Ape­nas tú­nel ti­nha in­dí­cio de des­vio, diz Haddad

Pe­tis­ta afir­ma que sus­pei­tas de so­bre­pre­ço não se apli­ca­vam às ou­tras obras con­tra­ta­das

O Estado de S. Paulo - - Política - Fa­bio Lei­te

O ex-pre­fei­to de São Pau­lo e can­di­da­to a pre­si­den­te pe­lo PT, Fer­nan­do Haddad, afir­mou, por meio de sua as­ses­so­ria de im­pren­sa, que “as sus­pei­tas de su­per­fa­tu­ra­men­to se apli­ca­vam ape­nas ao tú­nel” pre­vis­to nos con­tra­tos de pro­lon­ga­men­to da Ave­ni­da Ro­ber­to Ma­ri­nho e que, por is­so, deu sequên­cia às de­mais obras do pro­je­to.

“As sus­pei­tas de su­per­fa­tu­ra­men­to se apli­ca­vam ape­nas ao tú­nel. As ou­tras obras fo­ram ana­li­sa­das e não ha­via in­dí­cio de su­per­fa­tu­ra­men­to. É sa­bi­do que o su­per­fa­tu­ra­men­to se dá em obras de ar­te (tú­nel e vi­a­du­to), cu­jo cus­to é de di­fí­cil afe­ri­ção”, diz no­ta divulgada pe­la as­ses­so­ria do can­di­da­to.

Haddad afir­ma que quem o aler­tou so­bre os in­dí­ci­os de so­bre­pre­ço na obra do tú­nel foi o en­tão se­cre­tá­rio mu­ni­ci­pal de Obras, Os­val­do Spu­ri, que já ha­via tra­ba­lha­do na Der­sa, em­pre­sa do go­ver­no do Es­ta­do que iria exe­cu­tar as obras do Sis­te­ma Viá­rio Me­tro­po­li­ta­no de São Pau­lo. Mas co­mo as obras da Ro­ber­to Ma­ri­nho se­ri­am exe­cu­ta­das com dinheiro da Ope­ra­ção Ur­ba­na Água Es­prai­a­da, que é mu­ni­ci­pal, o pro­je­to foi re­pas­sa­do pa­ra a Pre­fei­tu­ra em 2011, ain­da na ges­tão do ex-pre­fei­to Gil­ber­to Kas­sab (PSD).

“An­tes de sus­pen­der as obras do tú­nel da Ave­ni­da Ro­ber­to Ma­ri­nho, o pre­fei­to (Haddad) foi aler­ta­do pe­lo seu se­cre­tá­rio de Obras, Os­val­do Spu­ri, qua­dro téc­ni­co, apar­ti­dá­rio, fun­ci­o­ná­rio da Der­sa, que os cus­tos apre­sen­ta­dos es­ta­vam 30 a 40% aci­ma dos va­lo­res que ele jul­ga­va ade­qua­dos”, afir­ma o pre­si­den­ciá­vel. A re­por­ta­gem não con­se­guiu con­ta­to com Spu­ri.

Ques­ti­o­na­do so­bre o mo­ti­vo de ter omi­ti­do os in­dí­ci­os de su­per­fa­tu­ra­men­to em 2013, quan­do sus­pen­deu a obra, e não ter co­mu­ni­ca­do o fa­to aos ór­gãos de in­ves­ti­ga­ção, co­mo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co e Con­tro­la­do­ria-Ge­ral do Mu­ni­cí­pio, Haddad afir­mou que não ha­via pro­vas na épo­ca e que “pro­te­geu a ci­da­de

com as in­for­ma­ções que ti­nha” ao sus­pen­der a exe­cu­ção.

“O pre­fei­to lou­vou-se nos re­la­tó­ri­os da Se­cre­ta­ria de Obras e en­ca­mi­nhou-os à Con­tro­la­do­ria-Ge­ral

do Mu­ni­cí­pio. Co­mo a obra do tú­nel ha­via si­do li­ci­ta­da na ges­tão an­te­ri­or, sob liderança do Pau­lo Pre­to (Pau­lo Vi­ei­ra de Sou­za, ex-di­re­tor da Der­sa acu­sa­do de or­ga­ni­zar o car­tel das

em­prei­tei­ras), li­ga­do ao PSDB, a sus­pen­são e o pos­te­ri­or can­ce­la­men­to fo­ram con­si­de­ra­das ações su­fi­ci­en­tes pa­ra pre­ser­var o mu­ni­cí­pio.”

Ain­da se­gun­do a as­ses­so­ria do pre­si­den­ciá­vel pe­tis­ta, “as pro­vas do car­tel só apa­re­ce­ram de­pois que o pre­fei­to dei­xou a Pre­fei­tu­ra, em acor­do de le­ni­ên­cia da pró­pria Ode­bre­cht”.

No ter­mo ce­le­bra­do com o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co, a em­prei­tei­ra ad­mi­te a prá­ti­ca de car­tel, pa­ga­men­to de pro­pi­na e cai­xa 2 a Sou­za, Kas­sab, mas não fa­la so­bre su­per­fa­tu­ra­men­to nos pre­ços dos con­tra­tos. Até dei­xar o car­go, em 2012, Kas­sab já ha­via pa­ga­do R$ 105 mi­lhões às em­prei­tei­ras. Ele ne­ga ter co­me­ti­do ir­re­gu­la­ri­da­des nas con­tra­ta­ções.

Pro­cu­ra­das pe­la re­por­ta­gem, as em­pre­sas Ode­bre­cht, OAS, An­dra­de Gu­ti­er­rez e Qu­ei­roz Gal­vão, que li­de­ram os con­sór­ci­os con­tra­tos pe­la Pre­fei­tu­ra, não qui­se­ram se ma­ni­fes­tar.

FELIPE RAU/ES­TA­DÃO

Discurso. Haddad du­ran­te en­con­tro com co­le­ti­vos cul­tu­rais na Cohab Ra­po­so Ta­va­res, em SP

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.