pe­tis­tas, Haddad dis­se que faz crí­ti­cas ro­ti­nei­ra­men­te. “To­do dia eu fa­ço crí­ti­ca a al­gu­ma coi­sa que foi fei­ta equi­vo­ca­da mos­tran­do o ca­mi­nho pa­ra su­pe­rar.” Haddad vi­nha sen­do co­bra­do pa­ra fa­zer au­to­crí­ti­cas aos erros do PT, prin­ci­pal­men­te por se­to­res mais li­ga­dos ao cen­tro que he­si­tam em ade­rir à sua can­di­da­tu­ra.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.